Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Ter | 31.03.15

ALUMÍNIO TÓXICO!

Dr. Luís Romariz

O fermento, o sal de mesa, os filtros de cigarros, muitos antiácidos, e os desodorizantes, têm em comum a presença de alumínio. Previamente tido como metal inerte, sabe-se agora que é tóxico. O alumínio é um dos metais mais abundantes na terra e no entanto não se lhe reconhece qualquer função biológica. A toxicidade por este metal é um problema e está associada a comprometimento neurológico, e o pior é o facto de ser cumulativo passando a barreira hemato-encefálica causando doença. Há uma forte associação entre doença de Alzheimer e alumínio. Este metal está presente em fármacos, vacinas, na água de consumo e até no ar. Os utensílios de cozinha em alumínio são outra fonte de dispersão deste metal que lesa as membranas celulares, abrindo as portas a doenças degenerativas e a diabetes. Também se observa uma alteração em minerais como o magnésio, ferro e cálcio. A diabetes e a obesidade podem ser uma consequência da toxicidade por alumínio. Devemos ter cuidado com a frequência com que ingerimos alimentos ou bebidas contidas em latas de alumínio. No entanto, o principal lugar de lesão é nas mitocôndrias – as nossas centrais energéticas – através do mecanismo de radicais livres em excesso. Este metal também causa lesão intestinal com consequente síndroma do intestino frágil, bem como lesão cardíaca do tipo das cardiomiopatias. O consumo de frutos e vegetais coloridos promove protecção. A curcumina contida no açafrão, a salsa, os coentros, a vitamina C e o glutatião promovem protecção em relação aos efeitos do alumínio, mas não devemos esquecer que o principal consiste na prevenção da sua ingestão. Uma coisa é certa: se você não lutar pela sua saúde, ninguém mais o vai fazer!

Seg | 30.03.15

GORDURA SATURADA E ÓLEO DE COCO

Dr. Luís Romariz

Nos anos 60’s a indústria alimentar queria que os consumidores comprassem as suas margarinas e óleos hidrogenados, pelo que desacreditaram as gorduras tradicionais através de campanhas e mentiras na comunicação social. O azeite, o óleo de coco, a manteiga, e a banha passaram a ser diabolizadas – devido ao seu conteúdo em gordura saturada - como causadoras de doença cardiovascular. Quatro décadas passadas, e no meio de uma epidemia de obesidade e cancro, redescobrimos o quão saudáveis eram essas gorduras então proscritas. As margarinas e os cremes vegetais – mesmo os que são publicitados por atletas e aceites por sociedades de cardiologia – são perigosos para a saúde humana podendo levar a doença cardiovascular e a cancro. Os alimentos super processados, repletos de aditivos, conservantes e xarope de frutose são os verdadeiros culpados da epidemia actual.

Os benefícios do óleo de coco, bem como do azeite, enchem livros científicos e páginas de estudos médicos publicados em revistas credíveis. A indústria alimentar usou estudos feitos com óleo de coco parcialmente hidrogenado para provar que esta era uma gordura maléfica. Na realidade, toda a gordura hidrogenada – trans - é maléfica. Na realidade o óleo de coco virgem é extraordinariamente saudável. No qual se estudaram dois grupos distintos. Em 1981 foi efectuado um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition relativo a um grupo de polinésios encorajados a ingerir óleo de coco, e verificou-se uma melhoria acentuada no fluxo circulatório. Outro estudo – o paradoxo francês – reporta-se à boa saúde cardiovascular dos franceses face à sua alta ingestão de gordura animal.

Metade do óleo de coco é ácido laúrico, o qual se converte em monolaurina que elimina bactérias, fungos, vírus, e parasitas. Predominam os ácidos gordos de cadeia média, usados para produção de energia, ao invés dos óleos vegetais nos quais predominam os ácidos gordos de cadeia longa armazenados sob a forma de “mau” colesterol. Quando o fígado metaboliza (transforma) os ácidos gordos de cadeia média formam-se corpos cetónicos os quais reduzem o apetite. Assim, o óleo de coco ajuda a manter o peso. O óleo de coco virgem é um super alimento, melhorando a saúde cardiovascular, sara as células lesadas que podem levar ao cancro e desintoxica o corpo.

