Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Qui | 29.12.11

ALIMENTOS NEGROS: NUTRITIVOS E COM CLASE

Dr. Luís Romariz

Os Chefs  preparam alimentos negros por causa da sua tonalidade ficar muito bem para decorar um prato; mas esses alimentos são também muito nutritivos e dão um impulso na saúde. Os especialistas gourmets sabem que a cor negra provém das antocianinas – flavonoides antioxidantes – que protegem as plantas da oxidação, das doenças e da lesão da radiação solar. Dentro do nosso corpo as antocianinas actuam como agentes antioxidantes protegendo-nos de doenças como Alzheimer, diabetes, cardiovascular e alguns cancros, ao mesmo tempo que contribuem para a melhoria da saúde em geral. Por exemplo, o arroz negro o qual contém enormes quantidades de vitamina E é conveniente à imunidade e tem maior teor de antocianinas do que os mirtilos – padrão de riqueza em antocianinas; 1 chávena de lentilhas negras contém 8 miligramas de ferro, cerca de metade da dose diária recomendada, enquanto o feijão preto é riquíssimo em flavonoides. As amoras negras, grande fonte de fibra, são uma escolha fantástica como ingrediente para as sobremesas. Contêm polifenois que ajudam a minorar o declínio cognitivo (cerebral). Como bebida podemos escolher o chá preto que é rico em teflavinas que aumentam a recuperação do esforço muscular após exercício intenso.

Ter | 27.12.11

O IMPACTO DA VITAMINA D

Dr. Luís Romariz

Uma meta análise (estudo sobre grandes estudos médicos) revelou uma associação entre níveis reduzidos de vitamina D e aumento do risco de morte por qualquer causa durante um período que pode ir até 27 anos. Quando se analisou os estudos sobre a relação dos maiores níveis desta vitamina versus os menores, havia um risco de morte 29% menor nos que tinham os melhores níveis – acima de 46.1 ng/ml. Embora ainda não esteja claro qual o mecanismo pelo qual a vitamina D está envolvida na longevidade, sabemos que quando se desliga – em animais de laboratório - os receptores celulares desta vitamina aparecem doença cardiovascular e doenças metabólicas as quais diminuem a longevidade. A insuficiência em vitamina D nos humanos está associada a doença cardiovascular, cancro, diabetes e a doenças respiratórias. Adicionalmente, esta vitamina foi positivamente associada ao aumento do comprimento dos telómeros, os quais aumentam a renovação celular e consequentemente a longevidade. Este tipo de estudo tem um enorme impacto dado que a maioria da nossa população apresenta níveis insuficientes em vitamina D. Embora reduzida, a minha estatística apresenta cerca de 95% de níveis insuficientes nos meus pacientes – os quais são oriundos desde o Minho ao Algarve …

Seg | 26.12.11

STOP: SERMOS COZINHADOS VIVOS

Dr. Luís Romariz

Há muito que sabemos que os diabéticos envelhecem mais rapidamente do que as outras pessoas. Ao mecanismo por detrás da destruição celular chamamos glicação – a perigosa ligação não enzimática entre açúcar e proteínas. A resultante glicose/proteína é conhecida como AGE (produto final da glicação). O processo é similar ao que ocorre quando cozinhamos carne a alta temperatura. Esta fica acastanhada, processo que ocorre igualmente nos nossos tecidos vivos sempre que há excesso de açúcar. Aqui é a temperatura contínua a 37ºC e a acção permanente dos radicais livres que transformam as nossas proteínas em substâncias disfuncionais. Isto foi ver ficado laboratorialmente sempre que a glicemia (açúcar no sangue) passava dos 85 mg/dl, o que ocorre após uma refeição moderna. A lesão infligida pela glicação é irreversível. Felizmente, podemos usar um parente da vitamina B1 – a benfotiamina – que nos protege deste fenómeno corrosivo. Nova evidência confirma a acção de diminuição do risco de doença cardiovascular, AVC, insuficiência renal e perda de visão consubstanciada pele benfotiamina. Num processo em tudo similar ao que se obtém ao assar a carne – reacção de Maillard – o nosso corpo é lentamente cozinhado pelos açucares, acelerando imenso o processo do envelhecimento por dar origem aos AGE’s que despoletam uma reacção contínua de inflamação. Ora sabemos perfeitamente que uma inflamação de baixo grau, crónica e contínua, conduz às doenças degenerativas características do envelhecimento nomeadamente:

