Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Sex | 05.02.10

TEMPO DE REACÇÃO

Dr. Luís Romariz

Na vida temos duas opções. Ou fazemos parte do problema ou fazemos parte da solução!

Ontem recebi a declaração Portuguesa da Vitamina D...... pomposo! E nesse texto faz-se referência à crescente insuficiência nesta vitamina e à necessidade da sua suplementação, na dose de 700-800 UI diárias. Fantástico! A minha 1ª publicação sobre o assunto, neste blogue, foi em Maio de 2008. Já nessa altura eu falava acerca da necessidade de doses elevadas de vitamina D – maiores do que 2.,000 UI dia.
Então em que é que isto me consola? Apenas por duas razões: a primeira prende-se com a constatação de estar certo e na vanguarda da ciência médica; a segunda é por poder sossegar os meus pacientes e os meus leitores quanto à validade das minhas opções terapêuticas.
Infelizmente, esta declaração faz parte do problema! E porquê?
Porque aponta para níveis de vitamina D de cerca de 30 ng/ml – os quais apenas cobrem necessidades de combate à osteoporose – quando sabemos que os níveis óptimos andam à volta dos 90 ng/ml. Também sabemos que níveis elevados desta vitamina protegem de cancro do cólon, da pele, da próstata e da mama; do autismo e da esclerose múltipla; da doença cardiovascular. Enfim, diariamente aparecem novas indicações para a vitamina D. O que não me surpreende pois somos seres da luz!
O que me surpreende é o facto de não havendo vitamina D – 25-hidroxi-vitamina D – à venda nas farmácias (apenas há misturada com bifosfonatos ou com cálcio) se acertou no alvo ao propor a dose supracitada. É que esta é, apenas e por acaso, a dose que a indústria farmacêutica tem à venda nesses fármacos!
Ficamos com o problema para resolver. Nem temos as doses elevadas de que necessitamos, nem a 25-hidroxi-vitamina D. Pela parte que me toca já há muito que mando fazer análise aos níveis desta vitamina e ajo em conformidade. No mínimo todos os meus pacientes tomam 2.000 UI desta vitamina (que mando fazer). Na maioria tem sido necessário aumentar a dose para 100.000 UI de 15 em 15 dias e mesmo assim é difícil alcançar os níveis óptimos. Claro que eu sou um homem de fé, e tenho fé em que o Sol “volta” em Abril e que a nossa exposição solar nos fará obter os desejados níveis. É que eu tenho a opinião de que suplementos são isso mesmo. Acrescentos ao meio de obtenção natural. Mais, tal como em relação às vitaminas – atenção que a vitamina D é uma hormona e não uma vitamina – a suplementação apenas corrige insuficiências em alguns, mas não todos os compostos. Há metabolitos da vitamina D que só se obtêm através da luz solar. Mas esta é grátis,...... não é?
Qui | 04.02.10

Cara leitora

Dr. Luís Romariz

Olá Dr.º, Bom dia. Já em tempos tinha falado consigo que tinha mostrado disponibilizadade para envio de dieta, para resumir, estou gravida de 3 meses, tive um inicio de gravidez atribulado (alguma perdas de sangue) e tive de fazer repouso, felizmente situação já está resolvida, acontece que estou a engordar muito, os meus intestinos pararam e não sei o que fazer, a médica passou-me um laxante mas queria ainda fugir a isso.

Tomo Bioagaia de manhã, como aveia integral e farelo de aveia, tento beber pelo menos 1.5 litro de água, já comecei a caminhar 45 minutos por dia e nada, já engordei uns 4 kilos o que é muito.
Será que tem algo para me aconselhar.
Um abraço e bom dia para si.


Olá 

Pode fazer algumas coisas. O exercício é óptimo, mas 45 minutos parece-me demasiado. No máximo faça 30 minutos. Poderá acrescentar glucomanano à sua alimentação, bem como aumentar o consumo de legumes e fruta.

