Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Sex | 31.12.10

DICAS PARA MANTER O PESO

Dr. Luís Romariz

Perder peso está no topo das prioridades das resoluções de ano novo. Para além de uma dieta saudável e de exercício, que mais se pode fazer para realizar estas boas intenções? Vou tentar ajudar com alguns conselhos:

  • Mexa-se diariamente, e não apenas em dias de exercício. Isto é fundamental para se conseguir perder peso, mas às vezes é mais fácil dizê-lo do que fazê-lo. A tarefa não precisa de ser ciclópica, tudo o que precisa é de 30 a 60 minutos de actividade aeróbica diária. Basta andar a pé, dançar, dar um passeio de bicicleta, etc. E até pode fazer isto em prestações de 10 minutos durante o dia.
  • Mantenha um diário de alimentação no qual anota tudo, mas mesmo tudo, o que ingere. Poderá assim ter um controlo mais apertado e não se “esquecer” de um ou outro snack.
  • Seja realista e procure objectivos alcançáveis. Não tente perder muitos quilos numa semana, pois não conseguindo vai desistir do processo todo. Fixe uma marca, mas alcançável a médio/longo prazo. Cerca de 1 a 1.5 quilos por semana parece ser razoável.
  • Não deixe que um deslize arruíne os seus esforços. Identifique as barreiras ao seu sucesso e elimine-as. Por exemplo, vá fazer compras após uma boa refeição de forma a não ter a ideia de comprar um doce quando o vir.
  • Pratique yoga. Dois estudos observacionais revelaram a associação positiva entre o yoga e a manutenção de um peso saudável.

Tenha um bom ano e com um peso saudável.

 

Ter | 28.12.10

PELE RADIOSA MESMO NO INVERNO

Dr. Luís Romariz

O Inverno está a chegar e é altura de ter alguns cuidados extra com a sua pele. Enquanto o Verão ardente estiver ausente, os ventos do Inverno podem ser impiedosos para a sua pele. A diminuição da humidade pode levar a que a pele fique seca, escamosa e sem brilho. A exposição ao vento e ao frio aumenta o efeito desumidificante sobre a pele, provocando uma constrição dos vasos capilares cutâneos o que reduz o aporte de sangue à pele e glândulas sudoriparas bem como às que produzem o sebo (óleo da pele), levando ao enrugamento da pele. Antes de tomar o seu banho faça uma massagem suave com óleo de amêndoas doces, particularmente nos cotovelos e joelhos. Isto assegura uma pele macia e tonifica os músculos, aumentando a circulação sanguínea. Evite produtos com álcool para desinfectar as mãos, pois vão desidrata-las. Aplique sistematicamente um creme facial e de mãos, biológico, preferencialmente com ácido hialurónico, especialmente antes de por maquilhagem. O aloé vera ajuda a remover as células mortas, e tem propriedades curativas e hidratantes. Uma máscara facial à base de clara de ovo e mel ajuda a diminuir as manchas. Mas não se esqueça que é mais importante tratar por dentro do que por fora. Uma dieta saudável deverá incluir; vegetais verdes tipo espinafres e espargos com tempero de alho. Uma salada constituída por uvas, laranja, aipo, pepino, tomate, pimento e cebola, bem como uma sobremesa à base de melão (rico em SOD – antioxidante), morangos, mirtilos e damascos é uma escolha acertada. Evite a aplicação excessiva de hidratantes pis podem obstruir os poros. O exercício melhora este último aspecto, aumenta o metabolismo e desintoxica através do suor. Evite todos os geles, sabões, etc. bem como os tónicos e os adstringentes e água muito quente

Dom | 19.12.10

COMO PREVENIR/DIAGNOSTICAR O CANCRO

Dr. Luís Romariz

Na sequência do post “falsa segurança”, vou tentar dar uma pincelada sobre este tema – provavelmente o mais complicado pela nossa ignorância científica – e como nos podemos precaver, se é que podemos. Mas antes de mais, o que é o cancro? Uma célula cancerosa tem duas características importantes e diferentes das células normais:

  • Multiplicam-se anormalmente, isto é, dividem-se e crescem de forma não controlada e com duas particularidades terríveis:

