Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Seg | 30.04.12

O MITO DAS CALORIAS

Dr. Luís Romariz

Por definição, uma caloria é a quantidade de energia necessária para fazer subir em um grau a temperatura de um grama de água. Isto faz-se em laboratório num aparelho chamado calorímetro. Ora a maneira como se queima os nutrientes é completamente distinta consoante é efectuada num calorímetro ou no nosso corpo. Na realidade as calorias não são todas iguais. Vejamos alguns exemplos: a ingestão de 100 calorias de proteína obriga a um gasto energético de 30 calorias para as transformar dentro do nosso organismo. Restam então 70 calorias, e estas não têm a capacidade de libertar insulina – a hormona do armazenamento. Já se as calorias forem provenientes de gordura, para além de também não interferirem nos processos de armazenamento, são altamente saciantes. Todos sabemos que uma refeição gorda nos faz ficar sem fome durante muito tempo. O caso dos hidratos de carbono é completamente inverso. A ingestão dos HC faz libertar insulina, e o excesso de glicose oriundo da sua transformação é convertido a triglicéridos que se depositam nas artérias, nas vísceras e nos inestéticos “pneus”. O pior de todos os HC é a frutose pois quase toda é convertida pelo fígado em gordura, lesando o fígado – fígado gordo – com a continuação do processo. Daí devermos evitar os sumos (mesmo os caseiros feitos com fruta) e os refrigerantes. O álcool enferma de um processo similar. Segundo a investigação cientifica de ponta nós estamos preparados para consumir um máximo de15 gramasde frutose por dia, o que se encontra em média em duas peças de fruta. Assim, parece acertado ingerir uma peça de fruta – é conveniente variar – às refeições. Raramente temos o hábito de comer frutos secos, e no entanto são extraordinariamente saudáveis. Agora que se avizinha o tempo de por o corpo em evidência, devemos ter muito cuidado com o que comemos de maneira a  estarmos em boa forma e livres de doenças como a obesidade, diabetes, cardiovascular, etc. É que as calorias não são todas iguais ...

Sab | 28.04.12

MORANGOS CONTRA A DEMÊNCIA

Dr. Luís Romariz

Um artigo cientifico publicado na revista médica Annals of Neurology relata o efeito protetor das dietas que contêm elevado consumo de bagas, nomeadamente mirtilos e morangos, em relação ao declínio cognitivo cerebral. As bagas são extremamente ricas em compostos antioxidantes favonoides, os quais reduzem o impacto negativo da inflamação e stress sobre a função cerebral. Foram avaliadas mulheres com idades compreendidas entre os 30 e os 55 anos as quais faziam parte do Nurses' Health Study. A função cognitiva  foi avaliada nas 16010 participantes,  que agora tinham idades acima dos 70 anos, a cada dois anos. O consumo de elevadas quantidades de mirtilos e morangos estava associado a um menor declínio da função cerebral, resultando num abrandamento do envelhecimento cerebral de 2.5 anos. Um reforço da ingestão de outras classes de flavonoides estava associado a um abrandamento do declínio ainda maior. O consumo destas bagas também mostrou ter impacto positivo na memória, pois os flavonoides são capazes de atravessar a barreira hemato-encefálica (tipo de firewall que protege o cérebro de substancias estranhas). Aproveitem esta informação e a época fértil em morangos – os mirtilos são bem maias caros – para consumir o máximo possível ao menor preço. Também podem congelar os morangos ou até desidrata-los. Uma boa sobremesa consiste num gelado de morango de simples confeção: bate-se os morangos num liquidificador juntamente com whey de morango e natas. Vai ao congelador. Também podem prescindir do whey substituindo-o por folhas de gelatina.

 

Sex | 27.04.12

CONTROLE A TENSÃO ARTERIAL

Dr. Luís Romariz

Se você sofre de hipertensão arterial, um dos principais assassinos da actualidade, então vai querer saber como se pode controlar a TA sem tomar fármacos químicos. Uma das opções recai na alimentação pois quanto mais hidratos de carbono se ingerirem, nomeadamente os de elevado índice glicémico, mais ácido úrico se produzirá o que bloqueia a enzima que produz o óxido nítrico, o qual dilata as artérias promovendo uma diminuição dos valores da tensão arterial (TA). A ingestão de proteínas, especialmente as mais ricas em arginina, promovem a síntese do óxido nítrico e consequentemente baixam a TA. O exercício físico também promove a diminuição e estabilização da TA. Mas isto você já sabe... o que talvez não saiba é que o complexo B, nomeadamente o ácido fólico e a B6, tem a capacidade de diminuir naturalmente a TA por interferirem com a produção do óxido nítrico – o tal que dilata as artérias. O magnésio também melhora a TA, embora por outro mecanismo, promovendo a dilatação das artérias. Claro que tudo que promove a dilatação das artérias também promove a saúde cardiovascular e o desempenho sexual – dilata as artérias do pénis (este é o mecanismo de acção do Viagra). A ingestão/suplementação de vitaminas B também impede a formação de um subproduto proteico – a homocisteína – o qual é capaz de lesar as artérias por dentro. Na minha prática clínica proponho a suplementação com 240 mg de magnésio, 50 mg de vitamina B6 e 2.5 mg de ácido fólico duas vezes ao dia. E já agora não se esqueçam de outra vitamina capaz de regular a TA e que é completamente grátis... a vitamina D formada a partir da exposição solar sem protectores.

