Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Qua | 16.10.13

A TIRÓIDE E O TEMPO!

Dr. Luís Romariz

A flutuação das temperaturas meteorológicas na Primavera e no Outono colocam um tremendo desafio à tiroide. De facto, quem tem problemas, mesmo que mínimos, da tiroide pode sentir-se com menos energia, pior humor, e sentir que algo não está bem. É mais difícil de engrenar para as tarefas do dia-a-dia, e de se sentir normal. As variações da temperatura ambiente são um abanão na nossa tiroide, podendo ficar-se angustiado mesmo que esteja um dia maravilhoso. A hormona da tiroide tem de ajustar o stress das alterações na temperatura, o que geralmente demora cerca de sete dias a acontecer. Pode ser necessário uma ajuda extra à tiroide, à base dos nutrientes que ela precisa para funcionar. Assim, nutrientes como o aminoácido tirosina, o iodo, o selénio, e vitaminas do complexo B, podem representar uma ajuda inestimável nestas alturas do ano.As maiores concentrações de selenio encontram-se no fígado, nos rins, e na tiroide. Este é essencial à produção da hormona, pois ajuda a ligar a tirosina ao iodo. Ao mesmo tempo faz parte do complexo antioxidante que impede que a água oxigenada produzida no processo anterior danifique os tecidos, e também regula a conversão da hormona T4 nas várias hormonas ativas – T3, T2, etc. É à base deste elemento que se controla a rT3, espécie de travão ao metabolismo excessivo. Nós necessitamos de cerca de 200 a 300 mcg de selénio diariamente, dose que ajuda a baixar os auto-anticorpos contra a tiroide, os quais estão na base das tiroidites. Uma insuficiência em selénio e ou iodo coloca uma sobrecarga inaceitável à tiroide. Os inseticidas anti mosquito contêm na sua generalidade compostos que diminuem estes minerais. Os problemas da tiroide – hipotiroidismo – são infelizmente muito comuns, e frequentemente não diagnosticados. O tratamento mais conservador é à base da hormona T4 – que é inativa – desconhecendo-se aparentemente que a tiroide também fabrica alguma quantidade de T3 – a forma ativa – e supondo-se que as células têm a juventude e os nutrientes para converter facilmente a T4 em T3!

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.