- não respeitam os limites dos tecidos vizinhos, invadindo-os

- metastizam, ou seja, libertam-se do tumor inicial e via corrente sanguínea invadem tecidos à distancia

  • Não se diferenciam em células progenitoras, ou seja, não são exactamente iguais às células que lhes dão origem, sendo tanto mais agressivas quanto menos se parecem com elas (indiferenciadas)

A abordageml a esta doença assustadora deve ser efectuada sempre que possível pela prevenção, incidindo sobre os estilos de vida e sobre os meios auxiliares de diagnóstico precoce. Em regra, neste caso, os tumores já estão razoavelmente avançados ou com metástases. Comecemos pois pelos estilos de vida. O que me parece mais óbvio reside na nossa relação com o Sol, pois fruto da heliofobia actual pouco ou nada nos expomos ao Sol, tendo como consequência imediata uma insuficiência acentuada em vitamina D. A minha experiencia clínica, dado o facto de prescrever desde há dois anos a análise ao 25-OH-colecalciferol (vitamina D não activada) a todos os meus pacientes permite-me inferir que a maioria dos portugueses é insuficiente em vitamina D. Ora, para além da actuação desta vitamina sobre o metabolismo fosfo-cálcico, a vitamina D tem uma acção importantíssima sobre a multiplicação e a diferenciação celulares – exactamente as características das células cancerosas – promovendo uma multiplicação e diferenciação normais. Como tal parece-me de vital importância a exposição solar, ou em alternativa, a suplementação oral com vitamina D não activada. Mais, sabemos que níveis suficientemente elevados desta vitamina reduzem a zero o risco de cancro da mama. O exercício físico é fundamental para termos todos os nossos mecanismos imunes activados e desta forma podermos eliminar as células cancerosas à medida que elas vão aparecendo. E desenganem-se, pois aparecem mesmo durante a nossa vida, resumindo-se tudo ao equilíbrio entre a sua agressividade e o seu controlo pela imunidade. Parte importante do nosso estilo de vida reside na alimentação, a qual infelizmente é tudo menos saudável! Ingerimos pouca fruta e legumes, logo poucos antioxidantes, pelo que expomos as nossas células à agressão pelos radicais livres de oxigénio. Vivemos num ambiente poluído por pesticidas e derivados dos plásticos que nos alteram os eixos hormonais, e sobre o qual pouco ou nada podemos fazer, excepto no caso do tabagismo o qual sabemos ser responsável pelo cancro do pulmão. Um alerta para os ex-fumadores: há um aumento do aparecimento deste cancro ao fim de sete anos de cessação tabágica, pelo que estejam alerta! Mas podemos ter boas escolhas alimentares sabendo que os óleos vegetais (particularmente quando expostos ao calor da fritura) e as margarinas são capazes de alterar as nossas membranas celulares abrindo caminho à lesão cancerosa. E que dizer do açúcar e de todos os alimentos – hidratos de carbono – passíveis de se transformar em glicose? O que é que as células cancerosas mais necessitam para se poder multiplicar da forma catastrófica tão peculiar? De muito combustível, ou seja, glicose. Se lhes limitarmos a fonte de glicose, limitamos o seu processo de crescimento da mesma forma que um exército que invada rapidamente um país extenso fica com a sua capacidade bélica comprometida pela falta de reabastecimento. Simples, e infelizmente muito ignorado! Desta forma se limitarmos a ingestão de HC á fruta e aos legumes ingerimos a quantidade mínima para a actividade celular normal, limitando o abastecimento à actividade celular anormal. E se fizermos uma suplementação com antioxidantes – ácido alfalipoico, vitamina C, E, A, Selénio, resveratrol, e outros fitoquímicos, bem como com ómega-3, limitamos muito a agressão oxidativa. A harmonização hormonal também fecha uma porta ao surgimento de células cancerosas, pelo que o seu equilíbrio é vital.