Aconselho-a a ingerir proteína Whey duas colheres medida diárias e a evitar concomitantemente tudo que seja açúcar, pão e massas. Fique-se pelo arroz Basmati e massa integral, esta 1 vez por semana, e força nas leguminosas. Coma três refeições por dia. Se tiver fome poderá tomar 1/2 colher medida de Whey com pouco leite magro - à laia de snack.

Qui | 04.02.10

Cara leitora

Dr. Luís Romariz

 

Muito boa tarde!

 

Tenho 42 anos, e estou em menopausa precoce, diagnosticada por diferentes médicos, e depois de muitas análises e exames. Aliás, todos os sintomas começaram quando ainda tinha 39 anos.

 
 

Perante este cenário o ginecologista/endocronologista que consultei disse-me que as vantagens em tomar medicação hormonal de substituição seriam muito maiores do que não as tomar. Assim,há praticamente um ano que tomo Progeston 2/10.

 

Entretanto, falaram-me nas hormonas bioidênticas e como sempre fui contra esta ingestão de substãncias quimicas, gostaria de saber concretamente do que se trata e que médico poderei consultar em Portugal que esteja dentro deste assunto e o receite.

 

Muito obrigada!

A. T.
 
Olá! Estou perfeitamente de acordo quanto à necessidade de fazer THS. Do que discordo veementemente é que isso seja feito com hormonas quimicalizadas.
As nossas hormonas são mensageiros bioquímicos, tipo software dos programas informáticos e todos sabemos o que pode acontecer ao hardware sob programas "pirata". As hormonas químicas representam um risco enorme de cancro da mama e útero, bem como de doença cardiovascular. O noso organismo não as reconhece. As hormonas bioidênticas são tratadas pelo nosso corpo da mesma forma que as que produzimos, pois o nosso organismo não as consegue distinguir. Têm praticamente só vantagens e zero dos efeitos nocivos. No entanto note que as hormonas estão interdependentes e que é preciso avaliar e optimizar a tiroide, as suprarrenais, insulina, etc.

 

 

Qui | 04.02.10

Cara leitora

Dr. Luís Romariz

Caro Doutor!

Tenho 49 anos e estou com a menopausa mais ou menos a um ano, tenho que admitir que foi e ainda é muito dificil aceitar esta nova fase da minha vida.
Nao tive sintomas dos mais comuns mas o que mais me incomoda e me preocupa é o nao conseguir dormir e o mal estar que me provoca nao dormir.
Confesso que a THS me faz muita confusao,e o meu maior medo é envelhecer, por isso tomo tibolona (Goldar), mas confesso que nao estou muito confiante, para alem de continuar a dormir só com medicaçao e nao me sentir muito melhor. O tema sobre saude sempre me atraiu bastante e mais agora que descobri este blog, onde li pela primeira vez " hormonas bioidenticas ". Será que o doutor me poderia explicar o que sao estas hormonas e se eu as poderia tomar?
Grata pela Atençao
 


Hormonas bioidênticas são aquelas que o nosso organismo reconhece como iguais às que produz, não as conseguindo distinguir e dando-lhes o mesmo destino das produzidas pelas nossas glândulas.

Qui | 04.02.10

A ROMÃ INIBE O CRESCIMENTO CELULAR HORMONO-DEPENDENTE DO CANCRO DA MAMA

Dr. Luís Romariz

Um relatório publicado na edição de Janeiro de 23010 da American Association for Cancer Research revela a descoberta que os cientistas fizeram no City of Hope Hospital in Duarte, California sobre os efeitos supressores dos compostos da romã na proliferação das células do cancro da mama.

Investigação anterior tinha demonstrado que o ácido elágico contido na romã inibia a enzima aromatase que converte a testosterona em estradiol, o qual incentiva um tipo comum de cancro da mama. Os cientistas deste hospital descobriram que ocorrem dez eligitaninas na romã as quais têm potencial para prevenir o cancro da mama hormono-dependente. Particularmente, um metabolito do ácido elágico chamado urolitina B inibia significativamente o crescimento de células cancerosas mamárias, em cultura.

