Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Qua | 31.03.10

MEDICAÇÃO PARA A HIPERTENSÃO ARTERIAL POSTA EM CAUSA

Dr. Luís Romariz

O pesadelo para quem tem de prescrever medicamentos para a hipertensão arterial e para quem as toma continua. O debate sobre estas terapias realça uma falência parcial por parte da medicina convencional para melhorar esta doença adversa e reverter os danos dos que estão na direcção errada.

Um grande número de estudos recentes sobre medicação para combater a HTA revela a falência desta bem como a preocupação em alcançar números em vez de tratar doentes. A falha é baseada na ideia errada de que alterando os números através de medicamentos se produz saúde. O ramo da HTA do estudo ACCORD demonstrou outra falha, tal como o ramo dos lípidos e dos açúcares. O ACCORD foi baseado na ideia, talvez ridícula, de que usando agressivamente medicações para baixar a tensão arterial, colesterol, e glicose nos diabéticos tipo 2, isso melhoraria a sua saúde cardiovascular, salvando vidas. Embora baixando a TA sistólica para menos de 140 mmHg tenha demonstrado beneficio, diminuindo-a abaixo de 120 mmHg não demonstrou qualquer benefício adicional. Pelo contrário, muitos parâmetros de saúde declinaram aparecendo complicações médicas à medida que a tensão baixava. Mais, uma boa parte dos medicamentos do nosso arsenal terapêutico para a HTA contêm diuréticos, nomeadamente do tipo tiazídico, os quais têm graves efeitos secundários e retiram água do sistema. Ora, não se pode estar ao mesmo tempo hidratado e desidratado…!

Claro que não há explicações plausíveis para estes factos. A tensão arterial tem valores óptimos para uma saúde óptima, e isto varia de pessoa para pessoa. A ditadura dos números e da chamada medicina baseada na evidência esquece-se de um facto irrefutável. Cada doente é um doente, e a politica do tamanho único não funciona em saúde.

Devemos pensar seriamente na razão pela qual temos tensão alta, e no caso do nosso médico nos dizer que ela é do tipo essencial – isto é, não se sabe a causa – revermos o nosso estilo de vida. Uma vida sã livre de açúcares, nomeadamente frutose, e com algum exercício físico, e com uma boa suplementação em magnésio é mais de meio caminho andado para uma tensão arterial normal.

 

Ter | 30.03.10

PSYLLIUM E A FIBRA REDUZEM AS ANSIAS ALIMENTARES

Dr. Luís Romariz

Um estudo recente demonstra que o psyllium (tipo de fibra alimentar ingerido antes de uma refeição tem um impacto significativo nos múltiplos sinalizadores do apetite ao nível digestivo horas após a última refeição – ajudando a manter a saciedade.   Adicionalmente, uma refeição com muita fibra ajuda a baixar o açúcar no sangue (glicemia) durante várias horas após a refeição, o que ajuda ao normal metabolismo, à manutenção do peso corporal, e à normalização da insulina.

A combinação desta fibra com uma refeição proteica providencia um impulso significativo à produção de glucagon-like péptido 1 (GLP-1).   Este por sua vez melhora o desempenho das células beta pancreáticas responsáveis pela produção de insulina, aumentando a sensibilidade dos tecidos a esta hormona.

Os sinais oriundos do sistema digestivo têm não só uma influência decisiva nas ansias de alimentos, como um enorme efeito no metabolismo. Ao aumentarmos a quantidade de fibra ingerida reduzimos a necessidade de mais alimento. Na verdade, sempre nos confrontamos com grande quantidade de fibra na nossa alimentação o que dava sinais de saciedade. Actualmente, nesta sociedade de refinados, ingerimos quase o dobro dos alimentos antes de termos sinais de que estamos satisfeitos. Esta também é uma das causas da epidemia de obesidade. Eu aconselho uma mistura de fibras alimentares constituída por 1/3 de fibra solúvel, 1/3 de glucomanano e 1/3 de psyllium. Esta composição permite melhor saciedade e trânsito intestinal, bem como enor excesso de peso e risco de cancro do cólon.