Vejamos o que se passa com os meios auxiliares de diagnóstico. Falemos dos rastreios, pois são esses que mais nos podem valer. Em relação ao cancro da mama e ginecológico podemos fazer a determinação dos metabolitos dos estrogénios na urina e ter antecipadamente uma visão sobre o equilíbrio dos factores pró e anti-cancerígenos. O rastreio do cancro do colo e a ecografia endovaginal (determinação da espessura do endométrio) podem ser auxiliares valiosos, bem como a ecografia mamária, mas no caso específico da mamografia teremos de ponderar muito bem este exame. A mamografia só por si, dada a dose de radiação – pode iniciar um cancro da mama – e mais uma vez dá uma falsa segurança pois só são visualizados tumores com tamanho relevante. Ou seja, há falso negativos que é preciso considerar e ponderar em relação às atitudes posteriores. A termografia, método em que se fotografa os tecidos através de uma câmara de infra-vermelhos, pode dar um diagnóstico supra precoce e é inócua mas tem alguns contra. É necessária uma divisão com ambiente térmico controlado, uma câmara muito sensível, e uma leitura efectuada por técnico muito experiente. O que conheço em Portugal não preenche estes requisitos…! Mas estamos inequivocamente perante um exame preciso e inócuo. Pode ser que com o tempo ele seja integrado nos rastreios. Em relação ao cancro do cólon o exame mais fácil é a pesquisa de sangue oculto nas fezes, anualmente, e no caso de positividade a colonoscopia. Quanto ao cancro do pulmão, infelizmente quando se detecta já é tarde (a suplementação diária de metformina parece ter acção preventiva). Outro cancro comum é o da próstata, o qual se pode testar através de ecografia, ratio de PSA livre e total, mas sobretudo através da biopsia. Mais uma vez o equilíbrio hormonal (atenção à progesterona), não esquecendo que a vitamina D é uma hormona, é fundamental. O cancro de pele é facilmente detectável pela observação clínica atenta. Pouco se faz e muito haverá a fazer, mas em relação ao cancro a nossa falsa segurança é total, e devemos apostar tudo na sua prevenção. É provavelmente a patologia que menos depende dos médicos e que mais depende de estilos de vida saudável. Façamos por isso!

 

Dom | 12.12.10

ENTÃO O QUE PODEMOS FAZER PELO NOSSO CORAÇÃO?

Dr. Luís Romariz
Bom, no seguimento do post Segurança, pode fazer alguns exames: •ECG (melhor seria o Holter) que nos dá uma visão do funcionamento eléctrico do nosso coração. •Ecocardiograma que nos fornece informação acerca do funcionamento cardíaco e defeitos estruturais. •Prova de esforço que nos pode excluir doença coronária séria. •Avaliação da espessura da íntima/média da carótida, que nos dá informação sobre aterosclerose. •Avaliação do desempenho endotelial por PAT ou temperatura, que nos informa acerca do funcionamento das artérias e sobre a aterosclerose (este exame é fiável, facilmente reprodutível e não é caro). •Determinação dos ácidos gordos nos glóbulos vermelhos que nos dá uma visão do equilíbrio do ambiente trombótico/anti-trombótico; inflamatório/anti-inflamatório; vasoconstrictor/vasodilatador. •Determinação sanguínea das interleucinas e da PCR de alta sensibilidade, que nos fornece uma perspectiva sobre o risco de doença cardiovascular, Determinação sanguínea da homocisteína e das lipoproteínas (vulgo colesterol) que nos indica a possibilidade de deterioração das artérias e consequente risco cardiovascular. •Determinação sanguínea da insulina, glicemia, HB A1c, O’Sullivan, e microproteinúria na urina de 24 horas que nos faz uma avaliação sobre o risco de diabetes e por consequência do risco de lesão cardiovascular. Adicionalmente, a medição da tensão arterial é elementar, após excluir HTA e/ou sobrepeso, bem como evicção do tabagismo, devemos instituir um programa simples de exercício físico sustentado e uma alimentação mediterrânica modificada – ou seja, alimentação mediterrânica clássica com aumento do aporte proteico. A harmonização hormonal é fundamental, nomeadamente a DHEA nos homens, bem como alguns suplementos: •Reequilíbrio do eixo sódio/potássio (suplemento de potássio). •Reequilíbrio do eixo cálcio/magnésio (determinação do magnésio nos glóbulos vermelhos) •Ómega-3 em altas doses (700 mg EPA + 500 mg DHA) e ácido alfalipoico (600 mg). •Flavonoides, vitamina complexo E, complexo C e D (preferencialmente sol). Importante não esquecer que as margarinas devem ser abolidas (incluindo a tal que dizem ser boa para o coração9, bem como os óleos alimentares (pior ainda quando os sujeitamos à fritura) Com isto tudo podemos ficar sossegados quanto ao nosso coração? Ainda temos as alterações ambientais como o chumbo, cádmio, pesticidas, mercúrio, etc. E há sempre os imponderáveis, para alem da nossa ignorância médica - pois ainda sabemos pouco – mas há uma grande vontade mundial de avançar e saber tudo. Mas com o anteriormente descrito já avançamos racionalmente no nosso sossego cardíaco.
Dom | 12.12.10

