Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Sex | 08.06.12

MAGNÉSIO É VITAL PARA OS OSSOS

Dr. Luís Romariz

Há muito que se sabe que uma dieta rica em magnésio com frutos e vegetais está associada a uma melhor saúde óssea, independentemente da quantidade de cálcio ingerida. Sabemos quais os mecanismos através dos quais o magnésio contraria a osteoporose. Os osteoblastos, que são as células ósseas que formam novo osso de qualidade, emitem sinais inflamatórios (iNOS) quando o magnésio está baixo o que conduz a dois resultados adversos para os ossos:

  • O primeiro é a diminuição na produção de osteoblastos jovens, e como tal há lugar a uma menor formação óssea.
  • Em segundo lugar há uma sobre activação dos osteoclastos, que são as células que destroem o osso, com a consequente perda de massa óssea.

A hipomagnesemia é frequente na população nomeadamente nos seniores. Isto é devido a má ingestão alimentar e ao depauperamento do magnésio nas colheitas. O magnésio é facilmente perdido por causa do stress e também no suor. É frequente as pessoas sentirem irritação, agitação, ansiedade e insónia devido ao baixo magnésio. Para além de uma dieta rica em frutos e vegetais, a suplementação com cerca de 300 mg de magnésio às refeições ajuda a suprimir este deficit.

Sex | 08.06.12

DEFICIT DE FIBRA ELEVA O RISCO DE DIABETES

Dr. Luís Romariz

Poucos adolescentes ingerem uma quantidade razoável de fibra, diariamente, o que acarreta sérias consequências para a sua saúde. Um estudo efectuado em mais de 550 jovens mostrou que apenas 33% deles ingeria uma quantidade adequada de fibra. A baixa ingestão de fibra está associada a um aumento da adiposidade abdominal visceral e a um aumento dos marcadores da inflamação com o consequente envelhecimento precoce e aparecimento de doenças degenerativas, sendo a diabetes a mais marcante. Ambos os níveis dos marcadores da inflamação estão associados a uma diminuição da sensibilidade à insulina que é o prenúncio da diabetes. Os estudos clínicos apontam para um aumento (23%) brutal na taxa de diabetes em jovens, o que acarreta consequências trágicas. Este aumento está associado a más escolhas alimentares como são a ingestão de alimentos processados com elevado índice glicémico e a ingestão de refrigerantes cheios de frutose, assim como se associa a uma queda na ingestão de fibra alimentar. O passo seguinte consiste em pensar em maneiras de fazer os jovens ingerirem mais fibra. Todos sabemos como é difícil conseguir que os adolescentes comam fruta e legumes, mas devemos pensar em maneiras para contornar este obstáculo.

Uma das hipóteses reside nos batidos de fruta, com um ou outro legume associado (cenoura por exemplo). A introdução da fibra solúvel da aveia é muito importante e pode ser efectuada através da confecção de panquecas ou pão caseiro. Claro que a opção SOPA, cada vez mais esquecida, é um contributo fulcral para minorar este problema. Mas tenham atenção que isto também é válido para os adultos!

Ter | 05.06.12

CUIDADOS COM OS PROTECTORES SOLARES

Dr. Luís Romariz

Com a aproximação do Verão, aparecem os conselhos acerca da exposição ao Sol e sobre a utilização de protecção solar. Mas antes de seguirem esses conselhos talvez seja útil pensar um pouco acerca do assunto.

As “guide-lines” sobre exposição solar estão formatadas para pessoas de pele clara a viverem em latitudes mais próximas dos trópicos do que a nossa latitude, ou seja, a exposição solar nas Caraíbas, na Austrália ou em Marrocos pouco ou nada tem a ver com a exposição solar em Portugal ou no reino Unido. Por sua vez é preciso fazer saber que a produção de vitamina D está dependente dos raios UVB e que não se efectua se usar protector solar A vitamina D é anticancerígena. Por outro lado os protectores solares apresentam frequentemente substâncias nocivas capazes de concorrer para o aparecimento de cancro da pele:

  • Oxibenzona
  • Retinil palmitato (uma forma de vitamina A)

 

Ao bloquearmos a produção de vitamina D perdemos os benefícios da sua acção:

  • Protecção contra o cancro
  • Aumento da força muscular
  • Dentes saudáveis
  • Tensão arterial normal
  • Boa imunidade
  • Saúde óssea e saúde cardiovascular

Assim, proponho que se exponham ao sol entre 20 a 30 minutos sem protector solar, e em seguida usem um protector livre de químicos nocivos

Pág. 2/2