•Aumento do “colesterol” e aterosclerose

•Aumento no risco de AVC por aterosclerose da carótida

Alterações do ritmo cardíaco seguidas de ataque cardíaco

•Cataratas

•Aumento no risco de todos os tipos de cancro

•Aumento das enzimas hepáticas

•Aumento na incidência de apneia do sono

As artérias são revestidas interiormente por uma finíssima camada unicelular – endotélio – o qual regula o fluxo sanguíneo e a tensão arterial. A lesão do endotélio, tal como decorre do aumento dos açúcares, leva aos ataques cardíacos (enfarte do miocárdio) e trombose cerebral (AVC). Ora a benfotiamina bloqueia esta lesão por parte da glicose tornando-se num auxiliar precioso na luta contra a glicação, quer aumentando a produção de óxido nítrico quer exercendo uma acção antioxidante directa. Felizmente, os meus doentes tomam este precioso nutriente no “multiessencial” – formulação poliantioxidante, vitramínica e mineral – desde há vários anos, bem como o ácido alfalipóico que combate também a glicação. Claro que o exercício físico, ao consumir glicose, diminui a glicação, e isto conjugado com uma alimentação de baixa carga glicémica rejuvenesce-nos.

Qui | 22.12.11

MAGNÉSIO E ALZHEIMER

Dr. Luís Romariz
Alguns factos são tão aterradores que as pessoas preferem ignora-los. Um estudo de opinião revela que a doença de Alzheimer é a segunda patologia mais temida... logo a seguir ao cancro. No entanto muitos cancros são curáveis, enquanto o Alzheimer mata insidiosamente cada uma das suas vítimas. Esta doença tem uma incidência aumentada exponencialmente à medida que envelhecemos. Aos oitenta anos é cerca de 30%. Se por um lado as probabilidades de desenvolver este tipo de demência se tornam elevadas, por outro lado há alguma razão para optimismo. Já se identificaram factores que aumentam o risco de Alzheimer, nomeadamente a resistência à insulina – considerando-se a doença de Alzheimer como a 3ª forma de diabetes - e a inflamação silenciosa cerebral. Nutrientes como a curcumina que anula a enzima infamatória 5-LOX, e o DHA que sendo um dos componentes do óleo de peixe é também estrutural em relação ao nosso cérebro ajudam a diminuir o risco de contrair esta doença. A perda de sinapses – ligações entre os neurónios – pode despoletar o aparecimento desta patologia demencial. O magnésio tem aqui um papel crucial pois ele é necessário a mais do que 300 reacções bioquímicas corporais. Ele mantêm os músculos e nervos com uma função normal, mantém o ritmo cardíaco bem como a saúde óssea. Também ajuda a regular o açúcar sanguíneo, a tensão arterial, e está ligado à produção de energia celular. Outrops nutrientes suplementares são a EGCG (principal activo do chá verde), o ácido alfa-lipoico, a NAC (n-acetilcisteína), a vitamina C, o ácido fólico e o complexo B. A imagem de marca desta patologia – deposição de substância beta-amiloide em placas cerebrais – diminui após a suplementação com os referidos nutrientes. Nunca esqueçam o mpoder do exercício físico nomeadamente cardio, pois já foi demonstrado o rejuvenescimento cerebral após suplementação com o ómega-3 DHA e marcha vigorosa.
Sab | 17.12.11

