Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Ter | 29.05.12

CERAMIDAS CUTÂNEAS

Dr. Luís Romariz

Praticamente, as maiores companhias de cosméticos investem enormes quantidades de dinheiro na investigação de moléculas orgânicas de características únicas chamadas ceramidas, as quais permitem o rejuvenescimento e a hidratação da pele. A ciência aponta para  que a ingestão de 200 mg de ceramidas proporciona uma hidratação de 95%, melhorando parâmetros como a pele seca e reactiva. Os ceramidas são compostos indispensáveis na luta contra o envelhecimento da pele. Até há pouco tempo pensava-se que as ceramidas apenas tinham acção local. Agora sabemos que quando ingeridas são acumuladas por síntese na camada mais externa da nossa pele, conferindo-lhe protecção e hidratação.

Os seres humanos requerem a barreira permeável protectora fornecida pela nossa pele, e esta barreira localizada na superfície da pele chama-se stratum corneum e inibe a perda de água. Ao fim de quatro semanas as camadas mais profundas da pele chegam à superfície e cornificam através da junção de ceramidas formando uma ténue mas eficaz camada protectora. Mais do que um problema cosmético, o envelhecimento da pele resulta também da perda de hidratação cutânea o que leva a riscos de inflamação, infecção, perda de resistência aos raios UV e aumento na sensibilidade da pele. As ceramidas ingeridas substituem directamente as que são perdidas na descamação normal das células cutâneas, bem como através da perda por lesão ou envelhecimento. Uma diminuição na quantidade das ceramidas resulta em pele seca e é a maior causa do aparecimento de rugas. Embora haja suplementos de ceramidas, a ingestão diária de aveia proporciona uma boa fonte de ceramidas. A melhor fonte dês ta substancias reside no tubérculo da batata Konjac cultivada no Sudeste Asiático.

Qui | 24.05.12

CÁLCIO: HERÓI OU VILÃO?

Dr. Luís Romariz

Uma questão muito actual consiste em saber o que causa morte súbita até às pessoas que tudo fazem para ser saudáveis. A minha resposta é que numa boa maioria dos casos há um factor precipitante catastrófico que inicia a cascata das alterações degenerativas que culminam com a morte. Um bom exemplo reside numa pessoa sénior com boa saúde e que faz uma fractura de uma perna; a combinação do trauma, inflamação, internamento, perda da mobilidade, stress resulta numa sindroma que conspira para causar a morte num relativo curto espaço de tempo. Ora os acontecimentos catastróficos não estão apenas ligados aos acidentes. O trauma cirúrgico ou uma diminuição temporária do fluxo sanguíneo podem iniciar uma espiral negativa da qual uma pessoa sénior não mais recupera. Uma das lesões cardiovasculares mais comuns nestas pessoas é a estenose aórtica, a qual é passível de prevenção e eventualmente de terapia médica. O que é válido para a prevenção da osteoporose e da ateroscleroe também é válido para a prevenção desta valvulopatia, pois previne a calcificação da válvula aórtica.A valvula aórtica controla a saída do sangue do coração para todo o corpo, podendo ficar calcificada e disfuncional. Isto acontece frequentemente devido ao trama cirúrgico e ao uso de Varfarina para controlar a fibrilação auricular. Ora nós temos à mão a possibilidade de prevenir esta alteração valvular e a consequente morte e insuficiência cardíaca. Para tal basta suplementar a nossa alimentação com vitamina K2 – M7 e vitamina D. Estas vitaminas impedem o cálcio de se depositar onde não é pretendido ao invés dos ossos. AQ verdade é que o cálcio é mantido pelo nosso corpo numa margem de variação muito estreita. No revestimento interno das nossas artérias há uma proteína – a MGP - que comanda a infiltração do cálcio nas paredes arteriais. Em certas lesões este mecanismo pode ser de reparação face a uma agressão vascular. Mas na generalidade causa transtorno arterial. Para que esta proteína não permita a infiltração de cálcio precisa da vitamina K2. As pessoas com boa ingestão desta vitamina têm uma redução do risco de morte por doença cardiovascular na ordem dos 57%. Claro que há outros factores envolvidos na ateroesclerose: alterações das “gorduras” no sangue, hipertensão, tabagismo e diabetes. Um factor precipitante quem abre caminho à lesão da parede das artérias com a consequente infiltração de cálcio como tentativa de reparação, é a homocisteína. Esta, é um aminoácido derivado das proteínas da nossa alimentação e que tem a capadidade de “arranhar” o interior das artérias. Um complexo B (vitamina B12+B6+ácido fólico) põe fim a esta ameaça. As doenças cardiovasculares ainda são a  maior causa de diminuição da nossa longevidade … e são perfeiotamente preveníveis!

