Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Sab | 20.06.09

DIETA DE ROTURA

Dr. Luís Romariz

 

Diz-se que para perder peso (gordura) é necessário fazer uma dieta equilibrada. Pessoalmente, não podia estar mais em desacordo, porque equilíbrio significa SEM MUDANÇA! Vejam o exemplo de uma empresa; ela nem ganha, nem perde dinheiro. Equilibrada, no sentido estrito da palavra, significa que comeremos melhor. Também significa que não ganhamos nem perdemos peso.
A insulina é o denominador comum para o aumento de peso, dado que é a hormona do armazenamento, e sempre que for estimulada em excesso promove a formação e armazenamento dos hidratos de carbono em gordura. Em excesso mata-nos, literalmente! Perante o sobrepeso teremos de pensar em dois contratos diferentes:

·       Perda de peso acentuada

·       Estabilização no peso ideal

 

Devemos entender que uma dieta não é uma vacina contra o aumento de peso. Se não alterarmos os nossos maus hábitos, iremos recuperar quilos perdidos.

Então, no contrato de rotura teremos que diminuir a ingestão de energia (detesto o termo calorias), eliminar todos os alimentos que possam impedir a mobilização de gordura das nossas “banhas” para a queima, promover a saciedade e o bem-estar psíquico e manter o FUNDAMENTAL – a proteína. Assim, não perderemos músculos nem tonicidade da pele, nem capacidade enzimática e imune. Esta dieta na sua fase de rotura é uma dieta de prescrição EXCLUSIVAMENTE médica pois põe em jogo todas as hormonas e mecanismos metabólicos de compensação criados ao longo da nossa evolução.

No contrato de estabilização teremos que ensinar e desenhar um programa alimentar e de exercício que perante as oscilações permitidas possa retomar automaticamente o fiel da balança. Isto é, após se ter perdido os quilos em excesso entra-se numa fase de comer correcta e equilibradamente, permitindo um a dois desvios semanais os quais serão rapidamente absorvidos pelo “equilíbrio”.  É comum após um fim-de-semana em que prevaricamos numa ou duas refeições, sermos confrontados na segunda-feira com mais 2 ou 3 quilos. Vamos rapidamente comer menos e mais desequilibradamente para compensar, o que é um erro crasso e permite um peso io-io. O que se passa é que por cada molécula de glicose (açúcar) armazenada, são também armazenadas 4 moléculas de água. Quando nos dias seguintes gastamos esse açúcar numa leve actividade física, a água acompanha essa saída e a balança encanta-nos. Este efeito é utilizado no dia-a-dia das dietas io-io.

Resumindo, quando perdemos peso perdemos gordura, mas infelizmente também perdemos massa muscular. Quando recuperamos o peso perdido é sempre à custa de gordura. De vitória em vitória, até à derrota final!

Podemos perder muito peso – gordura – saudavelmente mantendo uma óptima aparência (a pele fica muito mais saudável) e capacidade biológica desde que façamos estes dois contratos connosco e com o médico.