Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Seg | 22.04.13

LEITE: MITO OU REALIDADE?

Dr. Luís Romariz

O mito do leite espalhou-se pelo mundo inteiro baseado numa falsidade científica, que faz crer que pelo facto do leite ser rico em proteína e em cálcio – uma chávena contém 300 mg -  deva ser tomado para prevenir ou corrigir a osteoporose.

Mas muitos estudos científicos têm demonstrado uma espécie de “mau-olhado” em que o facto de se ingerir leite se associa a uma má saúde. E a associação mais surpreendente é o facto de ser difícil absorver o cálcio contido no leite (especialmente quando pasteurizado) levando até à perda de cálcio nos ossos. Mas que ironia!

Enquanto a indústria do leite convence o publico em geral sobre a “melhor fonte de cálcio” e “o alimento perfeito”, desenvolve cada vez mais produtos baseados nas maravilhas do “ouro branco”. Claro que a maioria dos nutricionistas e dos médicos afirma que o leite é extremamente saudável e adequado para a osteoporose, quanto mais não seja, por ser politicamente correcto! Uma excepção é Amy Lanou Ph.D. director do departamento de nutrição do comité de medicina responsável de Washington. Ele declara que os países com maior consumo de leite são os que têm maior taxa de osteoporose. Entretanto, as intolerâncias e alergias ao leite aumentaram imenso, nomeadamente à custa da caseína e da lactose. De facto, nós perdemos a capacidade para produzir lactase por volta dos 7 anos de vida. Na falta desta enzima responsável pela digestão da lactose (glicose+galactose) do leite, altera-se o ambiente intestinal, podendo abrir portas a alterações estruturais das vilosidades intestinais (a superfície de absorção dos alimentos). Isto conduz a uma possível absorção de proteínas lácteas que geram um processo de rejeição. Quando as nossas células de defesa contactam com estruturas do nosso corpo que tenham sequências parecidas às proteínas do leite, atacam essas estruturas iniciando um processo de doença auto-imune (tiroidite, artrite, etc.). É mais sensato ingerir produtos lácteos fermentados. E covem não esquecer:

  • Os dados não suportam a hipótese de que o elevado consumo de leite ou outras fontes de cálcio pelos adultos os protejam contra as fracturas da anca ou do punho. Fonte: Feskanich D, Willett WC, Stampfer MJ, Colditz GA. Milk, dietary calcium, and bone fractures in women: a 12-year prospective study. American Journal of Public Health. 1997.
  • O consumo de lacticínios, particularmente por volta dos 20 anos, está associado a um aumento do risco de fracturas da anca na idade adulta. (“Case-Control Study of Risk Factors for Hip Fractures in the Elderly”. American Journal of Epidemiology. Vol. 139, No. 5, 199.

Porque nos enganam? Cabe aos leitores pensarem nisso!

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.