Seg | 23.04.12

COMO MANTER AS COSTAS SAUDÁVEIS

Dr. Luís Romariz

O tratamento das lombalgias está a modificar-se. Agora valoriza-se o papel central do exercício e a sua importância na manutenção de uma região lombar saudável. Também se está a triar melhor quais os candidatos a cirurugia. A lombalgia tem diversas causas, incluindo o desgaste que acompanha o envelhecimento. Mas enquanto não conseguirmos atrasar o relógio biológico, há coisas que podemos fazer para melhorar:

  • Ficar em forma. Músculosabdominais e lombares fracos causam ou exacerbam as lombalgias. Esta é uma das razoes pelas quais os alongamentos dos abdominais e lombares são importantes para o tratamento da lombalgia, e para a sua prevenção. O exercício também fortalece e alonga os músculos que suportam a coluna vertebral. Isto permite uma postura correcta que ajuda a manter as dores afastadas.
  • Manter o peso corporal correcto. Coma poucos hidratos de carbono.
  • Acabar com o vicio. Você já ouviu isto antes, mas deixe de fumar. A nicotina contribui para a dor lombar.
  • Aligeirar as cargas. Isto é especialmente válido para quem carrega mochilas.
  • Desenvolver hábitos saudáveis. Evite actividades como usar o aspirador, estar demasiado tempo sentado ao computador. Vá mudando de posição frequentemente.
Seg | 23.04.12

CRUCÍFERAS E CANCRO

Dr. Luís Romariz

Os vegetais da família das crucíferas – brócolos, couves, couve-flor, etc. – ajudam a prevenir os cancros da mama e próstata. Os indóis são compostos orgânicos que têm um impacto positivo na saúde das células, sendo o diindolmetano o mais poderoso tendo acção de aumento da imunidade e de reequilíbrio hormonal nomeadamente ao nível dos estrogénios. De facto, estes compostos favorecem a transformação dos estrogénios que produzimos e dos alienígenas em produtos inócuos não cancerígenos. Certos metabolitos dos estrogénios têm acção cancerígena, especialmente quando associados à obesidade, á exposição a químicos e outros tóxicos ambientais, mas o diindolmetano têm a capacidade de fazer com que a transforação seja no sentido de metabolitos inofensivos. O sulforafane dos brócolos é o indol que maior e melhor protecção confere. Os tecidos da mama e próstata, a par de outros, são os tecidos mais sensíveis a estas biotranformações perniciosas. Podemos fazer um teste de metabolitos dos estrogénios na urina e ficar a saber qual a nossa tendência para transformar os estrogénios. Como ponto de partida ingira cerca de 100 gramas de brócolos por dia.

Qua | 18.04.12

BAIXE A TENSÃO ARTERIAL NATURALMENTE

Dr. Luís Romariz

Um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition mostra que as pessoas com maior ingestão de ácido fólico (especialmente se jovens) têm um significativo menor risco de desenvolver HTA (hipertensão arterial) durante um período de 20 anos. Foram avaliados os dados de 4400 pessoas com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos. A diminuição da incidência de HTA foi menor em cerca de 52% quando comparada com as pessoas que ingerem pouco folato. Esta diminuição foi de 67% entre as pessoas de raça branca. A razão para este facto reside na diminuição da disfunção endotelial – o que sempre foi relatado pelo Nobel “pai” da descoberta da função do óxido nítrico nas artérias. Também há uma diminuição dos valores da tensão mínima e máxima nas pessoas com elevada ingestão de vitamina C, nomeadamente cerca de 2 gramas diários. O mecanismo de acção envolvido também está relacionado com a produção de óxido nítrico e a disfunção endotelial. Como já tenho explicado, as artérias dilaram-se na presença do óxido nítrico permitindo um maior fluxo de sangue e portanto uma menor tensão arterial.