ANIQUILE OS VELHOS HÁBITOS EM 21 DIAS

Dr. Luís Romariz
Talvez custe abandonar os velhos hábitos. Desejar acabar com eles não chega, por si só! E não é apenas uma questão de força de vontade, pois é preciso persistência e paciência para obter os resultados esperados. Por exemplo, digamos que tem vontade de acabar com os doces. Deverá começar por ignorar os seus “apelos” nas confeitarias/hipermercados, quanto mais não seja pedindo a alguém que lhe execute a sua lista de compras. Eliminar um velho e mau hábito e/ou iniciar um novo demora em média 21 dias, portanto não desista à primeira. Eis alguns conselhos que podem ajudar: • Faça as compras em boa companhia, preferencialmente com alguém que a ajude a mudar os tais hábitos. O pior que pode fazer é ir às compras sozinha. • Comunique. Falar com as outras pessoas acerca das suas alterações de vida pode ajudar a atingir os seus objectivos e a ajuda dos outros. • Planifique as alterações, pois nem sempre se fazem do dia para a noite. Anote as suas vitórias e as pequenas derrotas, aprendendo com estas. • Concentre-se numa ou duas coisas que gostaria de mudar. Os objectivos vastos levam ao insucesso. Por exemplo, opte por exercício físico e só depois de conseguir que ele seja um hábito enraizado e que deve partir para uma alimentação saudável. • Nunca desista. É possível que cometa alguns erros, mas você não é pessoa para desistir … Um dos seus objectivos de ano novo poderá ser comer os alimentos o mais crus possível, embora isto lhe possa parecer absurdo à primeira vista. Bem, pense no seguinte. Já alguma vez comeu uma peça de fruta crua ou uma cenoura? E saladas? Se já o fez, então comeu alimentos crus! A vantagem reside no facto de se manterem todas as propriedades dos alimentos, inclusive as enzimas que são importantes para uma boa digestão. Os maiores benefícios desta politica alimentar são: •Ganhar nutrientes que doutro modo seriam perdidos •Ingerir menor quantidade de gordura •Perder mais massa gorda e consumir menos “calorias” •Comer menos, pois os alimentos crus são mais saciantes •Ingerir alimentos com menor índice glicémico •Evitar a sensação de distensão abdominal típica da ingestão dos hidratos de carbono •Desintoxicar o organismo, melhorando também a qualidade da pele •Melhorar a saúde de uma forma geral Então por onde começar? Talvez por assistir ao vídeo http://www.youtube.com/ watch?v=U-EnDT3DAkQ. Na senda das alterações, talvez deva considerar a introdução de batidos de proteína – whey – na sua alimentação. São de fácil digestão, de baixo índice glicémico, de alta qualidade nutricional e valor biológico. Estes batidos aumentam a força e a massa musculares, e se ingeridos 30 minutos antes de ir para a cama favorecem a produção de hormona do crescimento – a nossa hormona do rejuvenescimento. Também nos ajudam a recuperar do exercício e a reparar os músculos. A pesquisa aponta para o facto de que os adultos que suplementam a alimentação com 10 gramas de proteína, 8 de H.C. e 3 de gordura saudável têm menos infecções e dores musculares. Não se esqueça da saúde do seu coração nos desejos de ano novo, e o exercício cardio intervalado é o melhor que lhe pode oferecer. E ele bem merece, pois bate 100 000 vezes por dia, bombeando cerca de 7 500 litros de sangue.
Ter | 13.12.11

OPRAH & ...

Dr. Luís Romariz

Comentário:
Sou imigrante portuguesa no Canada.
Tenho algumas amigas aqui que fazem o tratamento com Hormonas bio identicas e com 65 anos e mais sentem-se como se tivessem 30 pois algumas tinham problemas de saude a seguir a menopausa.
Tenho andado a pesquizar em Portugal so existem um sitio no Porto onde fazem
Claro que pelo que vejo e mesmo o tratamento do futuro so e pena nao haver mais medicos a interessarem-se ate aqui na cidade de Toronto ha poucos mas temos um que e reconhecido internacionalmente e pena este tratamento ficar tao caro nem todas as pessoas o podem fazer pode ser que no futuro tudo mude acredito em tudo o que tenho lido nos livros de suzanne somers ela esta a ajudar a mudar o mundo da medicina para melhor-

Ter | 13.12.11

A QUECERTINA PROTEGE-NOS DO BISFENOL-A

Dr. Luís Romariz

Um recente estudo com importantes implicações na saúde humana demonstrou que a quercetina (um bioflavonoide, ou seja, um antioxidante) pode prevenir a lesão do ADN causada pelo Bisfenol-A o qual é um contaminante universal, cuja exposição se torna num pesadelo para os humanos. Este está elevado no leite humano e é uma substância tipo estrogénica que altera o sistema endócrino. A exposição pré natal de bebés causa baixo peso à nascença, asma, alterações do comportamento e problemas de fertilidade, e isto é a ponta do iceberg. O facto de que a quercetina oferece protecção é uma boa notícia nesta problemática, em que é difícil reduzir a exposição dada a sua disseminação mundial. O BPA está disperso e encontra-se nas embalagens de alimentos, nos plásticos, e nas latas de bebidas. Até nos canos plásticos de transporte de água se encontra esta perigosa substância. Podemos reduzir drasticamente a sua ingestão evitando alimentos e bebidas enlatadas, o que se torna crucial se houver uma gravidez. A quercetina liga-se aos receptores estrogénicos dificultando a acção deletéria do bisfenol-A.

Sex | 09.12.11

COMO NEUTRALIZAR UMA ENZIMA LETAL!

Dr. Luís Romariz

Pode ficar surpresa ao saber que das dez principais causas de morte – incluindo cardiovascular, cancro, e diabetes – sete estão associadas a uma única enzima do nosso corpo. Estou a falar da 5-LOX (5-lipoxigenase) a qual em excesso pode criar uma cascata de perigosas condições inflamatórias por todo o corpo. . Ironicamente, a mesma inflamação despoletada pela 5-LOX foi em tempos a única defesa para que os nossos ancestrais pudessem combater infecções fatais.