Ter | 24.03.15

JEJUM INTERMITENTE

Dr. Luís Romariz

É uma ferramenta nutricional que proporciona um aumento na longevidade e uma melhoria na saúde. Nuns dias come-se bem, e noutros jejua-se cortando dramaticamente o consumo calórico. Um dos males do nosso actual estilo de vida é o facto de que comemos demais e demasiadas vezes. Estimulamos permanentemente o pâncreas a produzir insulina, anulamos a primeira fase de secreção pancreática – característica da diabetes – e o excesso de insulina proporciona a acumulação de gordura e oxidação do “mau” colesterol com a consequente produção de placa arterial. O excesso de alimento, nomeadamente em hidratos de carbono, torna o nosso corpo preguiçoso no que concerne à reparação e rejuvenescimento celulares. O jejum intermitente mimetiza hábitos nutricionais dos nossos ancestrais, pois a nossa evolução forjou-se durante ciclos de fome e de fartura. Isto permite ganhos de saúde nomeadamente ao nível cardiovascular, metabolismo e diminuição do risco de cancro. O jejum intermitente permite aumentar a imunidade, livrarmo-nos de glóbulos brancos lesados ou defeituosos e substitui-los por novos. O jejum força essencialmente o “botão reset” do nosso corpo, permitindo que as células-base adormecidas possam ser activadas para um estado de renovação. Durante o jejum baixa o número de glóbulos brancos (as defesas corporais), mas depois há uma inversão com aumento na sua produção e na imunidade. O mesmo se aplica às outras células senescentes. Concluindo, o jejum despoleta os mecanismos da regeneração celular, permitindo:

  • Normalizar a insulina e a leptina, aumentando a eficiência das mitocôndrias (centrais energéticas celulares). Permite baixar a grelina que é a nossa principal hormona da fome.
  • Promoção da produção de hormona do crescimento (HGH) a nossa principal hormona do rejuvenescimento. Este aumento pode ser de milhares de vezes!
  • Diminuição dos triglicéridos e melhoria de outros biomarcadores do envelhecimento e doença.
  • Redução do stress oxidativo (menor lesão por radicais livres).
  • Estimulação na produção de (BDNF) cerebral, factor que permite a activação de células-base cerebrais. Esta estimulação pode ser de centenas de vezes!

 

Durante o jejum a perda de peso é de cerca de 90% de massa gorda e apenas 10% de massa muscular. Esta pode ser minimizada por ingestão proteica. Uma das maneiras de fazer jejum intermitente consiste em cortar a ingestão calórica dois dias por semana, preferencialmente seguidos. Nestes dias a ingestão calórica deve ser cerca de 500/600 kcal. Outra forma de jejuar consiste em restringir a ingestão alimentar a oito horas por dia, nada comendo nas restantes 16 horas. Procure ingerir frutos secos, óleo de coco, whey-protein, ovos e azeitonas. Evite alimentos processados, sumos de fruta e outros alimentos caloricamente densos. Pode e deve ingerir sumos de vegetais.