"Os fitoquímicos suprimem a produção de estradiol e previnem a proliferação das células cancerosas mamárias e o crescimento dos tumores estrogénio-dependentes," Explicou o Dr. Chen. Ficámos surpresos pois embora já tivéssemos estas acções em relação às uvas, o facto é que os fitoquímicos da romã são diferentes

Foi sugerido que se aumentasse o consumo de romãs até porque já foram referenciados os seus potentes efeitos na prevenção da doença cardiovascular. Dado o seu mecanismo de acção e a sua actividade sobre a aromatase, eu acho que será óptimo para a sexualidade dos homens pois os cinquentões têm um aumento de estradiol em detrimento da testosterona…! 

Qua | 03.02.10

ALIMENTO PERIGOSO

Dr. Luís Romariz

O que acha se eu lhe disser que diariamente, 25% das calorias que ingere são provenientes de um veneno, disfarçado de alimento? E se você descobrir que esse impostor é o responsável pela sua resistência à acção da insulina e pelo seu aumento de peso? E Hipertensão Arterial … e colesterol-LDL e triglicéridos elevados … e depleção de vitaminas e minerais! E até gota, doença cardiovascular e hepática – fígado gordo. E se souber que esta substância tóxica tem sido descarregada na sua alimentação em quantidades crescentes nestes últimos anos, com o conhecimento das agências governamentais? Fica perturbada?

Quem me dera poder dizer-lhe que isto era uma ficção e que eu estava a brincar, mas infelizmente esta é a dura realidade. A substância em questão, responsável por muitas das doenças crónicas de que padecemos, é o açúcar – mais especificamente a frutose. Vejamos como.

Estamos a ingerir mais calorias do que há 25 anos. Em média, os homens consomem mais 187 calorias diariamente, e as mulheres mais 335 calorias. Pessoas que nunca tiveram excesso de peso são agora obesas. Caminhamos para uma população XXL. Mas porquê? A ciência moderna demonstrou que a epidemia de obesidade não se deve apenas à falta de força de vontade, mas também a um fenómeno derivado de alterações bioquímicas que desregulam a maneira como o nosso organismo regula a energia. Algo causou uma inoperância nos sistemas reguladores do apetite. A leptina, a hormona responsável pela saciedade, não está a “funcionar”. Não é apenas uma questão de ingestão e gasto de calorias. As crianças com seis meses de idade são as ultimas vitimas desta epidemia – pelo que a dieta e o exercício não conseguem explicar isto. Então o que estamos a comer que não ingeríamos há 30 anos atrás? Estamos a ingerir essas calorias extra sob a forma de hidratos de carbono de elevado índice glicémico. Particularmente sob a forma de refrigerantes (a1%) e sumos adoçados (35%). Os altos teores em frutose (xarope de milho) fazem com que o pâncreas segregue enormes quantidades de insulina, a destempo.

Se obtiver a frutose através dos vegetais e dos frutos como era há um século atrás, consumirá cerca de 15 gramas por dia – muito aquém dos 73 gramas do adolescente típico. Nos vegetais e frutos a frutose está misturada com a fibra, vitaminas, minerais, enzimas, e fitonutrientes, que moderam o efeito potencialmente negativo deste açúcar. Não é que a frutose seja má – é-o em doses maciças. Vou tentar explicar parte do metabolismo dos açúcares, para que qualquer pessoa possa entender. Vai ser mais difícil para mim do que para vocês!