 

Sab | 27.03.10

DEVEMOS TODOS TOMAR UMA ASPIRINA POR DIA?

Dr. Luís Romariz

Se estiver a ter um ataque cardíaca, mastigar uma aspirina pode salvar-lhe a vida. Se sofrer de doença cardiovascular, tiver um ataque cardíaco ou uma trombose (AVC), ou se tiver um elevado risco destas patologias, tomar diariamente uma aspirina de 100 mg faz parte de uma estratégia comprovada para a prevenção destas doenças que ameaçam a vida. A aspirina diminui a agregação das plaquetas tornando o sangue menos “pegajoso”. Isto limita a formação de coágulos sanguíneos, os quais podem despoletar ataques coronários ou AVC. Mas e se for relativamente saudável? Será que tomar aspirina ajuda a manter o seu coração livre do problema, bem como proteger de AVC, e de outras formas de doença cardiovascular?

Se tomar aspirina fosse completamente isento de riscos não haveria dúvidas em que toda a gente tomasse. Mas a aspirina conte riscos. A redução do potencial de coagulação pode levar a AVC hemorrágico (sangramento dentro do cérebro). Pode ocorrer hemorragia gástrica. Claro que a resposta está no apuro do saldo risco/benefício.

Mas há uma outra face da aspirina. Este tipo de doenças supracitadas tem um fortíssimo componente inflamatório. Ora é aqui que a aspirina e o ómega-3 têm um casamento feliz. Sabemos que a aspirina em baixas doses – menores do que as citadas – tem a capacidade de despoletar a libertação das membranas celulares prostanoides oriundos dos ómega-3. A estes compostos chamamos resolvinas e protectinas. E o que acham que elas fazem? Adivinharam, protegem e resolvem a inflamação. O melhor dos dois mundos? Provavelmente!

Sex | 26.03.10

Olá Cristiana

Dr. Luís Romariz

Bom dia Dr.

Gostaria de saber se o oleo de coco virgem é uma boa alternativa aos outros oleos de cozinha.

Li numa reportagem que tem muitos benefícios para a saúde(reforça sistema imunitário, bom colesterol, ossos,anti-envelhecimento,etc), inclusive,

medicos americanos encontraram a resposta neste oleo para muitos problemas de seus pacientes.Até que ponto é verdade?

Obrigada,

Cps

Cristiana Matos


O óleo de coco tem essas vantagens, e é o melhor para fritar. Eu aconselho a uma fritura em 1/3 azeite+1/3 óleo coco+1/3 óleo de sésamo.
Infelizmente quem ainda manda é a teoria lipídica que emergiu do estudo seven countries. Este estudo é um flop.

Talvez um dia se volte a por a cabeça para pensar. Este é mais um mal de seguir à risca os estudos da dita medicina baseada na evidência...!

Sex | 26.03.10

COLESTEROL: ANJO OU DEMÓNIO?

Dr. Luís Romariz

É frequente ver doentes assustados com os valores do seu colesterol, especialmente quando estão a tomar estatinas (sinvastatina, crestor, zarator, etc.) e o malandro teima em não baixar. Segundo a "voz corrente" estamos em perigo  iminente de um ataque cardíaco, e há que fazer baixar o colesterol a bem ou a mal.

Como já referi várias vezes, o colesterol é um precioso constituinte do nosso corpo, faz parte das membranas celulares, da vitamina D, e da maioria das hormonas. Sem ele não podíamos existir. Então e o ataque cardíaco? E a trombose cerebral?

Todo o nosso entendimento acerca deste assunto assenta na teoria lipídica em que o colesterol foi associado à doença cardiovascular e à obesidade. Mas o grande estudo que teima em comandar toda a nossa nutrição moderna está profundamente falseado, e portanto errado.

Mas voltemos ao colesterol!