OS DOCES E O NATAL

Dr. Luís Romariz
Não temos que prescindir de uma boa nutrição durante as festas do natal. Sim, pode apreciar os doces tradicionais sem sentimentos de culpa. Privilegie os doces feitos em casa em detrimento dos comprados nas pastelarias. Afinal, uma vez não são vezes! No entanto, devemos compensar com alimentos que claramente são benéficos para a nossa saúde. Logo à partida a fibra: •Frutos secos. Dão-nos proteína e óleos essenciais, reduzindo o colesterol e o risco de doença cardiovascular em 25%. Também fornecem vitamina E, folatos, potássio e nutrientes essenciais como o cobre e o magnésio. As nozes são ricas em ómefa-3 os quais providenciam benefícios adicionais. •Abóbora. Rica em betacaroteno, um importante antioxidante, também providencia fibra e é baixa em calorias. •As maçãs têm tudo, desde um óptimo sabor até benefícios para a saúde. São hipocalóricas, ricas em fibra, vitamina C, fitoquímicos que reduzem o risco de muitas doenças crónicas e antioxidantes. •Aprecie (verde e vermelho) Portugal: alimentos vivamente coloridos como a beterraba, cenoura, maçãs, cerejas e todas as bagas providenciam vitamina A e C, importantes para a imunidade, bem como outros fitoquímicos anti-envelhecimento. Os espinafres, os brócolos, os avocados eas peras também contêm estes importantes nutrientes. Não se esqueça de fazer uma caminhada 45 minutos após cada refeição festiva, pois ajuda a controlar a glicemia e é antiaging.
Dom | 12.12.10

Caro Lino

Dr. Luís Romariz
Os produtos desintoxicantes de que aparentemente fala funcionam criando mais e maiores movimentos peristálticos intestinais, e alguns deles provavelmente melhorarão a função hepática, mas também se obtém o mesmo efeito ingerindo boas quantidades de fibra solúvel, de água e fazendo exercício. A pele é o maior órgão da desintoxicação, pelo que fazer um treino que faça suar bastante ou fazer uma sauna. O ingrediente-mor dos produtos de desintoxicação é a fibra, normalmente o psyllium ou carragenina (derivado de algas). Alguns produtos têm pectina de maçã, mas neste caso é melhor comer o fruto. Os ingredientes seguintes na lista dos desintoxicantes são as ervas que encorajam o aparelho digestivo a evacuar, ou seja, laxantes. Também há as ervas que apoiam a função hepática – cardo mariano/silimarina/Legalon. Estes fitoterápicos podem ser úteis nos casos de sintomas do stress, incluindo fadiga, irritabilidade e hipersensibilidades. Uma boa maneira de ajudarmos o fígado a efectuar a desintoxicação consiste em evitar os medicamentos e o álcool, e ingerir quantidades generosas de vegetais, fazer exercício e apanhar ar fresco e sol. Como suplementos alimentares advogo a silimarina, a acetilcisteína, o limoneno (extracto oleoso de laranja) e a glucoronamida.
Qui | 09.12.10

