Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Seg | 28.07.14

O JEJUM REGENERA A IMUNIDADE

Dr. Luís Romariz

O efeito do jejum vai para além da perda de gordura. De facto, rejuvenesce as células responsáveis pela imunidade. Quando jejuamos, o sistema tenta poupar energia, e uma das maneiras que usa é a reciclagem das células da imunidade que não estejam a ser precisas, que possam ter defeitos ou estejam velhas. À medida que o jejum avança, diminui o número de glóbulos brancos. Quando se reinicia a alimentaçãoa contagem de células começa a aumentar. A redução destas células da imunidade despoleta a regeneraçãodas células mãe dando novas células imunes mais aptas. Ao jejuarmos reduzimos a expressão de uma enzima chamada PKA, a qual promove a longevidade celular ao fazer entrar em modo de regeneração. A boa notícia é que o organismo vÊ-se livre prioritariamente das células velhas ou defeituosas.

 

 

Seg | 21.07.14

TESTOSTERONA: PROTEGE O CORAÇÃO

Dr. Luís Romariz

Embora tenham surgido dúvidas sobre a segurança cardiovascular da modulação hormonal com testosterona, um estudo publicado em Julho de 2014 no Annals of Pharmacotherapy  demonstrou um inequívoco beneficio protector desta modulação. E o estudo foi significativo pois enrolou 6355 homens com idades iguais ou superiores a 66 anos. O risco de patologia cardiovascular diminuía em cerca de 31% o que é altamente significativo. A testosterona ao aumentar a massa muscular melhora a sensibilidade à insulina e o perfil lipídico, para além de possuir propriedade anti-inflamatória e anti-coagulante capazes de reduzir a espessura da placa arterial responsável por trombos. Esta é uma análise rigorosa acerca de um elevado número de pacientes.

Dom | 13.07.14

TENHA UM BOM SONO

Dr. Luís Romariz

Em termos simples, o sono tem quatro fases mas duas são altamente ão altamente revigorantes:

  • Sono profundo, ou verdadeiro sono
  • Sono de movimentos rápidos dos olhos (REM), que é a fase dos sonhos

A melhor maneira de entender estas duas fases é pensar nelas como dois diferentes tipos de sono, que proporcionam diferentes tipos de nutrição cerebral. O sono e os sonhos são um pouco como a água e a comida do psíquico. Para uma saúde óptima, precisamos dos dois. Em média necessitamos de cerca de 7 horas de sono diariamente. Devemos ter consciência de que a falta de sono é cumulativa, e que ao fim de dias pode representar a perda de uma noite de sono. Milhões de pessoas fazem isto sem se darem conta que elevam os riscos de acidentes, desempenho intelectual, etc.

Dado que a fase de sonhar acontece no último terço da noite, uma perda de sono nesta altura resulta em “privação de sonhos”. Frequentemente, o despertador impede que se consuma a fase final de um sonho, levando a uma frustração subconsciente. Ora esta fase do sono digere a informação do dia, como o intestino digere uma refeição. Se interrompidos, gera mal-estar.

É importante deitar cedo, num quarto às escuras, sem ruído e a uma temperatura ambiente confortável. À noite, quando somos expostos à luz, mesmo que seja apenas uma ou duas horas antes de dormir, isso gera uma supressão na produção da melatonina. A longo prazo, isto pode levar a alterações que vão muito além da insónia. É fundamental aprender a relaxare a descansar de forma a obter um bom sono. Caso contrário, pode ocorrer uma produção anormal de cortisol, detectável em testes de saliva, a qual resulta numa desregulação dos ritmos circadianos

Sab | 12.07.14

O STRESS PODE DESENVOLVER UM ATAQUE CARDÍACO?

Dr. Luís Romariz

Cerca de uma em cada três mortes pode ser atribuída a doença cardiovascular. A forma mais comum é o enfarte do miocárdio. Surpreendentemente a maioria dos ataques acontece às segundas-feiras, e foi relacionada com o stress do trabalho. A maioria das pessoas não tem a consciência de que o sintoma mais comum é a morte súbita. Frequentemente, não há prenúncios tais como dificuldade em respirar, ou dor no peito. A boa noticia é que tal como a diabetes, a doença cardiovascular é fácil de prevenir, mas teremos de ser proactivos. O principalfactor de risco é a inflamação. Uma alimentação adequada – dieta mediterrânica modificada – exercício físico, exposição solar, e contacto com a terra são pedras de toque na prevenção cardiovascular. Recentemente, dois estudos lançaram luz sobre o elo entre o stress e ataque cardíaco. À medida que o stress sobe, também sobem os glóbulos brancos promotores de doença aterosclerose e ruptura da placa arterial – enfarte. Por outro lado, o choque emocional ou o sobre exercício podem despoletar um ataque cardíaco por libertação de hormonas como a norepinefrina que pode dispersar bactérias nas paredes arteriais. O cortisol, por sua vez, produzido de forma crónica conduz a uma dessensibilização das estruturas e dado que a inflamação é parcialmente regulada por esta hormona, esta dessensibilização aumenta a resposta inflamatória proporcionando uma inflamação sem controlo. A inflamação crónica é pois a marca padrão da doença cardiovascular, pelo que devemos mudar os estilos de vida conducentes ao stress. Os bio indicadores úteis podem dar uma ideia de como estamos:

 

  • HDL/CT deve estar acima de 25%
  • TG/HDL deve ser menor do que 2
  • Ferro, este é um agente oxidativo pelo que se estiver elevado devemos tirar sangue

 

Uma das melhores maneiras de baixar o stress é através do sono, meditação, actividade física regular, exercícios respiratórios, divertimento e boa disposição.