O colesterol total reflecte a soma de todos os tipos de colesterol; bons, maus e assim-assim. Desta forma nada nos diz. Pode estar muito alto e as fracções más estarem baixas, o que é bom. Pode estar muito baixo e as fracções más estarem altas, o que é muito mau. Basicamente há dois tipos de colesterol: o HDL ou bom colesterol - que retira o colesterol dos tecidos, nomeadamente das artérias, e o devolve ao figado impedindo assim a possivel formação de placa aterosclerótica - e o LDL que é levado do fígado aos tecidos, nomeadamente às arterias.

Mas neste tipo de colesterol apenas é perigoso o padrão B em que as partículas são pequenas e densas. Estas é que são aterogénicas. Ora é precisamente sobre estas que as estatinas não actuam. Irónico, não é? Nestas actuam os derivados da niacina ou vitamina B3.

Então o que fazer? Em primeiro lugar, é preciso sabermos como se formam estas partículas maléficas. Elas são derivadas do metabolismo do açúcar (pão, massa, batata, etc.) mais propriamente do açúcar de mesa ou sacarose, e particularmente da frutose (refrigerantes, sumos de fruta natural, etc.). Então agora já ficamos a saber o que fazer. A escolha é de cada um de nós, bem como a respectiva saúde. E então o colesterol HDL, o tal que é bom? Este pode aparecer sob a forma de duas fracções, uma boa e outra mais ou menos. É assim como se numa esquadra de polícia tivéssemos muitos agentes, mas uma parte fosse corrupta. Quantidade não é qualidade.

Em suma, e para deixarem de ficar assustados, calcule o quociente entre os triglicéridos e o HDL. Se for cerca de 1, agradeça aos Deuses. Se estiver compreendido entre 1 e 2, agradeça aos Anjos. Se for maior do que 3, não culpe o Diabo, culpe-se a si mesma...

Qui | 25.03.10

DHA E O CÉREBRO

Dr. Luís Romariz

O DHA é vital para a parte cerebral encarregada do pensamento. Os adultos – entre os 35 e os 45 anos – com os níveis mais elevados deste ácido gordo são os que obtêm melhor pontuação de raciocínio, flexibilidade mental, memória, e vocabulário. Os níveis dos outros ácidos gordos omega-3 não estão relacionados com a melhoria destas funções. Isto demonstra claramente que o DHA é o omega-3 vital para um óptimo desempenho cerebral.

O DHA também protege contra as doenças neurodegenerativas. O Journal of Nutrition publicou três estudos importantes sobre o DHA e a doença neurodegenerativa, em que os dados mostram a capital importância do DHA para a saúde cerebral e para a prevenção da deterioração cerebral associada ao envelhecimento. O DHA é a principal matéria-prima da nossa massa cinzenta cerebral e possui propriedades de reparação e crescimento, bem como de protecção. Já aqui escrevi há algum tempo sobre a capacidade que a associação de 1.7 gramas deste ácido gordo e de exercício aeróbico tem na produção de novas conexões cerebrais, bem como na activação da regeneração da massa cerebral através da activação das células estaminais cerebrais. A insuficiência em DHA está ligada a problemas de alteração do humor e a depressão, bem como a diminuição das conexões interneuronais, atrofia dos neurónios, e a uma redução da matéria cerebral cinzenta.


O DHA também reduz a quantidade de matéria beta-amiloide característica das demências, nomeadamente da doença de Alzheimer, a qual se pensa ter a ver com alterações da metabolização do açúcar – daí falar-se em diabetes tipo 3 ao abordar a doença de Alzheimer. A esta deposição segue-se uma resposta inflamatória nas células cerebrais, a qual amplifica a progressão das demências ou das lesões do envelhecimento. Os suplementos derivados da destilação molecular dos óleos de peixe são a forma mais aconselhada de os tomar, pois são livres de mercúrio e de PCBs – contaminantes frequentemente encontrados no pescado. Já aqui fiz várias vezes a apologia dos ómega-3. Várias vezes tenho declarado que se apenas pudesse usufruir de dois suplementos a minha escolha recairia sobre os ómega-3 e sobre o magnésio. Numa relação qualidade preço optaria pelo superomega-3 da Life Extension Foundation (Sr. Fernando - 936947176). Depois, o Omacor – à venda nas farmácias – seria a minha segunda escolha, mas no cômputo geral fica cerca de 4 vezes mais caro. Tome DHA, faça algumas caminhadas e evite o açúcar. O seu cérebro agradecer-lhe-á.