Glicose: é o combustível básico dos seres vivos, desde as bactérias aos humanos, e é a fonte energética primária do nosso cérebro. Encontra-se nos hidratos de carbono como o açúcar, a batata, o arroz, a massa e o pão. Uma vez que ingere um hidrato de carbono este é transformado pelo processo digestivo em glicose, da qual parte vai para energia ou reservas no fígado (glicogénio) e o eventual excesso é transformado em gordura – triglicéridos – e armazenado. A insulina (hormona do armazenamento é produzida pelo pâncreas e tem como finalidade promover a entrada de glicose nas células e armazenar o excedente. A quantidade desta produção está dependente da carga glicémica que é o produto da velocidade de transferência da glicose do alimento (índice glicémico) pela quantidade de HC. Quanto mais comermos ou maior for a velocidade de transferência, mais insulina produziremos. Quanta mais produzirmos mais engordamos, mais oxidamos o colesterol e mais placa arterial formaremos. A outra face da glicose é que pode produzir os AGE’s ou produtos avançados da glicação. Esta, a glicação, é a caramelização da glicose com as proteínas das nossas células tornando estas difuncionais. Este fenómeno acontece por duas razões: porque temos excesso de glicose intracelular e porque ela permanece lá o tempo suficiente para formar caramelo. Ou seja, não fazemos exercício portanto não gastamos glicose. Assim aumentamos a nossa taxa de envelhecimento, teremos doenças degenerativas e morremos precocemente. Fructose: quando ingerimos frutose 100% desta vai para o fígado onde é metabolizada, razão pela qual a considero uma hepatotoxina pois sobrecarrega o fígado. A frutose cria alguns efeitos adversos:

·        É convertida em frutose-1-fosfato, depletando as células hepáticas de fosfatos.

·        Este processo produz desperdícios na forma de ácido úrico, o qual bloqueia uma enzima que ajuda a fabricar o óxido nítrico. Este é vasodilatador pelo que tem efeitos positivos na tensão arterial, nas coronárias, e nas artérias do pénis.

·        A maioria desta frutose-1-fosfato é transformada em citrato resultando uma lipogénese – produção de nova gordura. Aumenta desta forma o colesterol e os triglicéridos. Parte dos ácidos gordos dos TG são exportados para o músculo onde causam resistência à insulina, o que faz aumentar a produção de insulina, o que faz …… entrando assim num círculo vicioso. A eventual ingestão de álcool, nesta fase, só piora esta situação.

Então como parar esta situação?

Abolir completamente a ingestão de refrigerantes, não se esqueça dos seus filhos, doces e bolos. Dar preferência aos alimentos com HC de baixo índice glicémico como os legumes, fruta, aveia e quinoa evitando o pão, a batata, os cereais de pequeno-almoço que são uma autentica injecção de glicose, a massa e o arroz (a variedade Basmati tem um índice melhor).

Ingerir quantidade suficiente de proteína para, entre outros benefícios, estabilizar a glicose e a insulina. Fazer exercício regularmente, e caminhar depois de uma refeição abundante. 

Ter | 02.02.10

A PERDA DE MEMÓRIA PODE SER REVERSÍVEL

Dr. Luís Romariz

A actividade física moderada efectuada na meia-idade ou mais além parece estar associada com uma redução do risco de demência – e um programa semestral de aerobica de alta intensidade pode melhorar o desempenho mental nos indivíduos que já têm alguns problemas.

Todos os anos, 10% a 15% das pessoas com alguma dificuldade cerebral desenvolvem demência, em comparação com os 1% a 2% da população em geral.

O exercício físico pode proteger da demência através da produção de compostos protectores dos nervos, aumento do fluxo sanguíneo cerebral, melhoria do desenvolvimento e sobrevivência neuronal e da diminuição do risco de doença cardiovascular.

Como já o escrevi, o consumo de DHA em quantidades elevadas acrescido do exercício aerobico tem a capacidade de acordar as células estaminais cerebrais e rejuvenescer o nosso cérebro ou as suas faculdades cognitivas. 

Seg | 01.02.10

Cara leitora

Dr. Luís Romariz

Boa noite

Recentemente foi diagnosticado síndrome  de ovário poliquistico à minha filha de 18  anos (também tenho mesmo problema ) tendo a ginecologista receitado a pílula estinette para controlar a situação (eu tomei a diane e agora Yasminelle) .Pessoalmente nunca gostei muito de tomar a pílula mas alivia muitos dos sintomas da TPM. Gostaria de saber se haverá alguma alternativa à pílula para tratar este síndrome já que quando li os efeitos secundários da pílula fiquei assustada e não a dei mais à minha filha embora eu tenha de tomar para evitar o envelhecimento precoce (diz a ginecologista).