Mas, com estas fortemente erradicadas devido aos ganhos em saúde pública e aos antibióticos, a 5-LOX não só se torna pouco necessária como pode ser fatal para os humanos em processo de envelhecimento. Há muito que sabemos que esta enzima está relacionada com a artrite e depende em grande parte das nossas escolhas alimentares. Passo a explicar. A partir dos óleos ómega-6 da nossa alimentação – óleos alimentares tipo girassol – fabricamos dois tipos fundamentais de hormonas primordiais:

  • Anti-inflamatorias, anti-trmbóticas e anti-alérgicas, – feitas a partir do DGLA – ou
  • Pró-inflamatórias, pró- trombóticas e pró-alérgicas - feitas a partir do ácido araquidónico (AA).  Há muito que se conhece o papel deletério dos leucotrienos (IL-beta 4).

Estas duas deverão estar em equilíbrio para sermos saudáveis, mas se sobrecarregarmos o sistema podemos forçar à produção preferencial das segundas. Isto é o que acontece actualmente na nossa civilização moderna. Como estamos a alterar o equilíbrio ancestral entre ómega-6/ómega-3 que era cerca de 2:1? Através da ingestão aumentada de óleos alimentares e frituras –ómega-6 – e da diminuição na ingestão de nozes e peixe – ómega-3. Por outro lado ao ingerirmos alguns produtos animais ricos em AA, também forçamos a nota, especialmente porque em última instância quem controla para que lado é feita a produção (delta 6) das tais hormonas é a insulina e o EPA do óleo de peixe. Ora se comermos alimentos ricos em açúcar como o pão, a batata, e doces, estamos a desviar a produção para as hormonas “perigosas” (chamadas eicosanoides) tanto mais que isto é amplificado pelo facto de cada vez comermos menor quantidade de peixe. Podemos interferir nesta situação desastrosa através da alimentação e suplementando-a com óleo de peixe, curcumina (derivada do açafrão) e com extracto de uma planta medicinal ancestral conhecida como Boswellia. Concluindo, a enzima 5-LOX é uma das principais causadoras das doenças fatais contemporâneas, facilitando a propagação, infiltração e metastização dos cancros e dando origem a hormonas que interferem quer com a normal morte celular programada das células cancerosas, quer com o ataque às articulações, às paredes arteriais e a outros tecidos corporais.

Qua | 07.12.11

SOMOS TODOS PRÉ-DIABÉTICOS?

Dr. Luís Romariz

Mesmo que o seu médico lhe assegure que o seu açúcar sanguíneo (glicemia) está na zona normal, evidência alarmante aponta para o facto de que tem um significativo risco de morte prés que obtenha um correcto controlo glicémico nas 24 horas do dia. Embora a corrente médica vigente considere haver diabetes quando a glicemia ultrapassa os 125 mg/dl e pré-diabetes se a glicemia estiver entre 100 e 125, o facto é que sempre que a nossa glicemia em jejum excede os 85 mg/dl põe-nos em risco de doença cardiovascular. Ou seja, se você tiver 99 mg/dl de açúcar no sangue o seu médico vai dizer-lhe que está tubo bem, e isso não é verdade pois tem um risco acrescido de morrer de doença cardiovascular. Mas pior do que o valor do açúcar sanguíneo em jejum é o valor da glicemia após as refeições, pois os picos de açúcar no sangue aumentam de forma dramática o risco de doença cardiovascular, lesão da retina e cancro. Estes picos desembocam na lesão celular e no envelhecimento acelerado. Isto é mais evidente nas pessoas mais idosas pois perde-se o controlo sobre uma enzima de fabrica açúcar (glicose) a partir do nosso glicogénio (forma de armazenarmos glicose) e das proteínas. O risco de “trombose” cerebral aumenta para lá dos 83 mg/dl e cada aumento de 18 mg/dl faz esse risco aumentar 28%. A glicemia após as refeições (pós-prandial) acima de 144 mg/dl faz aumentar imenso o risco de doença e morte associada e doença:

• Cardiovascular

• Alteração cerebral cognitiva

• Renal

• Disfunção pancreática

• Retinopatia diabética

• Neuropatia

Mais uma vez afirmo que não fomos feitos para a alimentação moderna, e que deveríamos ingerir preferencialmente alimentos proteicos, alguns legumes e fruta. Este tipo de alimentação ancestral exclui os picos de glicemia e proporciona um açúcar sanguíneo estável à custa das proteínas – razão mais do que suficiente para comer um pequeno-almoço bem proteico. Por outro lado, o exercício físico minimiza o impacto da glicemia. O café – sim é verdade que tem propriedades milagrosas – minimiza os picos glicemicos e é portanto, para quem o pode tomar, uma bênção dos céus. Aconselho vários – pelo menos seis - cafés por dia. Em alternativa há cápsulas de extracto de café. A metformina também é extremamente útil, bem como o glucomanano, o feijão branco, a irvingia, e a acarbose.

Pág. 1/2