Ter | 23.03.10

SUMOS DE FRUTA

Dr. Luís Romariz

Comentário: Caro Dr. Os sumos de fruta, feitos em casa, directamente da fruta, como por exemplo, laranjas, são nocivos? Mas comer a fruta não?! Pode esclarecer a minha dúvida, por favor. Obrigado (também pelo excelente blog).

Caro Nelson

A fruta tem muita fibra, pelo que a exposição do seu açúcar é lenta, bem como a sua absorção e entrada em circulação. Quando fazemos sumo de fruta natural e caseiro retiramos toda a fibra e expomos gande quantidade de açúcar à absorção intestinal. Assim, há uma elevação rápida da glicémia e da insulina (alto índice glicémico) o que causa a produção de TG (triglicérido = gordura acumulada). Mais,  há uma gande e rápida absorção da frutose o que causa problemas de saciedade (a frutose não inibe a grelina, daí não ser saciante) bem como uma sobrecarga calórica que se acumula como gordura. Para além disto, a frutose tem 7 vezes a capacidade da glicose para produzir produto da glicação, ou seja acelerar o nosso envelhecimento.

Isto tem profundas raízes na bioquímica do metabolismo da frutose o qual não pode ser aqui explicado, pois não é o fórum ideal para isso.

Sex | 19.03.10

Cara leitora

Dr. Luís Romariz

Bom dia Dr.
Venho colocar-lhe a seguinte questão: Comprei a proteína Whey - Garnell ao Sr. Sérgio, no entanto, não faço qualquer tipo de desporto e tenho uma profissão bastante sedentária, quando comprei não sabia que era para desportistas, ainda assim aconselha-me a tomar? Se sim, qual a dose diária?
C., 38 anos.
Obrigada pela atenção dispensada.
Com os melhores cumprimentos.

A proteína representa 72% do nosso resíduo seco. Faz parte dos músculos, enzimas, estrutura da pele, imunoglobulinas, etc.
Está indicada para toda a gente, especialmente numa época em que há desvios alimentares. O que se passa é que só há história de a receitar aos desportistas. Ninguém calcula o impacto que ela tem num idoso, mesmo de 80 anos.
Ajuda a saciar a fome e portanto a aproximar do peso ideal, mais importante da composição corporal ideal.
Nós devemos ingerir cerca de 1.5 gramas por quilo de peso e por dia. Pode fazer as suas contas ou tomar 1 a 1/2 dose como pequeno-almoço, ou como substituto de refeição. É importante uma peça de fruta a acompanhar.
Mais, quando emagrecemos é ela que permite manter a pele tonificada. Afinal, o colagénio e a elastina são proteínas. Nós, no NewAge, temos muita experiência com a introdução da proteína Whey nos planos de emagrecimento saudável. Claro que temos a tecnologia para determinar com exactidão as quantidades necessárias, mas isto é como o exercício: se não se pode ter um PT ao menos façamos exercício nem que seja em casa.

Qui | 18.03.10

AÇÚCAR- O ASSASINO SILENCIOSO

Dr. Luís Romariz

Actualmente temos uma nação de viciados em açúcar. O consumo de açúcar refinado subiu exponencialmente nas últimas décadas, e estima-se que se cifre em qualquer coisa como 10 quilos anuais por pessoa mais outro tanto em xarope frutose. Para piorar o horror destes factos há pessoas que não usam nada doce ou que consomem muitíssimo pouco açúcar, o que significa que há uma percentagem da população que consome anualmente mais açúcares do que o seu próprio peso. O corpo humano não consegue tolerar estas quantidades astronómicas de hidratos de carbono refinados. Os órgãos vitais são lesados pelo enorme consume destes açúcares.