 

Penso que se for apenas para corrigir a sindroma do ovário poliquistico, o Utrogestan 100 mg  à noite, vaginal (melhor) ou oral (pior), entre os 12º e 26º dias poderão ser a melhor solução. A progesterona bioidêntica não tem os malefícios das progestinas (sintéticas).
Além disso não há introdução de estrogénios sintéticos, desnecessários nesta patologia.
Mas não serve como anovulatório anticoncepcional.

Quanto á pílula para combater o envelhecimento precoce, isso é um absurdo. A TSH faz-se com hormonas bioidênticas e de aplicação transdérmica.

Seg | 01.02.10

FINALMENTE UMA LINHA BIOLÓGICA DE PRODUTOS DE BELEZA ANTIENVELHECIMENTO

Dr. Luís Romariz

 

Caras leitoras, após muito tempo a “desancar” nos produtos de beleza com químicos, de efeito normalmente duvidoso, mas de grandes promessas e preço, aceitei o desafio de formular uma gama de produtos de beleza anti-envelhecimento. Ao criticar fico com alguma obrigação de contribuir para a solução do problema!

Apenas exigi algumas condições:
 
  • Ser biológica (certificação biológica)
  • Ter os princípios activos nas concentrações adequadas 
  • Ser certificada pelo INFARMED
  • Ter um preço verde, para que seja acessível a uma boa parte das portuguesas
 
Penso que a frase-chave desta linha "NÃO PONHA NA PELE ALGO QUE NÃO SEJA CAPAZ DE INGERIR" diz tudo. 
Assim, entendeu-se que esta gama deveria ser publicitada na net e apenas através dela ser vendida, directamente pela farmacêutica produtora à consumidora.
Os produtos desta gama serão todos produzidos de forma semi-artesanal, e sob controlo do Infarmed. Dadas as suas características de fabrico e os seus prazos de validade só deverão encomendar uma unidade por encomenda, aconselhando-se assim a uma reposição atempada. 
Esta gama é produzida sob licença do Instituto Médico NewAge, detentor da formulação – a qual poderá ser alterada sempre que cientificamente justificável – e por acordo entre este e a farmacêutica produtora tem um preço verde e uma política de venda transparente.
 
É uma linha "honesta" que cumpre os pressupostos da Clínica Mayo para este tipo de produtos – resultados visíveis só para lá de três meses. Sendo uma gama biológica (sem químicos) é intrinsecamente hipoalergénica, embora isso não signifique uma impossibilidade de intolerância. Como tal aconselha-se a sua utilização no antebraço durante 3 a 4 dias antes de aplicar no rosto.
 
Por fim chamo a atenção para o facto de ser imprescindível a aplicação do sérum de vitamina C para se obter resultados.
ACONSELHA-SE A PARTIR DOS 20 ANOS!
Para aprender sobre o envelhecimento da pele ou encomendar, basta clicar na imagem BioAginSkin do canto superior esquerdo no saber mais ou seguir o link http://instituto-newage.com/bas/ .
Seg | 01.02.10

MUITOS IGNORAM O RISCO DE UMA CINTURA GRANDE

Dr. Luís Romariz

Quase 90% das pessoas desconhecem o risco associado a uma cintura grande, e à gordura que acarreta.

Um estudo observacional com 12.000 Europeus mostrou que estes não faziam ideia do risco cardiovascular associado a uma cintura grande, a tem por trás uma acumulação de gordura de um tipo perigoso – a gordura visceral. Esta gordura visceral está fortemente ligada à diabetes tipo II e à doença cardiovascular, pensando-se que este perigo está relacionado com a libertação de proteínas e hormonas que causam inflamação, as quais por sua vez danificam as artérias e o fígado, afectando o modo como o nosso organismo metaboliza as gorduras e os açúcares.
Se o leitor for homem saiba que uma cintura acima dos 91 cm o coloca em risco de doença cardiovascular, AVC, diabetes e cancro. O mesmo se aplica às mulheres com cinturas maiores do que 83 cm.
Elimine os açúcares e os grãos da sua dieta e faça exercício. Estas são as chaves para diminuir o risco das doenças supracitadas, e para lhe dar um aspecto saudável e minimamente elegante.

Pág. 2/2