Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Sex | 10.09.10

COMETA UMA LOUCURA: VIVA MAIS

Dr. Luís Romariz

Todos temos dias aborrecidos, frequentemente. Mas, atenção, ter um dia aborrecido é bem melhor do que ter um dia mesmo mau, certo? Mas quando um dia aborrecido tem impacto na sua saúde, perguntará “porquê a mim”! Num recente estudo, as pessoas que estavam mais aborrecidas com o seu trabalho tinham uma taxa de mortalidade mais elevada do que as suas contrapartes. Bom, está na altura de apimentar a sua vida!

O estudo incluiu, na década de 80, a observação de mais de 7.000 funcionários públicos ingleses, aos quais se perguntou com que frequência se encontravam aborrecidos no seu posto de trabalho. Passaram cerca de 20 anos, e os investigadores voltaram a entrevistar os participantes do estudo e verificaram que os que tinham manifestado um maior grau de aborrecimento, faleceram nesse interregno. A causa da morte? Na maioria foi a doença cardiovascular! Embora o desalento não fosse causa da morte, as pessoas com maior aborrecimento exercitavam-se menos e tinham pior saúde do que os outros. O sentimento crónico de desinteresse é fatal.

Eis três maneiras de melhorar o humor:

  • Faça puzzles ou actividades similares. Desafiar o intelecto, compensa.
  • Faça exercício físico. O exercício é um bom anti-depressivo.
  • Arranje alguém para amar. A felicidade está ao nosso alcance mais vezes do que supomos.

 

Qua | 08.09.10

GENES DA OBESIDADE NÃO SIGNIFICA XXL

Dr. Luís Romariz

Se costuma culpar os seus genes por causa do seu excesso de peso, levante-se e saia para fazer uma boa caminhada. Isso ajudará contra a tendencia de ter excesso de peso, Segundo revela um estudo recente. Investigadores Ingleses estudaram doze variantes genéticas conhecidas por aumentarem o risco de obesidade e seguiram a actividade física de 20.430 pessoas. Eles criaram um resumo genético em forma de pontuação para quantificar o risco individual de obesidade e então examinaram se uma vida activa poderia reduzir a influência genética para a obesidade. Resultado: pode reduzir a tendência genética para a obesidade em 40%, de acordo com o estudo. Estes resultados desafiam o mito de que a obesidade é inevitável quando temos maus genes. Você pode usufruir dos benefícios sem ter de correr maratonas, bastando passear o cão, andar de bicicleta ou optar por escadas em detrimento do elevador: estar activo durante pelo menos 30 minutos diários é um bom começo para reduzir a tendência genética. Só porque alguém tem os genes , isso não é determinante, pois é precisa a expressão genética através da má alimentação e do sedentarismo.

 

Qua | 08.09.10

AS BAGAS PROTEGEM O CÉREBRO DE DIVERSAS MANEIRAS

Dr. Luís Romariz

A redução na capacidade de protegermos os nossos cérebros da inflamação e lesão oxidativa pode resultar em doença cerebral degenerativa, assim como doença cardiovascular. Dietas contendo 2% de extracto de morangos, mirtilos ou amoras, revelaram ser capazes de reverter em dois meses o declínio associado á lesão neuronal e de comportamento. Os antioxidantes contidos nas bagas – polifenois – têm um efeito protector acentuado na degenerescência cerebral.  O cérebro tem uma capacidade natural de “limpeza”, a qual envolve células autofágicas conhecidas como microglia. Estas células removem e reciclam proteínas tóxicas capazes de interferirem com a função cerebral. No envelhecimento, a microglia tende a falhar o seu trabalho, e o “lixo” tem tendência a acumular. Também pode acontecer uma super activação desta células com a consequente lesão de células cerebrais normais. Em experiencias com culturas celulares descobriu-se que os extractos de mirtilo e de morango são capazes de inibirem a proteína que interfere com este sistema cerebral de “limpeza”. Isto mostra um mecanismo protector, por parte destas bagas, que vai além do efeito anti-inflamatório e antioxidante. Esta é uma das razoes pela qual proponho a ingestão destas bagas ou dos seus extractos, bem como de frutos secos.

