Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Qui | 23.08.12

A QUERCETINA REJUVENESCE

Dr. Luís Romariz

A mãe natureza protege as plantas contra condições as extremas dos vários ambientes terrestres. E faz isto protegendo-as com potentes fito-químicos, sendo o mais comum a quercetina. Felizmente, este poderoso poder protetor é rapidamente transferível para nós quando as ingerimos. A quercetina aumenta a longevidade, maioritariamente protegendo-nos contra as mesmas ameaças que as plantas enfrentam: stress oxidativo, Alteração do AND, e toxinas ambientais. Uma enorme quantidade – e sempre em expansão – de evidência científica associa o elevado consumo de quercetina à melhoria da condição cardiovascular, à diminuição da incidência de cancro, a menores respostas alérgicas ea a um aumento da resistência às infeções. A ingestão de quantidade suficiente de nutrientes derivados das plantas é um problema crescente – nomeadamente para as crianças – que pode felizmente ser ultrapassado pela suplementação.

A quercetina aumenta a longevidade em estudos laboratoriais com animais simples e até com células humanas. Estudos mais detalhados confirmam que os efeitos da quercetina emerge da capacidade de combate às causas majors do envelhecimento e da doença crónica.

A suplementação com quercetina  mostra capacidades para diminuir o risco de doença cardiovascular ao normalizar as lipoproteínas (cholesterol) e para diminuir a incidência de cancro ao bloquear os processos primaries de indução cancerosa.

A quercetina também modifica favoravelmente a imunidade, reduzindo o impacto das alergias e doenças pulmonares associadas, ao mesmo tempo que aumenta a nossa resposta a inimigos como vírus e bactérias.

A quercetina é rapidamente absorvida e não apresenta efeitos laterais; deve fazer parte do nosso suplemento diário de forma a prolongar a vida e aumentar a sua qualidade.

Seg | 20.08.12

CHÁ VERDE ACTIVA GENES QUE QUEIMAM GORDURA

Dr. Luís Romariz

O AMPK (5’ adenosine monophosphate-activated protein kin é um importante sensor de energia ao nível celular. Quando ativado, as gorduras são queimadas para produzir energia. Um estudo recente mostra que um dos numerosos benefícios metabólicos da ingestão de chá verde é o de ativaro AMPK. Os investigadores têm questionado o porquê do chá verde baixar o colesterol, os triglicerídeos, a insulina e a leptina. Os estudos genéticos mostram que o chá verde desliga a enzima que “fabrica” gordura e desativa o gene que influencia as células a queimar gordura. Quando este mecanismo é posto em marcha, pelo menos durante parte do dia, ajuda a emagrecer. O AMPK é desativado propositadamente sempre que comemos, de forma a que possamos armazenar as calorias consumidas. Entre as refeições, nomeadamente se seguirem o meu conselho e só comerem três vezes por dia, o AMPK é ativado e promove a queima de gordura – cerca de 3 a 4 horas após comer – embora se possa ativar o AMPK fazendo dois minutos de exercício vigoroso. O chá verde bloqueia a tentação compulsiva de comer um lanche a meio da tarde, altura mais propícia a ansiar por um snack. Caso não se consiga resistir, então umas fatias de queijo, queijo fresco, ou iogurte sem açúcar podem ser a solução.

Sab | 11.08.12

PARKINSON E RADICAIS LIVRES

Dr. Luís Romariz

Uma nova classe de antioxidantes sintéticos – conhecidos como triterpenoides – bloqueia o desenvolvimento da doença de Parkinson em modelos animais, evitando a degradação precoce de dopamina que é o neurotransmissor em falta no Parkinsonismo. Desde os traumatismos cranianos à exposição aos insecticidas, passando pelo envelhecimento, os agressores aumentam o stress oxidativo e o corpo responde com inflamação, que é parte da resposta normal do processo de reparação. Isto cria um ambiente cerebral que não é propício à normal função neuronal. Na realidade, nos doentes com Parkinson vemos uma sobrecarga significativa de stress oxidativo, razão pela qual a terapia com glutatião (um dos antioxidantes major fabricados pelas nossas células) tem bons resultados. Quanto à inflamação nada melhor do que investir nos óleos de peixe – ómega-3 – os quais reduzem as proteínas que causam a inflamação, a qual está ligada também a doenças cardiopvasculares e a diabetes. Se não puder comer regularmentepeixe de água fria (como o salmão) é boa opção a suplementação com super ómega-3 ou outra marca de grande qualidade.