Seg | 23.03.15

SAUNAS E SAÚDE

Dr. Luís Romariz

As Saunas têm uma longa tradição, nomeadamente nos países do Leste europeu e Ásia. Nalguns países como a Finlândia, podem encontrar-se praticamente em todos os lares. As saunas têm benefícios para a saúde bem conhecidos, mas há outros que agora começam a emergir. De acordo com estudos finlandeses a prática frequente de sauna diminui a mortalidade por doença cardiovascular. As saunas ajudam a desintoxicar, nomeadamente dos xenoestrogénios, o que num mundo extremamente poluído não é de desprezar. Também melhora a circulação sanguínea e promove o relaxamento, o que se traduz numa melhor saúde. A saunoterapia desafia o nosso corpo quase da mesma maneira que o exercício físico o faz, com os consequentes benefícios para a saúde cardiovascular. Na realidade a sauna diária diminui o risco de morte por doença cardiovascular, e o benefício é maior nas pessoas que a fazem durante um mínimo de 20 minutos. As pessoas que fazem duas a três sessões semanais também retiram benefícios palpáveis para a sua saúde, pois à medida que o corpo é sujeito ao stress do calor, gradualmente responde de forma adaptativa com várias alterações benéficas, as quais incluem aumento do volume de plasma e fluxo sanguíneo para o coração e músculos; aumento da massa muscular por acção do aumento nos níveis de proteínas "heat-shock”, e da HGH que é a nossa principal hormona do rejuvenescimento. A sauna quando combinada com o exercício físico pode conduzir a resultados sinérgicos, os quais conseguem estender-se ao nível cerebral com aumento na produção factor cerebral neurotrófico com a consequente geração de novas células cerebrais. As saunas por infravermelhos são as melhores, pois para além de aquecerem desde o interior da pele, proporcionam uma melhor estruturação da água dentro das nossas células, factor vital para os seres vivos. Obviamente que também ajuda a oxigenar os tecidos, e sendo a pele o nosso maior órgão de eliminação, devemos promover a sudação numa base regular de forma a aumentar o processo de desintoxicação. A conjugação deste procedimento com a ingestão de sumos de vegetais, nomeadamente os que são ricos em niacina (vitamina B3) potencia o efeito desintoxicante. O aumento da temperatura também ajuda a matar os microrganismos capazes de nos provocar doenças. Inicie a prática de sauna por quatro minutos, e vá aumentando 30 segundos de cada vez que faz sauna.

Sex | 13.03.15

ANTI NUTRIENTES

Dr. Luís Romariz

Todos sabemos o que são macro nutrientes (gordura, proteína e hidratos de carbono) e micro nutrientes (água, vitaminas, antioxidantes, minerais, fibra, etc.). Tudo o que ingerimos cai dentro destes dois grupos. Infelizmente, a alimentação moderna é pródiga num terceiro grupo – os anti-nutrientes. Substancias que ocorrem naturalmente como as saponinas e os fitatos, provenientes das plantas, interferem com a utilização e absorção dos outros nutrientes. São compostos produzidos pelas plantas como parte de uma estratégia de defesa. Têm um péssimo comportamento no nosso intestino dado que não os conseguimos digerir. Estes compostos atacam a barreira parcialmente permeável dos intestinos e causam o sindroma do intestino frágil, deixando passar para o nosso interior bactérias, vírus e macro moléculas. Os antinutrientes também têm a capacidade de se ligarem aos nutrientes, bloqueando a sua absorção. Assim, aparecem problemas gástricos, dispepsia, e a mãe de todas as doenças – inflamação. Sintomas como dores de cabeça, menor desempenho cerebral, dores nas articulações e doença auto-imune são comuns. Continuando com o mesmo tipo de alimentação a condição progride para patologias bem mais graves. Os alimentos oriundos dos cereais estão na linha da frente dos antinutrientes, bem como a soja!

Dom | 08.03.15

AGACHAMENTOS: EXERCÍCIO MAL COMPREENDIDO!

Dr. Luís Romariz

Se procura uma maneira de melhorar a sua forma física e obter resultados visíveis, a melhor maneira consiste em fazer agachamentos. Este tipo de exercício deve fazer parte da rotina de todo tipo de treino, pois é simples de executar, não requer qualquer tipo de equipamento, e pode ser efectuado em qualquer lado. Embora os agachamentos sejam vistos como exercícios de pernas, eles tem um impacto benéfico em todo o corpo, incluindo o coração. Na realidade este tipo de exercício proporciona vantagens para além dos músculos dos membros inferiores:

  • Proporciona aumento de massa muscular em todo o corpo pois cria um ambiente anabólico que promove a formação muscular. São exercícios tão intensos que promovem a libertação de testosterona e hormona do crescimento, hormonas vitais para o desenvolvimento muscular e para o rejuvenescimento.
  • Sendo um exercício funcional, ajuda o corpo a desempenhar as tarefas diárias necessárias à vida.
  • Queimam mais gordura
  • Mantêm a mobilidade e o equilíbrio, prevenindo as quedas e aumentando a força muscular.
  • Permitem melhorar a corrida e o salto
  • Tonificam os músculos das costas, os abdominais e o corpo em geral
    • Ajudam a remover o lixo celular