Seg | 21.05.12

O STRESS SOBRE OS TELÓMEROS

Dr. Luís Romariz

Os telómeros são moléculas que protegem as extremidades do ADN, muitas vezes comparadas às terminações plásticas dos cordões. Eles impedem os cromossomas de se deteriorarem ou fundirem uns aos outros. De cada vez que os cromossomas se dividem para dar células jovens os telómeros encurtam até ao ponto em que não mais é possível dar células jovens. Aí, entramos em senescência e as células entram na fase de morte programada, no entanto isto pode ser revertido pela telomerase, enzima que volta a repor o comprimento dos telómeros. Descobriu-se que o stress afecta a telomerase acelerando o envelhecimento, sendo este fenómeno pior (5%) nas pessoas com depressão.

O uso de adaptogénios – substâncias naturais (normalmente ervas como o basílico) – e DHEA ajuda a a controlar os efeitos do stress. O efeito do exercício sobre o stress não é negligenciável. O resveratrol contido no vinho tinto também ajuda a manter o tamanho dos telómeros.

Seg | 21.05.12

TESTOSTERONA E SAÚDE

Dr. Luís Romariz

Os níveis de testosterona estão elevados na juventude e declinam durante o envelhecimento. Apesar de franca evidência sobre a sua eficácia, ainda é olhada com desconfiança na reposição hormonal da andropausa. Este preconceito causa AVC e ataques cardíacos desnecessários. O declínio na testosterona está associado ao excesso de gordura abdominal visceral, perda de sensibilidade à insulina e aterosclerose. A testosterona tem um papel fulcral na capacidade do colesterol HDL – o “bom colesterol” – remover o colesterol acumulado nas artérias, ao que se convencionou chamar transporte reverso, impedindo assim a formação de trombos oclusivos. Não deixe de pedir que lhe analisem a testosterona total e livre (entre 20 e 25), bem como o estradiol (deve estar entre 20 e 30) e no caso de alteração peça ajuda médica. Tenha também em conta que níveis diminuídos de testosterona propiciam o cancro da próstata. Finalmente, a deficiência conjunta de testosterona e vitamina D resulta num aumento no risco da mortalidade de 177%.

Dom | 20.05.12

BROMELAÍNA E FUNGOS: INTOLERÂNCIA AO GLÚTEN?

Dr. Luís Romariz

A bromelaína purificada – enzima extraída do ananás – tem uma elevada concentração em proteases alguma vez encontrada num produto natural. O nosso corpo fabrica naturalmente proteases com o intuito de combater a inflamação, excretar os tecidos lesados, e remover as cicatrizes. A bromelaína, sabemos agora, é capaz de inibir a proliferação de fungos em 90%. Um exemplo comum de fungo é a Cândida albicans a qual se está a tornar numa epidemia dado o uso irracional de antibióticos, especialmente quando se faz uma alimentação rica em açúcares ou com excesso de ingestão de álcool. A bromelaína dissolve as películas dos fungos inibindo a sua propagação que conduz frequentemente a problemas com repercussão no aparelho digestivo e nos seios perinasais – sinusite. A intolerância ao glúten é causada primariamente pelo crescimento excessivo de Cândida e outros fungos. Quando os fungos lesam o revestimento do intestino há um excesso de produção de uma substância filamentosa parecida com tecido de cicatriz – transglutaminase. Quando o glúten interage com esta substância ocorre uma reacção inflamatória, a qual induz maior lesão no revestimento intestinal. Claro que se baixarmos a transglutaminase diminuiremos o crescimento fungal, mas esta substância é resistente à degradação. Ora a bromelaina ao dissolver esta substância abre caminho para a cura.