Seg | 16.04.12

DIM

Dr. Luís Romariz

Quer os homens, quer as mulheres produzem estrogénios. Estes efectuam actividades benéficas para ambos os sexos; contudo, a maneira como o corpo metaboliza (isto é, transforma) os estrogénios é importante para a manutenção da saúde. O DIM (diindolmetano) é um composto orgânico natural que promove um metabolismo estrogénico saudável bem como aumenta a capacidade natural do corpo queimar gordura. O DIM é um fitoquímico natural que ocorre em pequenas quantidades nas crucíferas (couves, brócolos, etc.) mas do qual dispomosem suplementos. Asuplementação promove um correcto e saudável metabolismo estrogénico, capaz de diminuir o risco de cancro e de promover o peso certo bem como bons ossos. São causas de deficiente metabolismo estrogénico:

  • Obesidade
  • Stress
  • Deficiente função hepática
  • Exposição a químicos e tóxicos ambientais
  • Envelhecimento, menopausa e andropausa
  • Más escolhas alimentares e deficiências nutricionais
  • Álcool em excesso

 

Os homens não estão livres das alterações do metabolismo estrogénico, podendo sofrer de :

  • Queda de cabelo
  • Problemas da próstata
  • Ateroesclerose
  • Ginecomastia (aumento dos peitos)
  • Perda da líbido

Nas mulheres pode existir:

  • Tensão mamária e dor nas mamas
  • Retenção de água
  • Irregularidades menstruais
  • Síndroma pré-menstrual
  • Diminuição da líbido
  • Fibromas uterinos

Todas estas condições beneficiam da suplementação com DIM, baixando a inflamação e maximizando as enzimas benéficas pois actua como antioxidante.

Dom | 15.04.12

CONTROLAR O FERRO PODE REDUZIR ALZHEIMER

Dr. Luís Romariz

Um relatório publicado no Journal of Alzheimer's Disease sugere que mantendo o ferro sérico baixo e suplementando com antioxidantes poderá proteger o cérebro de algumas das alterações associadas à doença de Alzheimer. De facto, o nosso organismo trata o ferro como se do núcleo de uma central atómica se tratasse. O ferro é envolvido por uma proteína – a ferritina – e uma vez integrado na hemoglobina (o pigmento que transporta o oxigénio no sangue) fica fora do contacto descontrolado com o oxigénio. Este contacto descontrolado que provoca lesões irreversíveis por produção de radicais livres é o responsável pelas lesões associadas a obstruções trombóticas vasculares. As causas do Alzheimer ainda não são bem conhecidas, mas há um número de factores que sugere um aumento no risco de contrair esta patologia. A ingestão de uma dieta capaz de fazer aumentar o “mau” colesterol, como é o caso das dietas ricas em hidratos de carbono, resulta em alterações características com deposição de ferro e proteína beta-amiloide no cérebro.

Sab | 14.04.12

DEPRESSÃO E ALIMENTAÇÃO

Dr. Luís Romariz

A depressão é uma condição ainda incompletamente compreendida. As escolhas alimentares têm impacto no estado de espírito. A investigação médica mostra que há muitas variáveis associadas com a dieta e o humor, incluindo os padrões alimentares, os alimentos específicos, e a acção dos nutrientes no cérebro. Há evidência de que uma dieta com bastante sal, açúcar e óleos vegetais ou gorduras hidrogenadas podem ser parcialmente responsáveis por problemas de depressão. Os alimentos integrais não processados, a fruta e os vegetais, e o peixe azul são bons para o humor, enquanto os doces, os hidratos de carbono refinados, e as frituras são um risco para sofrer de depressão. A dieta conducente a depressão é uma dieta inflamatória associada a um aumento da proteína C reactiva e a doenças degenerativas. A dieta Mediterrânea por ser rica em gorduras saudáveis como o azeite, peixe com ómega-3, frutos e vegetais, fibra e complexo B, bem como imensos antioxidantes, torna-se protectora em relação às depressões – para além de ser anti-inflamatória. Muitos dos seus nutrientes aumentam os níveis de serotonia e dopamina, os neurotransmissores-alvo dos medicamentos anti-depressivos. Estes têm sido associados a má saúde óssea, a doença cardiovascular e a AVC (trombose cerebral). Invista na sua alimentação ingerindo salmão selvagem, aveia integral, lentilhas, ervilhas, frutos secos e amoras; camarão, melancia, pimentos, alho e ovos também são óptimos para a felicidade. O cacau e os frutos são outra escolha saudável, e o exercício complementa bem a dieta aconselhada.

Qua | 11.04.12

DICAS PARA EMAGRECIMENTO

Dr. Luís Romariz

A revista Journal of Biological Chemistry publicou  um estudo da Universidade de Perdue acerca da capacidade do piceatanol poder prevenir a formação de células de gordura ao impeder o seu crescimento.  O piceatanol é um análogo do resveratrol, encontrado nas uvas e noutros frutos, o qual é covertido em piceatamol dentro do nosso organism logo após a sua ingestão. Este micronutriente liga-se aos receptores insulínicos dos adipócitos (células de gordura) e impedem o seu controlo por parte da insulina, impedindo o crescimento da gordura. Bom de mais para ser verdade, mas real, é o facto do chocolate promover um menor índice de massa corporal. Isto foi comprovado e publicado nos Archives of Internal Medicine. Um elevado IMC associa-se à diabetes e a doença cardiovascular. Foram analisados os dados de uma população saudável de 1017 pessoas entre os 20 e os 85 anos, e chegou-se à conclusão de que quem ingeria chocolate mais vezes por semana tinha um menor índice de massa corporal. Quanto menos açúcar tiver o chocolate melhor é o efeito.

Pág. 1/2