O exercício reduz os riscos de doença em geral, melhora a saúde mental e emocional, bem como a forma física e a longevidade. Uma revisão de artigos científicos publicados entre 2006 e 2010 mostra que o exercício reduz o risco de cancro, diabetes, demência e depressão. Também abranda o ritmo a que envelhecemos estimulando a regeneração das mitocôndrias – as nossas centrais energéticas – constituindo uma verdadeira fonte da juventude. Muitas pessoas apenas fazem exercício cardio-respiratório, e isso é profundamente errado pois à medida que envelhecemos precisamos de fazer cada vez mais exercício de resistência.

Sab | 07.03.15

BENEFÍCIOS DO SOL

Dr. Luís Romariz

 

Dentro de pouco tempo entrará a Primavera e isso aumenta a nossa apetência para actividades ao ar livre! Se formos fisicamente activos e passarmos algum tempo ao sol devemos ter noção de algumas orientações fundamentais para minimizarmos as queimaduras por exposição solar. A exposição solar só é terapêutica se for efectuada de forma apropriada e com peso, conta e medida. Exposição a mais pode levar a queimadura solar, a qual é uma resposta inflamatória corporal à sobre exposição aos raios UVB. Os raios UVA são muito mais perigosos e cancerígenos. Contudo, o que nos faz bem são os raios UVB pois convertem o colesterol da pele em vitamina D3, bem como mobilizam os depósitos cutâneos de nitratos, os quais são benéficos para o coração. Praticamente todas as nossas células têm receptores que respondem à vitamina D, uma hormona esteróide, que tem efeitos endócrinos e parácrinos. A primeira com imensa influência nos ossos, e a segunda influencia célula a célula, diminuindo os riscos de doença cardiovascular, cancro, doença auto-imune e perda da imunidade; aumento da força muscular, e normaliza a tensão arterial. A vitamina D influencia mais de 2000 genes do nosso corpo! Uma exposição solar segura pode fazer maravilhas à nossa saúde:

  • Melhora o humor e a energia
  • Regulariza a produção de melatonina
  • Sincroniza os ritmos circadianos
  • Protege do cancro da pele
  • Atenua os sintomas da esclerose múltipla
  • Alivia os sintomas da fibromialgia

A actual heliofobia induz em erro a população que pensa que a exposição solar faz mal, nomeadamente que é causadora de cancro da pele. Um dos mitos sobre o sol é que basta a exposição solar ocasional da face e mãos. Na realidade, é precisa uma exposição da maior parte do corpo, durante cerca de 20 minutos e perto do meio-dia solar para obter boa produção de vitamina D. Esta exposição, livre de protectores solares proporciona uma produção de 210000 UI de vitamina D. Ironicamente, são os raios UVA disponíveis durante todo o dia solar quem causa o melanoma (cancro da pele). Há vários factores a ter em conta:

  • Quanto menos nuvens, melhor.
  • Quanto mais afastado do equador estivermos, menor a quantidade de UVB
  • No verão devemos limitar a exposição solar, mas a Primavera é a altura ideal para usufruir plenamente do sol.
  • A melhor altura do dia é entre as 12 e as 14 horas.
  • Os protectores solares bloqueiam a formação de vitamina D

Devemos ter atenção aos sinais de queimadura solar:

  • Vermelhidão da pele.
  • Pele quente ao toque
  • Desconforto ao toque
  • Secura e enrugamento da pele

Estes sintomas não são imediatamente perceptiveis, normalmente apnas algumas horas após a exposição solar, e tornam-se dolorosos às 24 horas após a exposição. Os casos mais graves, com febre, devem ser observados por um médico.

Proteja sempre o rosto com um chapéu e/ou protector biológico para evitar o foto-envelhecimento. Antes da exposição aplique óleo de coco e beba muita água. Limite a exposição inicial e vá aumentando aos poucos. Tome astaxantina, licopeno (tomates) e mirtilos para prevenir os efeitos nocivos do sol. Não exagere no consumo de fruta, para não promover a glicação. As vitaminas A e C são importantes na defesa contra os efeitos nocivos dos UV.