Sex | 18.05.12

MAÇÃ MILAGROSA

Dr. Luís Romariz

Os polifenois são moléculas grandes e complexas encontradas exclusivamente nas plantas. Possuem características únicas que incluem a neutralização dos radicais livres e o respectivo abrandamento do envelhecimento. Também são modeladores da expressão genética. Controlam a glicação, principal fenómeno responsável pelo envelhecimento. A gestão das gorduras é fulcral para a saúde cardiovascular e para a prevenção da diabetes., pelo que o seu controlo tem impacto positivo na redução do risco de morte precoce. Os polifenois da maçã demonstraram grande capacidade para controlar a gordura corporal através de duas formas:

  • Modelando a forma como o corpo armazena a gordura. Os polifenois da maçã ajudam a combater a gordura visceral a qual representa um grave risco para a saúde.
  • Modelam a forma como absorvermos os triglicéridos e o colesterol alimentar ajudando a bloquear a acção da lipase que é responsável pela quebra de gorduras em triglicéridos, e expulsando pelas fezes. Também reduzem a adesividade entre as plaquetas inibindo a formação de trombos e portanto criando poucas hipóteses ao aparecimento de tromboses

Os polifenois da maçã encontram-se sobretudo na sua casca.

Seg | 14.05.12

NÃO SE ESQUEÇA DOS SEUS PÉS

Dr. Luís Romariz

Com o aparecimento do tempo quente também aparecem as sandálias … e os pés negligenciados. As bolhas nos calcanhares, as unhas grossas e amareladas por fungos, e as calosidades, são fruto da pouca consideração que temos pelos nossos pés e que nos causam problemas de saúde e má qualidade de vida. Quem tem fungos nas unhas dos pés deve fazer um despiste de diabetes o mais rapidamente possível, pois nesta doença a imunidade está comprometida abrindo as portas ao desenvolvimento dos fungos. Devemos dar uma especial atenção aos calcanhares e a todas as lesões dos pés – desde calosidades até às alterações das unhas – pois o normal é não haver qualquer tipo de alteração. O calçado desajustado causa fasceite – inflamação das estruturas moles dos pés o que perpetua os problemas. Alterne os saltos altos com calçado de conforto ou desportivo, tendo sempre o cuidado de arejar os pés para não criar um ambiente apropriado ao desenvolvimento de fungos. Pulverize os sapatos com um spray antigúngico. Os calos, as bolhas, e as alterações nas unhas são sinal de calçado desajustado ou de doença sistémica. Não hesite em consultar um podologista.

Massaje os seus pés para reduzir as dores e o stress!

Dom | 13.05.12

CURCUMINA TESTADA NO CANCRO DO CÓLON

Dr. Luís Romariz

Está a decorrer um estudo conduzido pelo Instituto Britânico do Cancro o qual procura avaliar o impacto positivo da curcumina, um dos compostos do açafrão, como adjuvante da quimiuoterapia no tratamento do cancro metastático do cólon. Este composto mostrou ser capaz de amplificar a capacidade que a  quimioterapia tem para exterminar as células cancerosas. Este tipo de canmcro é classicamente tratado com três tipos de medicamentos, embora cerca de metade dos doentes não responda ao tratamento que por sua vez provoca severos efeitos secundários como atingimento dos nervos. A capacidade que a curcumina tem para  aumentar a sensibilidade das células tumorais à quimioterapia abre novas portas ao tratamento deste tipo de tumor.

Qui | 03.05.12

VINHO OU CERVEJA?

Dr. Luís Romariz

Até há pouco tempo questionava-se qual o efeito do álcool na protecção cardiovascular do vinho. Os países não vitivinicultores puxavam a brasa à sua sardinha afirmando que o efeito cardioprotector do vinho era devido ao álcool. E eles produziam cerveja... Um relatório publicado no American Journal of Clinical Nutrition revela que o conteúdo em álcool e em polifenois apresentado pelo vinho é o responsável pelo benefício cardiovascular, embora de maneiras diferentes. Os investigadores descobriram que o álcool faz aumentar a citoquina anti-inflamatória interleucina-10, bem como reduz as moléculas inflamatórias derivadas dos macrófagos (uma das estirpes de glóbulos brancos). O efeito anti-inflamatório dos polifenois do vinho é muito marcado, à semelhança do que acontece com os frutos e vegetais. O efeito do álcool, por outro lado, deriva de um mecanismo de acção hermético, no qual doses pequenas e repetidas são protectoras enquanto uma dose maior é lesiva para a saúde. Por outro lado, o resveratrol (na dose de 8 mg dia) contido no vinho – especialmente no tinto – apresenta um efeito cardioprotector em ambos os sexos, diminuindo os factores de coagulação e os mediadores da inflamação. Em  conclusão: a escolha acertada recai no vinho tinto.