Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Seg | 06.02.12

GORDURA ANIMAL

Dr. Luís Romariz

Um novo estudo Holandês está a levantar grande expectativa, especialmente porque pouco antes a Dinamarca tinha imposto uma taxa sobre a gordura saturada. Este estudo mostra que a ingestão de gordura saturada – animal – está associada a um ligeiro aumento do colesterol total, mas não está associado a doença cardiovascular. O que não me espanta pois estamos preparados desde há milhões de anos para ingerir gordura animal – a qual é bom que se diga é composta maioritariamente por ácidos gordos não saturados – ao contrário dos hidratos de carbono que cada vez mais substituem as gorduras nos alimentos processados. Vou repetir o que escrevo e digo há anos: substituir as gorduras animais da nossa alimentação tradicional, como carne de vaca biológica (pasto), manteiga, etc., por hidratos de carbono como o pão, baguetes, massa, arroz e donuts, é correr para a obesidade, doença cardiovascular e diabetes. De facto, as gorduras saturadas são boas para a nossa saúde, embora muita gente possa ficar surpresa ou chocada. Há uma informação errada sobre a gordura animal que é aproveitada pela industria alimentar dos óleos e margarinas vegetais, estes sim os grandes vilões da nossa alimentação dado que os óleos polinsaturados são necessários em pequenas quantidades e na sua forma original de frutos e sementes. O seu excesso provoca desequilíbrios hormonais fatais que nos conduzem à doença, embora mais uma vez sejam os hidratos de carbono através da insulina a dar o golpe fatal. O processamento dos óleos vegetais – pressão extrema, valor, e solventes – causa a sua perda de qualidade para alimentação humana. Durante a nossa evolução ingerimos maioritariamente gordura animal, e ainda cá andamos … A gordura animal é fundamental para termos boas membranas celulares, boa imunidade, equilíbrios hormonais e saciedade. A PROVA VIVA RESIDE NA SAÚDE de tribos como os Esquimós, os Massai, e outros. A demonização da gordura saturada teve início em 1953 quando o epidemiologista americano Dr. Ancel keys elaborou o estudo Seven Countries. Neste, clamava o efeito nocivo da gordura na doença cardiovascular e na obesidade. Esqueceu-se de avaliar o outro braço do estudo – o dos hidratos de carbono. Erro fatal em estudos epidemiológicos, que por si só deveria ter inviabilizado as conclusões, mas …isso foi muito bem aproveitado pela industria alimentar dos óleos e margarinas vegetais – e como as pessoas acham que tudo o que é vegetal é bom …deu no que deu! Cada vez mais há doença cardiovascular e obesidade, apesar de cada vez menos os alimentos e a alimentação têm gordura substituída por HC. Até conseguiram convencer comunidades que ignoravam o que era um ataque cardíaco de que o óleo de coco era mau por ser saturado. Mudaram para os óleos alimentares Ocidentais … e passaram a estar na média … dos ataques cardíacos! Até o director do estudo de Framingham, sobre a saúde cardiovascular, constatou que quanta mais gordura animal comia as populações, mais colesterol total e menor doença cardíaca. Como não se encontra resposta, chamam paradoxo, Francês, Espanhol, Grego, etc. …! De todos os HC conhecidos na nossa alimentação o mais pernicioso é a frutose, a qual é quase inteiramente convertida em TG – gordura fatal. A reter:

  • Novo estudo Holandês mostra que a ingestão de gordura animal é benéfica para a nossa saúde
  • A gordura animal é boa para os humanos; o nosso corpo não funciona devidamente sem ela. Os estudos contra a ingestão de gordura estão falseados.
  • Para obviar devemos diminuir a ingestão de HC, nomeadamente a frutose, estes sim … aterogénicos.

HÁ ALGO EM QUE GOSTAVA QUE REFLECTISSEM: o melhor alimento para nós, pelo menos enquanto somos mais frágeis e vulneráveis, é o leite materno. Neste as calorias oriundas da gordura animal representam mais de 50% ... dá que pensar!

 

Dom | 05.02.12

PREVENIR O CANCRO

Dr. Luís Romariz

O estilos de vida são responsaveis por cerca de 40% dos cancros que ocorrem nas mulheres e por cerca de 45% dos casos nos homens, podendo estes casos ser prevenidos por uma vida mais saudável. Um relatório sobre cancro imanado do Cancer Research UK relata que mais do que 100.000 cancros anuais são causados por factores de estilo de vida – tabagismo, má alimentação, álcool e excesso de peso – e o número aumenta para 134.000 ao ano quando se tem em conta os estilos de vida mais os factores ambientais como a poluição, por exemplo. A investigação mostra que o tabagismo é causa de 23% dos cancros no homem e 15.6% nas mulheres, sendo responsável pelo cancro do pulmão e da bexiga entre outros. Por outro lado 4% dos cancros estão relacionados com a exposição a químicos no local de trabalho e 3% têm origem em infecções. De todos os cancros, 34% estão ligados ao tabagismo, alimentação e consumo de álcool e excesso de peso.  Nos homens, 3.1% dos casos tem ligação com a falta de consumo de fruta e legumes, 4.6% relaciona-se com o consumo de álcool e obesidade, e 3.5% com a exposição a lâmpadas ultravioleta (bronzeamento artificial); nas mulheres estas causas representam valores próximos. Ora, podendo nós prevenir o aparecimento deste tipo de doenças devastadoras, só a ideia fixa de que estas doenças e o prazo alargado entre a exposição e o seu aparecimento apenas acontecem aos outros é que podem justificar tanta inércia na sua prevenção. Mais uma vez: optimizem as vossas hormonas – não esquecam a tiróide – façam exercício físico regular e comam de forma inteligente e natural (fujam aos plásticos, privilegiando o vidro).

