Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Seg | 24.02.14

POR QUE É QUE A ÁGUA CONTA!

Dr. Luís Romariz

Até os consumidores mais atentos subestimam a importância da ingestão de água, e acabam sofrendo de desidratação crónica de baixo grau. Uma boa hidratação é essencial para uma boa saúde:

  • Energia. A hidratação sob óptima abranda a actividade das enzimas, incluindo as que são responsáveis pela produção de energia, abrindo a porta à fadiga. Por menor que seja a desidratação, pode reduzir o metabolismo.
  • Digestão. O nosso organismo produz em média 7 litros de sucos digestivos por dia. Quando não produzimos essa quantidade os processos digestivos são limitados ou inibidos.
  • Obstipação. Quando os alimentos passam através do cólon, este absorve o excesso de água e transfere-a para a corrente sanguínea de forma a formar fezes de consistência normal. Quando há pouca água, as fezes ficam, muito secas e aparece a obstipação.
  • Tensão arterial. Quando ficamos desidratados de forma crónica, o nosso sangue torna-se mais grosso e viscoso. Adicionalmente, e como resposta, os vasos sanguíneos contraem-se. Para compensar, a tensão arterial eleva-se podendo aparecer HTA.
  • Saúde estomacal. Sob condições normais, o estômago segrega uma camada de muco (composta em 98% por água) que previne que o ácido clorídrico ataque a parede do estômago. A desidratação crónica, impede a produção deste muco podendo produzir lesões gástricas.
  • Respiração. As membranas respiratórias humedecidas protegem das partículas e humedecem o ar, contudo face à desidratação ficam vulneráveis ao atraque de pólenes e poeiras.
  • Equilíbrio ácido-base. A lentificação enzimática causada pela desidratação crónica interrompe importantes transformações bioquímicas, levando a acidez celular. Isto, por sua vez abre portas à osteoporose e ao cancro.
  • Gestão do peso. A sensação de sede pode ser confundida como de fome, os centros cerebrais estão muito juntos, e a falsa sensação de fome leva ao sobre peso e à fadiga.
  • Pele. A pele desidratada perde elasticidade e fica com aspecto seco, escamoso e rugoso. Também conduz a irritação associada a eczema. Precisamos de suar cerca de 75 mililitros de forma a diluir e excretar toxinas.
  • Lipoproteínas. O colesterol é um elemento essencial às membranas celulares, e quando a célula fica desidratada o corpo tenta compensar produzindo mais colesterol para a membrana celular ficar mais impermeabilizada. Embora o colesterol proteja a membrana da perda de água, mais colesterol é lançado para a circulação.
  • Tracto urinário. Ingerindo pouca água, os rins têm de produzir uma urina super concentrada, mais difícil de eliminar as toxinas e aumentando a susceptibilidade às infecções urinarias.
  • Articulações. As cartilagens e os ligamentos desidratados tornam-se mais friáveis e propensos à lesão. As articulações ficam inflamadas e doridas, abrindo as portas à artrite.
  • Envelhecimento. O processo do envelhecimento envolve uma perda gradual de volume e um desequilíbrio dos fluidos intra e extra celulares.

Para além deste quadro, convém esclarecer que a água que ingerimos tem de ser estruturada dentro do nosso corpo. Por muito que possa espantar, a água intra corporal não é H2O mas sim H3O2, o que a torna levemente viscosa ou seja um hidrogel. Para que tal aconteça (não é preciso comparar qualquer tipo de aparelho, por muito sofisticado e apelativo que possa ser) é preciso radiação ionizante, nomeadamente radiação solar e infravermelhos. Esta também é uma boa razão para usar saunas de infravermelhos. Cuidado com as saunas tradicionais que usam água da torneira, a qual tem cloro e que na sauna liberta gases tóxicos deste elemento.

Conselhos para se manter hidratada:

  • Inicie o dia tomando um copo de água. Isto ajuda a repor os fluidos perdidos durante a noite. Aproveite para encher uma garrafa de vidro e leve-a consigo.
  • Coma fruta e vegetais às refeições, pois contêm água e minerais que ajudarão a manter a hidratação.
  • Estabeleça “água breaks”
  • Cozinhe com sal marinho, rico em elementos minerais imprescindíveis à célula e à sua hidratação.

Sendo o nosso corpo composto por 2/3 de água, quando foi a última vez que o seu médico falou consigo acerca dela? Não falou? Estranho, não?