Seg | 06.08.12

PROTEÍNA PARA EMAGRECER SAUDAVELMENTE

Dr. Luís Romariz

A quantidade e a qualidade da proteína ingerida na alimentação é o factor dietético que mais influencia a taxa metabólica, favorecendo a perda de gordura. A qualidade da proteína também ajuda à manutenção da massa muscular nomeadamente nas pessoas seniores, altura da vida em que se instala a sarcopenia (diminuição muscular associada ao envelhecimento). A proteína de alta qualidade também favorece a imunidade, o “colesterol”, e tem importante função antioxidante; mais, regula a leptina e a insulina que são hormonas fulcrais no risco de diabetes e da obesidade. A quantidade ideal de ingestão proteica varia desde0.8 a2 gramaspor quilograma de peso corporal. A proteína (os aminoácidos) tem a capacidade de ser convertido em açúcar à medida que o nosso corpo (principalmente o cérebro) dele necessita, ou seja, estabiliza a glicemia afastando-nos da diabetes e excesso de peso associado. A grande realidade é: quando aumentamos a qualidade da ingestão proteica no limite superior dos dois gramas por quilograma de peso corporal, os aminoácidos como a leucina (que é metabolizada nos músculos ao invés do fígado) favorecem directamente a musculatura incluindo a queima de calorias que leva ao emagrecimento saudável. Para quem não tem alergia às proteínas do leite, a melhor e mais saudável solução consiste na ingestão de whey (proteína de soro de leite) o qual não contém a caseína que é a proteína comummente implicada nas alergias e intolerâncias. A leucina melhora o desempenho da insulina (a hormona do armazenamento) ao nível muscular, nomeadamente baixando a produção de triglicéridos, o que diminui a resistência à acção da leptina – que comunica ao cérebro que estamos com bons depósitos de gordura e é altura de parar de comer e começar a gastar o que se armazenou. Esta é uma das principais razões para que se ingira um pequeno-almoço proteico, sendo a outra o facto da proteína aumentar o metabolismo do fígado em 30% durante cerca de 12 horas, o que leva directamente à queima de gorduras.

Dom | 05.08.12

CUIDADOS COM AS ARTÉRIAS

Dr. Luís Romariz

As células que revestem o interior das nossas artérias – o endotélio – são potenciais elos fracos para contrair doença cardiovascular. Quando estas células são lesadas por irritantes, radicais livres, tóxicas, microrganismos e outros stressores têm de ser reparadas. Se os mecanismos de reparação não funcionarem adequadamente, acumula-se lesão que pode desembocar em doença cardiovascular. Novos estudos mostram que a quercetina pode amplificar o poder do resveratrol para diminuir em espantosos 94% a lesão endotelial induzida. A vitamina C, por sua vez, tem a capacidade para reduzir a tensão de stress nos nervos, nomeadamente nas pessoas com hipertensão arterial. Uma dose diária de três gramas reequilibra os sistemas simpáticos e parassimpático (contracção/relaxamento muscular) controlando a tendência para hipertensão. Isto é interessante porque sabemos que os humanos perderam a capacidade de sintetizar a vitamina C a partir da glicose (açúcar) em tempos de stress. Isto deve-se a uma mutação genética, pelo que a anormalidade é não o conseguirmos fazer. Talvez uma das razões porque estamos constantemente a ansiar por hidratos de carbono se prenda com a falta de capacidade para fabricarmos vitamina C. Esta é essencial para a renovação do colagénio que é um dos blocos da integridade das nossas artérias. Ainda falando das artérias, a ideia peregrina de que as gorduras saturadas – animais – fazem mal ao endotélio vascular esbarra na qualidade energética destes ácidos gordos que são do melhor para que as células endoteliais produzam a energia necessária ao seu funcionamento e à sua própria auto-reparação. Dois estudos recentemente publicados no American Journal of Clinical Nutrition dão continuidade aos que sempre o têm demonstrado.