Use cremes com Aloé Vera e chá verde.

Os protectores solares são potencialmente cancerígenos, use um que seja biológico!

 

Ter | 03.03.15

A AGONIA DA TERRA

Dr. Luís Romariz

Só nos EUA são anualmente produzidos e importados cerca de 150 biliões de quilogramas de químicos, e este número não inclui os medicamentos, pesticidas, carburantes, nem aditivos alimentares. A maioria destes químicos nunca foi testada quanto ao seu impacto na saúde humana, e no entanto são consumidos diariamente. O que é que a humanidade está a fazer a si e ao planeta Terra? Anualmente são produzidos seis biliões de bisfenol-A (BPA), afundando o planeta em plásticos. O BPA, os ftalatos e outros pseudo estrogénios estão a dar cabo do nosso sistema endócrino, alterando o equilíbrio hormonal em que vivemos. Não admira pois que as menarcas sejam cada vez mais precoces, que os rapazinhos vejam a sua masculinidade comprometida e que o número de cancros da mama entre outros dispare para níveis incontroláveis. Em média, os recém-nascidos têm 287 químicos, isto antes de respirarem, e a partir daí é sempre a aumentar! Só que os sinais hormonais alienígenas são mais potentes do que as nossas próprias hormonas. Éramos naturalmente magros e fortes mas progressivamente estamos a ficar mais obesos e fracos. Os nossos corpos estão tão atarefados a desintoxicar dos tóxicos, que ficam frequentemente sem recursos para efectuar as mais básicas tarefas da vida. Não admira que a humanidade esteja cada vez mais doente. Quando uma espécie está saudável, isso reflecte-se na sua fertilidade. Ora um em cada quatro casais tem problemas de fertilidade, mostrando que a ela se está desvanecendo.

Nada melhor para ilustrar a nossa ligação ao mundo do que o nosso microbioma, ou “ecossistema interno”. O longo tubo que vai da boca ao ânus é a interface entre nós e o mundo que nos rodeia; mais, é onde se localiza a maior parte da nossa imunidade. Saúde e doença começam no intestino! Mas este sistema vital está a ser destruído com o nosso estilo de vida moderno. Os recém-nascidos são literalmente banhados em microrganismos benéficos durante o parto. Com o aumento do número de cesarianas este benefício perde-se, aparecendo uma miríade de doenças, incluindo asma e doenças auto-imunes. Há outra via de inoculação de imunidade através do leite materno, mas a taxa de amamentação não está nos níveis desejados. Para piorar o quadro prescrevem-se abusiva e desnecessariamente antibióticos, os quais alteram a microbiota de uma forma que ainda não conhecemos todas as consequências do que se convencionou chamar disbiose. Há quem tenha a mania de esterilizar tudo o que for possível, mãos, utensílios, etc. perdendo-se parte da imunidade com estes comportamentos.

Sabia que há zonas de alto mar onde se acumulam toneladas de plásticos que andam eternamente à deriva devido às correntes marítimas? E que não há gota de água oceânica que não contenha BPA?

Sabe quais são os componentes dos seus produtos de beleza – champôs, gel de banho, cosméticos faciais e cremes corporais, etc. – bem como quais são os componentes dos produtos de limpeza doméstica? Sabe qual o impacto destes químicos na sua saúde e na saúde dos seus filhos? Acha que as organizações governamentais se preocupam com isto, testam os produtos, etc.? Normalmente são as associações de consumidores a fazer este tipo de trabalho que compete ao estado, e depois de gastarem os parcos recursos não obtêm as leis ou actuações em conformidade! Informe-se. Uma pessoa bem informada é alguém que promove a sua saúde e a dos seus familiares.

Sabe quais são os componentes dos alimentos processados que compra, ou confia cegamente nos fabricantes e nas instituições? Sabe qual é o impacto dos OGM (transgénicos) nos ecossistemas e no nosso organismo?

Uma certeza pode ter. Se nada fizermos em contrário vamos entregar aos nossos filhos um planeta agonizante, mergulhado em tóxicos difíceis de excretar – alguns dos xeno estrogénios só são excretados através do suor provocado por saunas.