A SEGURANÇA DA POLÍTICA DE SAÚDE

Dr. Luís Romariz

O que é que a medicina convencional pode oferecer aos nossos doentes? Muito ou muito pouco! Infelizmente, oferece o pior de todos os mitos médicos – SEGURANÇA! Vejamos: os sistemas de saúde estão montados para a doença e isto é particularmente verdadeiro ao nível hospitalar. Recorre-se a um hospital – S.U. ou especialidades apenas quando temos um problema – e ao nível dos cuidados de saúde primários – medicina familiar – pouco se faz na realidade em termos de verdadeira medicina integrativa e prevenção de doenças. Os grandes marcos são os grupos de risco – hipertensos e diabéticos – mas o que fica por prevenir é a maior parte do problema. Todos nós temos a ideia que tendo umas análises, uma radiografia ao tórax e um electrocardiograma normais estamos finos e não precisamos de nos preocupar pelo menos durante um ano. Se tivermos HTA ou diabetes e tomarmos a medicação prescrita, mantendo os valores dentro do que o médico acha normal, não teremos nada com que nos preocupe. ERRADO!

De facto, o sistema pouco pode fazer por nós enquanto pessoas aparentemente saudáveis ou com patologias “controladas”. Continuamos a comer refeições com menos gordura, e cada vez temos mais doença cardiovascular e obesidade. Tomamos os medicamentos para a diabetes tipo II e controlamos a glicemia com picadas matinais mas o resultado final é infelizmente o mesmo conforme se demonstrou no estudo UKPDS. Fazemos a nossa medicação para a hipertensão arterial e reduzimos no consumo de sal, mas continuamos com elevadas taxas de AVC (trombose cerebral) e doença cardiovascular. Até continuamos a tomar as terríveis estatinas para baixar o maldito colesterol, mas continuamos a cair como tordos de doença cardiovascular. E que dizer da osteoporose, que após anos a tomar bifosfonatos, teima em progredir transformando os nossos ossos em papel. Então e as TAC’s, as mamografias e os exames de próstata? NADA. Uns emitem radiações capazes de por si só iniciarem uma malignização, enquanto outros têm imensos falsos negativos. Mas então não adianta ir ao médico e fazer um check-up anual? Abrangente como na medicina do trabalho? Na realidade adianta de muito pouco. Falsa segurança! O que deve ser mudado? A política de saúde, a começar pelo Ministério da saúde que de facto é um Ministério da doença. O grosso dos recursos é canalizado para a medicina curativa. Quanto se gasta em operações de cirurgia bariartrica (anti-obesidade)? Será esse o caminho, ou será a educação para a saúde e a proibição de venda de lixo alimentar? E a promoção da alimentação mediterrânica, ou do exercício físico (até aumenta o IVA para os ginásios)? Mas então em vez de se gastar dinheiro em publicidade governamental – sabe-se lá para quê – não era preferível gastá-lo para educar as pessoas? Quanto se gasta mensalmente com um doente diabético? Mais de 100 Euros! E adianta? Nada, pois o fundamental que é a dieta e o exercício fica de fora ou lembra-se de passagem. Entendamo-nos, as doenças são fruto de desequilíbrios e estes podem ser previstos e corrigidos – ómega-3 vs ómega-6; sódio vs potássio; cálcio vs magnésio; etc. – desde que encaremos os doentes como um todo apostando quase tudo na prevenção. Mas teremos que reaprender a procurar o que nos causa doença, planificando as acções e corrigindo os desequilíbrios, remetendo para o doente o fardo se responsabilizar pela sua saúde pois nós médicos nunca o conseguiremos fazer. Devemos ter o máximo de cuidado com as promessas e certezas da indústria farmacêutica. Esta é um negócio, e um negócio compadece-se com muito pouco infelizmente. Será? Basta lembrarmo-nos dos “médicos-fantasma” que fizeram imensos estudos a mostrar falsas virtudes de fármacos, e dos Vioxx, Avandia e outros recentemente proibidos e que eram êxitos de vendas! Infelizmente, os interesses são enormes, e os doentes são o que menos interessa. Tenho tentado nestes últimos anos fazer alguma pedagogia em relação ao que é mais saudável e em relação à maneira como nos poderemos manter jovens durante mais tempo. Mas estes conhecimentos têm de ser passados no seio da família, nas empresas e nas verdadeiras amizades. Já que os governantes não fazem educação para a saúde, façamo-lo nós. E aqui fica um sério aviso: as orientações para os cuidados de saúde primários visam a contenção dos gastos e a beleza das estatísticas. Perguntem aos MF que ingressaram nas USF´s! Não tenham receio de expor as vossas dúvidas pois enquanto puder irei responder a todas, tornando este espaço num palco de conhecimento bidireccional.