O açúcar refinado não contém fibra, minerais, proteínas, gordura, ou enzimas, apenas calorias vazias… O que é que acontece quando ingerimos um hidrato de carbono refinado como o açúcar? O nosso corpo tem de deitar a mão a nutrientes vitais de células saudáveis para metabolizar este alimento incompleto. Cálcio, sódio, potássio e magnésio são retirados de diversas partes do corpo para podermos fazer uso do açúcar. Muitas vezes, é usado tanto cálcio para neutralizar os efeitos do açúcar que os ossos tornam-se osteoporóticos devido à espoliação de cálcio. Da mesma forma, os dentes são afectados e perdem os seus componentes até ocorrer a cárie e a consequente perda dos dentes.

O açúcar refinado é vazio de nutrientes, consequentemente causa a depleção dos stocks de várias vitaminas, minerais e enzimas. Se o consume de açúcar persiste então causa uma condição conhecida como acidose metabólica crónica de baixo grau, pelo que são necessários mais minerais para a compensar. Se o organismo ficar exaurido destes nutrientes, então não conseguirá ver-se livre dos resíduos tóxicos oriundos do açúcar. Estes acumulam-se no cérebro e no sistema nervoso, o que acelera a morte celular. A corrente sanguínea fica cheia destes desperdícios e aparecem sintomas de intoxicação. O açúcar também torna o sangue grosso e pegajoso, dificultando o fluxo sanguíneo e o suprimento vital às gengivas e aos dentes, bem como à pele.

Os malefícios mais notórios dos açúcares – com especial culpa para a frutose – situam-se ao nível do cérebro (a doença da Alzheimer é conhecida como a 3ª forma de diabetes), do sistema cardiovascular e obesidade da qual a diabetes e o sindroma metabólico são os expoentes. A frutose é a grande culpada da epidemia de obesidade, diabetes, doença cardíaca e fígado gordo. Frutose e álcool são praticamente idênticos, excepção feita ao estado de agitação provocado por este último. De resto, os seus efeitos nocivos são idênticos. Certamente que não passa pela cabeça de nenhum dos meus leitores dar uma cerveja aos seus filhotes. Então porque é que dão tão facilmente uma lata de refrigerante – Coca-Cola incluída? E não pensem que os sumos de fruta naturais, porque são caseiros ou porque vêm da fruta são bons. Não são, têm a mesma tendência para causar os efeitos supra descritos. Se Deus quisesse que bebêssemos sumo de frutos não teria criado a fruta, mas sim pacotes tetra pack

Qua | 17.03.10

Olá Irene

Dr. Luís Romariz

Boa noite drº Luís Romariz

Em primeiro lugar, agradeço os contactos  que me enviou para adquirir a proteina soro de leite e o super ómega 3 . Já estou a tomar. Sobre o Kefir que costumo tomar, gostaria que o doutor, se possível, me dissesse a dosagem certa pois a que me aconselharam ( três colheres  de sopa por dia), desperdiço muito produto, porque depois de aberto,  tem uma validade de 3 a 4 dias . Num dos textos que me dirigiu,  também referiu 45mg de menaquinona (vit k2) + magnésio. Este último, é incorporado na menaquinona ? Qual me aconselha tomar, o kefir ou  esta última , já que vou em breve iniciar a vit D e o  rejuvenator, e  receio que seja suplementos a mais , apesar de serem  diferentes. A   que mega GLA se refere, pois os óleos de onagra que conheço,  não têm esses componentes todos que o doutor referiu, para  se tonarem  benéficos ao nosso organismo. Gostaria de saber a receita da panqueca, que o doutor costuma  confeccionar . Posso fazer com a da Granell, ou fica melhor com a da  Olimp?
Cumprimentos
 Maria Irene
 
Olá
Isto dos suplementos é um pouco complicado pois falta sempre qualquer coisa. Infelizmente não há nada já feito e mesmo para os meus doentes da clínica tenho de mandar fazer um polivitamínico, antioxidante e polimineral . 
Na falta disso considero o ómega-3, o magnésio, e o resveratrol fundamentais.
Quanto ao resto vou pedir à Dra. Catarina Cunha (Nutricionista formada na Universidade de Westminster) para lhe dar uma opinião - apenas para não ser sempre o mesmo. A receita vai no mail.
Disponha

Pág. 1/3