Qui | 02.02.12

AVC E DEMÊNCIA

Dr. Luís Romariz

Aproximadamente 20% dos sobreviventes de AVC (trombose cerebral) desenvolverão problemas cognitivos (pensamento, memória, atenção, etc.) mais tarde, incluindo demência. Os peritos apontam para a possibilidade de relação entre as lesões vasculares e a doença de Alzheimer o que é mais uma razão para sermos mais vigilantes nos nossos esforços de prevenção em relação aos AVC, nomeadamente aos micros trombos. A demência vascular ocorre quando há uma diminuição franca do fluxo sanguíneo cerebral, normalmente fruto de micro trombos arteriais, cujo resultado é lesão dos tecidos com a consequente alteração da capacidade cognitiva. O envelhecimento, a aterosclerose e a disfunção endotelial são os maiores factores de risco desta patologia que pode ser prevenida controlando

·         a hipertensão arterial e as lipoproteínas LDL (vulgo mau colesterol)quer através de dieta e de exercício físico, quer de medicação

·         o tabagismo

·         a diabetes

·         a disfunção endotelial - ver posts sobre este assunto

Os sinais de demência vascular podem desenvolver-se muito lentamente após a ocorrência dos AVC menores e assintomáticos, dificultando o relacionamento entre a ocorrência do AVC e os sintomas. Estes podem ser: perda de memoria, dificuldade na concentração; incapacidade de executar tarefas simples, alterações do comportamento ou da personalidade incluindo agitação, agressão ou depressão.

Qua | 01.02.12

ESFORÇOS PARA EMAGRECER, É SÓ DESILUSÃO?

Dr. Luís Romariz

Tenho recebido feed-back de pessoas que têm sido diligentes na sua determinação em perder peso – leia-se gordura – e melhorar a sua forma física mas nada parece fazer efeito. Após meses de esforços consistentes mal perderam um quilograma ou viram a sua cintura reduzida em mais do que um centímetro. Põem-se a questão: poderá ser um problema da tiróide? Mesmo os que foram diagnosticados com hipotiroidismo poderão questionar a dosagem ou o tipo da sua medicação. A maioria fica presa ao dilema de ter de ganhar ainda mais peso ao usar a levotiroxina. A pesquisa médica demonstra que muitas pessoas ganham peso quando lhe é prescrita apenas a levotiroxina – letter, eutirox, thyrax, etc., e as correcções de dose são única e exclusivamente baseadas nos níveis de TSH. As minhas preocupações em relação ao peso não se prendem com o facto de cabermos bem ou não nos jeans preferidos. Quando as pessoas me perguntam se as posso ajudar em relação ao excesso de peso, a minha resposta é invariavelmente “posso ajudá-la em relação à sua saúde e peso ideal se quiser ajudar a si própria”. O excesso de peso não é apenas uma questão de imagem e vaidade, é muito mais pois pode aumentar o potencial de doença. Apenas 7 a 15 quilos extra são o suficiente para multiplicar o risco de um ataque cardíaco, diabetes, ou cancro em 6 vezes. As estatísticas recentes mostram que mais de metade da população tem excesso de peso ou é obesa. As campanhas de educação pública, embora incipientes, não parecem resultar. A taxa de obesidade aumentou cerca de 40% na última década, e apresenta proporções epidémicas. Não somos vítimas da nossa genética, antes sim de más escolhas de estilo de vida. O custo da obesidade é astronómico e põe em risco a saúde dos sistemas de saúde. A regulação hormonal da tiróide é um factor essencial frequentemente ignorado ou relegado nas discussões sobre a obesidade. E afinal de contas pode ser o elo perdido nos esforços para emagrecer. Quando consideramos a epidemia global de problemas da tiróide teremos de perguntar quanto dinheiro gasto em tratamentos de obesidade seria mais bem empregue no diagnóstico e tratamento do hipotiroidismo subclínico. Claro que a alimentação e o exercício, mais a primeira do que a segunda, são cruciais. Dado que a nossa genética permanece imutável em relação ao século passado teremos que nos questionar sobre o que é que mudou em tão pouco tempo de forma a provocar esta epidemia de obesidade. O que ressalta de evidente é que passamos a comer cada vez mais alimentos refinados e altamente processados à base de hidratos de carbono – sendo a frutose a vilã – e de gordura alienígenas, esquecendo o nosso tipo tradicional de alimentação mediterrânica. Cada vez que retiram gordura dos alimentos processados, aumento o teor dos hidratos de carbono de alto índice glicémico. Afinal de contas, têm de pôr lá qualquer coisa …! Brevemente abrirá a época das dietas e dos medicamentos milagrosos para abater as gorduras indesejadas. Faz-se de tudo para poder parecer bem, pois finalmente vem aí a Primavera …Mas é Sol de pouca dura, pois o que deve ser consistente é mais penoso e é fácil tomar o caminho mais fácil!

O facto é que cada vez que fazemos dieta ou tomamos esses tais comprimidos o nosso corpo reaje baixando o metabolismo – hipotiroidismo tipo 2 – e invariavelmente os esforços vão por água abaixo. É que fomos forjados numa evolução de milhões de anos de penúria alimentar, e não vai ser agora que o nosso corpo vai abrir mão das nossas reservas … a menos que tenhamos uns truques na manga!

Pág. 3/3