 

Qui | 09.12.10

Lactobacillus Plantarum AUMENTA A ABSORÇÃO PROTEICA

Dr. Luís Romariz

Um determinado tipo de flora intestinal amigável Lactobacillus plantarum demonstrou ser capaz de aumentar a absorção proteica, mesmo em situações inflamatórias como o caso do síndroma do cólon irritável, e a disbiose em geral. A absorção da proteína que ingerimos é um processo complexo o qual deve funcionar na perfeição para que o nosso organismo possa aproveitar os nutrientes que dão “força” ao nosso cérebro e rejuvenescem a estrutura física. Sob condições de inflamação intestinal este processo pode ficar comprometido resultando em má nutrição, mesmo quando se ingere a quantidade proteica necessária. Assim, a presença do Lactobacillus plantarum torna-se fundamental não só para as crianças e para os idosos, mas também para as pessoas que fazem musculação não esquecendo que por cada quilo de proteína muscular adquirida se gasta por ano pelo menos o dobro de gordura.

 

Ter | 07.12.10

DIABETES E ENVELHECIMENTO

Dr. Luís Romariz

As pessoas com diabetes são as que mais rapidamente envelhecem. Estas, deveriam efectuar cerca de 150 minutos semanais de exercício aeróbico, de acordo com as recomendações dos investigadores da Universidade Old Dominion. Provavelmente não haverá melhor remédio do que o exercício, excepto a dieta adequada, segundo o Prof. Sheri Colberg-Ochs. As recomendações internacionais apontam para 150 minutos semanais de exercício moderado ou 75 minutos de exercício vigoroso. Isto tem como efeito “limpar” o excesso de nutrientes – ácidos gordos livres – dentro da célula, abrindo caminho para uma menor resistência à insulina com a consequente melhoria na glicemia, e portanto na diabetes. Cerca de 58% da população está em risco de desenvolver diabetes tipo II, razão pela qual estas recomendações são tão importantes. O difícil é convencer os pacientes para a necessidade de dieta e exercício, sendo este o mais difícil de alcançar. Mas há que lembrar diariamente que a medicação para a diabetes, só por si, tem tido um rotundo fracasso. Mesmo que pouca, toda a actividade física conta na melhoria do perfil desta patologia, e como tal passear o cão, lavar o carro, etc. são actividades a não menosprezar. Quando não fazemos exercício os hidratos de carbono transformam-se em gordura perpetuando o ciclo de resistência à insulina. Os estudos apontam para o triplo das pessoas com diabetes no ano de 2050. Se bem que previsível, esta onda de diabetes não é inevitável!

Sex | 03.12.10

MODULAR A DOENÇA DE ALZHEIMER

Dr. Luís Romariz

Uma proteína (enzima) cerebral cuja existência é conhecida há mais de 30 anos, chamada 5-lipoxigenase, tem um papel regulador na formação e consequente deposição da substancia beta amilóide - característica da doença de Alzheimer. Os investigadores também descobriram recentemente que os inibidores desta enzima usados para controlar a asma, poderiam também ser usados para prevenir ou tratar ao Alzheimer. No cérebro, quanto mais 5-lipoxigenase houver mais substancia amilóide será depositada. Os medicamentos para controlar esta enzima já estão actualmente à venda, embora com indicações para a asma.

Face a esta fantástica notícia, e uma vez que não há nada para curar o Alzheimer, deve-se proceder rapidamente a ensaios para averiguar a taxa de sucesso terapêutico destes fármacos. Na realidade, são fármacos bastante mais baratos do que os tratamentos convencionais, havendo já genéricos à disposição. Nunca será demais lembrar que se considera o Alzheimer como a 3ª forma de diabetes e como tal devemos adoptar os estilos de vida anti-diabetes, nomeadamente evitando as cargas glicémicas e fazendo caminhadas. Medicamentos como a metformina, e os inibidores da 5-lipoxigenase poderão fazer a diferença. Falem com o vosso médico de família.

 

Pág. 1/2