Corte radicalmente no açúcar de forma a proteger o seu coração, evite alimentos processados, controle a insulina; analise os níveis de vitamina D e optimize-os. O exercício físico é tão importante como os medicamentos.

Mantenha contacto com o solo quer andando descalço de forma regular, quer usando sapatos de sola natural, pois isto reduz a inflamação e tem impacto na doença cardiovascular. Quando fazemos isto, os electrões fluem livremente da terra para o nosso corpo. Este efeito é um dos mais potentes antioxidantes que se conhece.

Sab | 12.07.14

VAI UM CAFEZINHO?

Dr. Luís Romariz

Se for como a maioria das pessoas, você iniciará o dia bebendo uma chávena de café. De acordo com a Health Magazine, metade dos adultos adere a este ritual diário, apesar dos avisos tradicionais de que o café possa ser prejudicial para a saúde. O café quando ingerido de forma correcta pode constituir uma excelente ferramenta para a promoção da saúde e da boa forma física. É possível produzir orientações que ajudem a gozar o café sem riscos. O café melhora a diabetes e se consumido antes de um treino aparente ter benefícios que foram revelados pela ciência. As pessoas que ingerem café antes de um treino queimam cerca de 15% mais calorias durante as três horas seguintes, comparadas com as que ingerem placebo. O café pode aumentar o metabolismo em cerca de 20%, e apresenta outros benefícios:

  • Melhora a micro circulação
  • Reduz a dor
  • Melhora a resistência
  • Preserva a massa muscular
  • Melhora a memória

 

Mas há que ter em conta algumas reservas: poderemos perder estes benefícios ao adicionarmos leite, natas ou adoçantes. É importante lembrar que a mistura de antioxidantes, incluindo o ácido clorogénico, os bioflavonoides, as vitaminas e os minerais contidos nos grãos de café, ajudam a neutralizar os efeitos indesejáveis do café. Estudos recentes apontam o café como um modulador do NFkB – o principal “culpado” pela inflamação e cancro. Os maiores benefícios aparecem com o consumo de dois expressos por dia. São de evitar as bebidas energéticas com cafeína, pois podem provocar lesão neuronal.

Qui | 10.07.14

CAIU O MITO DA GORDURA SATURADA

Dr. Luís Romariz

Nos últimos 50 anos, a corrente médica maioritária, a grande industria alimentar e os média têm andado a vender gato por lebre, atirando poeira aos olhos das pessoas para que estas não vejam a realidade. Eles têm insistido na teoria de que a razão principal para os ataques cardíacos se prende com o consumo de gordura saturada – animal. Esta crença baseou-se em ciência enviesada alimentada por lucros ilicitamente escandalosos. Tem sido advertido que a gordura saturada entope as artérias e causa doença cardiovascular. E no entanto basta reparar que a gordura mais saudável – o óleo de coco – é 100% saturada, e que uma das conclusões do maior estudo mundial sobre doença cardiovascular – Framingham Heart Study – foi que quanto mais gordura saturada se ingeria, menos doença cardiovascular se revelava. Assim, contrariamente às evidências científicas, o mundo da medicina e indústria farmacêutica tem perseguido erradamente o colesterol, e encharcado os doentes com um tipo perigoso de fármacos que nem sequer actuam – as estatinas. Recentemente foi publicado na revista Annals of Internal Medicine uma  revisão de 76 estudos mundiais envolvendo cerca de 650.000 doentes, em que os autores declaram que a evidencia não aponta para as actuais orientações terapêuticas que encorajam  o menor consumo possível de gordura saturada e o maior possível de gordura polinsaturada. Outra meta análise publicada em 2010 aponta para a falta de associação entre gordura saturada e doença cardiovascular. Até o todo poderoso New England Journal of Medicine admite que a dieta mediterrânica (a qual tem elevados teores de gordura e baixa ingestão em Hidratos de Carbono) é a melhor alternativa à paranóia do zero gordura saturada. Esta favorece os quocientes entre o colesterol HDL (o bom colesterol) e os triglicerídos, estes sim os verdadeiros vilões da doença cardiovascular. Temos estado a colher as consequências da dietocracia da baixa gordura, pois se retiramos gordura inevitavelmente vamos consumir mais HC, normalmente de elevado índice glicémico! A gordura saturada, animal, parece fazer aumentar o colesterol LDL (o mau colesterol), mas na realidade há dois tipos de LDL e apenas o de padrão B ligado ao consumo de HC se revela aterogénico. Claro que a gordura saturada usada na indústria alimentar está adulterada à nascença e é capaz de iniciar um processo de inflamação na parede das artérias com a consequente progressão para doença cardiovascular. Mas comer alimentos processados deve ser a excepção e nunca a regra. A ingestão de antioxidantes, seja no seu estado natural, seja em suplementos dá uma ajuda preciosa para contrariar este processo de aterosclerose.

Concluindo, há anos que venho escrevendo contra o uso das estatinas, alertando para o verdadeiro perigo que vem dos açúcares, e desmistificando a gordura saturada. Se for oriunda de animais alimentados tradicionalmente a pasto, não apresenta problemas. Afinal, foi grande parte da nossa alimentação durante uns milhões de anos e ainda cá estamos!