Seg | 06.09.10

A ANDROPAUSA AFECTA MAIS DE 5 MILHÕES DE HOMENS

Dr. Luís Romariz

Embora mais associadas às mulheres, as alterações hormonais relacionadas com a idade também podem afectar os homens, causando sintomas de fadiga, alterações do humor, diminuição do apetite sexual, perda de cabelo, dificuldade de concentração e aumento de peso. Os peritos estimam que mais de 5 milhões de Europeus sejam afectados, embora o número possa vir a ser substancialmente maior dado que os sintomas são frequentemente ignorados. O hipogonadismo masculino (diminuição da função testicular) ocorre quando os testículos não produzem suficiente testosterona, a hormona-chave no desenvolvimento e rejuvenescimento masculino. Quando os níveis hormonais declinam, os homens podem sofrer alterações mentais e físicas muito significativas. Esta é uma patologia altamente prevalente segundo as declarações do Dr. Robert Brannigan urologista no Northwestern Memorial Hospital. Infelizmente, estima-se que 95% dos casos sejam subdiagnosticados e consequentemente não sejam tratados. Quando ignorados, os sintomas podem destruir a qualidade de vida. A flutuação hormonal é um aspecto normal do processo do envelhecimento, mas quando o declínio é muito acentuado surgem alterações mais ou menos graves. Os tratamentos são fáceis e pouco dispendiosos, pelo que não há razão para que os homens sofram em silêncio alterando a sua qualidade de vida pessoal e familiar. Uma vez iniciado o tratamento as melhorias são imediatamente sensíveis e diminuem os riscos de doença cardiovascular e morte prematura.

Dom | 05.09.10

ATÉ UM LIGEIRO AUMENTO DE PESO PODE LESAR AS ARTÉRIAS

Dr. Luís Romariz

Investigadores da clínica Mayo descobriram que pessoas jovens saudaveis que aumentem tão pouco como 4 quilos de gordura, especialmente no abdomen, estãocom risco aumentado de disfunção endotelial. As células endoteliais revestem as nossas artérias por dentro e são elas que regulam toda a homeostasia desde o calibre até às embolias. A disfunção endothelial está associada aos enfartes do miocárdio, e os ganhos de peso reflectem-se nas patologias cardiovasculares – disfunção eréctil incluída. O presente estudo publicado no Journal of the American College of Cardiology recrutou 43 voluntários saudáveis com uma média de idades de 29 anos. Eles foram testados por fluxometria dos braços, quer antes, quer durante e depois dos ganhos de peso. Uma vez perdidos os quilos extra tudo voltava ao normal. Os médicos e os doentes devem saber que a localização da gordura é mais importante do que a sua quantidade.

Qua | 01.09.10

OS CAMINHOS DA MEMÓRIA

Dr. Luís Romariz

A capacidade para relembrarmos não se fica por vislumbrar o passado, uma memória acurada pode ajudar na criatividade, produtividade e até na capacidade para imaginar o futuro, de acordo com a opinião de vários fisiologistas. As investigações sobre o sono, envelhecimento e química cerebral foram discutidas durante o congresso anual da American Psychological Association. Os benefícios do sono estão bem documentados, mas os investigadores acham que as distintas fases do sono têm papeis diferentes na capacidade plástica da memoria. Assim, a fase REM do sono (movimentos rápidos dos olhos com bloqueio muscular) – na qual os sonhos são mais vivenciados – também é extremamente importante na aquisição da memoria. Foram efectuadas várias experiencias durante as várias fases do sono e chegou-se à conclusão que apenas os que passaram pela fase REM apresentaram valores satisfatórios dos testes de associação de memória e de criatividade na resolução de problemas. O REM é importante para juntar e integrar todos os “pedaços” do dia. Um grande problema é que actualmente nós excluímos algumas fases REM pelo facto de nos deitarmos tarde, descansarmos pouco, comermos mal, sermos inactivos e tomarmos excitantes ou até “calmantes”.

Por outro lado investigadores norte-americanos referem que as caminhadas aumentam os circuitos cerebrais nomeadamente as conexões neuronais. Conforme já tenho escrito, este fenómeno é muito mais notório quando se faz concomitantemente uma suplementação com DHA (óleo de peixe) em altas doses. Caminhadas de 40 minutos diárias, três vezes por semana aumentam imenso a função cerebral nos mais idosos.

 

Qua | 01.09.10

SÃO PRECISAS ALTERAÇÕES NA POLÍTICA DA VITAMINA D

Dr. Luís Romariz

Uma revisão publicada no jornal Experimental Biology and Medicine recomenda a implementação de uma política que altere a quantidade de vitamina D que as pessoas ingerem. Os peritos declaram que a actual orientação não reflecte as necessidades desta vitamina, dado o seu espectro de actividades. A vitamina D tem um papel crucial na homeostase dio cálcio, envolvendo o esqueleto, os intestinos, os rins e as glândulas paratiroides. A vitamina D também está envolvida no sistema imune, no pâncreas, e no metabolismo em geral, bem como no sistema cardiovascular, músculos e cérebro. A vitamina D também regula os ciclos celulares. A recomendação vigente de ingestão de 200 UI de vitamina D, a qual poderá ir até às 700 UI, é claramente insuficiente para manter níveis adequados, e ossos saudáveis. Sendo certo que é difícil obter uma correcta exposição solar, dada a heliofobia vigente, a quantidade mínima a suplementar deve andar à volta de 2000 UI diárias. E quando temos testes de doseamento em que raramente são ultrapassados os 30 ng, então podem ser necessárias doses iniciais de 150.000 UI quinzenais. A casuística – já considerável – da NewAge aponta para um panorama nacional de 90% de insuficiência.

 

Pág. 3/3