Sex | 03.08.12

Cara MLSantos

Dr. Luís Romariz

Dr luis Romariz

Tenho 65 anos e entre os 46 e 56 anos fiz terapêutica hormonal de substituição e senti me lindamente . Após alguns anos de ter parado com as hormonas comecei a ter insónias, e  problemas de queda de cabelo. Falando com a minha médica de clínica geral, ela receitou me o dermestril e pelo menos em relação às insónias resultou bastante bem. Entretanto falei com uma amiga k faz hormonas bioidenticas , e k me disse k não eram tão prejudiciais à saúde, tendo só o inconveniente de serem mto caras. Neste momento comecei a fazer o estalis (estradiol+noretisterona) receitado pela minha dermatologista. Falei lhe das tais hormonas bioidenticas  mas ela não me aconselhou dizendo k sendo um manipulado, corria-se alguns riscos da precisão do produto. Se possível agradecia k o Dr me desse a sua openião.Tendo eu 65 anos e não sendo uma doente de risco em relação ao cancro da mama o k é k o Dr me aconselha?Atenciosamente

M. L. Santos

Boa tarde

As hormonas bioidênticas são sinónimo de hormonas humanas, ou seja, iguaizinhas às que produzimos, com os mesmo efeitos e com as mesmas virtudes. EStão biologicamente programadas para nós através da evolução humana de milhões de anos. Só por desconhecimento se pode ser detratora das nossas próprias hormonas. Por outro lado a sua manipulação está sob alçaca do INFARMED e não as faz quem quer, mas sim quem pode. Depois a noretisterona é uma progestina isto é, uma progesterona sintética. Infelizmente, estas são causadoras de cancro da mama e de doença cardiovascular. Isto é ciência, está amplamente documentado e a sua médica certamente que não o pode desconhecer. Na sua situação devia ter muita atenção aos níveis de progesterona.

Sex | 03.08.12

ÓCULOS DE SOL APROPRIADOS PODEM OFERECER PROTECÇÃO E CHARME!

Dr. Luís Romariz

Os óculos de sol são actualmente um acessório de moda usado na cabeça, mas ter uns óculos apropriados e postos no seu devido lugar é fundamental para a saúde dos olhos. Os óculos com protecção UVA e UVB são cruciais para a protecção do cristalino e da retina/mácula, dado os olhos serem estruturas muito delicadas e propensas à acção dos radicais livres induzidos pela radiação solar. Uma vez que no Verão as pessoas estão mais activas no exterior e propensas a actividades ao ar livre como o ciclismo e as caminhadas, também ficam mais expostas á radiação solar, nomeadamente na praia onde os raios são reflectidos e nos atingem por todos os lados. A radiação solar aumenta muito o risco de desenvolver cataratas (uma opacidade do cristalino), e também está associada à degeneração macular, uma parte fundamental da retina e essencial à visão acurada. Até num dia nubloso podemos ficar sujeitos às lesões oculares dos raios UV. As bolhas amareladas que aparecem nas conjunctivas podem-se desenvolver após exposição a esta radiação. Os óculos de protecção solar, particularmente os que são suficientemenete grandes, bloqueiam mais raios UV do que os óculos pequenos. Aqui, quanto mais … melhor! Tenha cuidado com os óculos baratos – na realidade ao escurecerem dilatam a pupila expondo-a mais às lesões - mas também com os exageros das marcas. O importante é ter a garantia de protecção UVA (essencialmente) e UVB. Não se devem esquecer das crianças. Pois são extremamente vulneráveis dado as suas pupilas serem mais dilatadas. Uma vez que as lesões são de desenvolvimento muito lento não fazemos a associação entre o sol e as cataratas ou lesão/cegueira macular. Tenha em conta a necessidade de tomar um suplemento de astaxantina, zeoxantina e luteína. Insista na cenoura e nos vegetais de folha verde; o melão rico em SOD também ajuda aproteger os olhos.