Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Sab | 05.09.09

COMO ESCOLHER UMA LOÇÃO DE LIMPEZA

Dr. Luís Romariz

Procure por surfactantes biológicos que tendem a não causar irritação, não comedogénicos (não obstruem os poros) e hipoalergénicos. É importante manter uma rotina de limpar a pele duas vezes por dia afim de eliminar a acumulação de sujidade e do excesso de gordura. A poeira e as células mortas estão normalmente embebidas no óleo da camada externa da pele, e removendo essas impurezas – embora possa ser necessário – pode quebrar a barreira natural da pele causando desidratação. Para minimizar esta situação, escolha uma loção de limpeza suave. Estes produtos devem ser neutros no que concerne à sua acidez, sendo desenhados para não perturbar o pH (medida de acidez) natural da nossa pele. 

Qui | 03.09.09

12 CONSELHOS PARA VIVER ATÉ AOS 100

Dr. Luís Romariz

Solte-se

As pessoas sociáveis e extrovertidas têm o risco de desenvolver demência diminuído em 50%. Os cientistas especulam que a sua resistência aumentada pode estar ligada a menores níveis de cortisol – a hormona do stress. A hipersecreção de cortisol pode inibir a comunicação entre as células cerebrais.

Praticar “jogging” 40 minutos por dia
As pessoas de meia-idade que praticam “jogging” num total de 5 horas semanais vivem mais e melhor. Desenvolvem menos doenças cardiovasculares, cancro, doenças neurológicas e menos infecções.

Frutos vermelhos silvestres

A fibra dietética ajuda a reduzir o “mau” colesterol, melhorando a sensibilidade à insulina, e favorece a perda de peso. Os antioxidantes impedem a oxidação do colesterol.

Sinta-se mais jovem

Quando nos sentimos mais jovens do que o que na realidade somos, isto está ligado a melhor saúde e à longevidade. Pode aumentar o optimismo e a motivação para aceitar desafios, o que ajuda a reduzir substancialmente o stress e aumenta a saúde do sistema imune diminuindo o risco de doença.

Abrace as tendências modernas

Aprenda a operar com o facebook ou outros similares. Esteja em contacto com amigos, família e ocasionais, e sentir-se-á mais vivo e importante.

Menopausa após os 52

Os estudos demonstram que uma menopausa mais tardia pode significar um aumento na longevidade. No entanto a substituição hormonal bioidêntica é superrelevante.

Todas as calorias contam

As pessoas que limitam a ingestão calórica vivem comprovadamente mais e melhor. Os seus corações passam a funcionar como se tivessem menos 15 anos. Diminua a ingestão em cerca de 30%, mas faça-o de forma hormonal e nutricionalmente correcta. Consulte um médico especializado em antienvelhecimento. Contacte a A4M Ibéria.

Seja mãe tardiamente

Se engravidar depois dos 44, terá menos 15% de possibilidade de morrer prematuramente. Os seus genes ligarão a longevidade pois é precisa para criar a criança.

Pulso

Uma frequência cardíaca de 60 batimentos por minuto em repouso é saudável. Esta varia entre os 60 e os 100. Quanto mais próxima dos 60 mais durará o coração.

Não ressone

Ressonar é o sinal mais evidente de obstrução por apneia do sono, um distúrbio em que se pára de respirar momentaneamente. Nos casos graves pode suceder 60 a 70 vezes por noite o que arruína o sono. Causa problemas de memoria, tensão alta, obesidade e depressão.

Barriga

As pessoas com maior barriga morrem mais precocemente, mesmo quando o seu índice de massa corporal é normal. A gordura visceral é altamente inflamatória.

Respiração

Quem respirar de forma adequada viverá mais e melhor. Adira a um programa de ioga, por exemplo.

Qua | 02.09.09

CUIDADO COM AS TOXINAS ESCONDIDAS NA SUA COMIDA

Dr. Luís Romariz

O seu supermercado está repleto de “lobos com pele de cordeiro”. Eis alguns conselhos para a ajudar a “ver” as toxinas escondidas nos produtos com que pretende abastecer-se.

·        Afaste-se das carnes processadas como o bacon, cachorros-quentes, e produtos de salsicharia. O nitrato de sódio nelas contido pode ser causa de formação de nitrosaminas, o que conduz a cancro.

·        Reduza a quantidade de alimentos enlatados que consome. Os enlatados têm frequentemente o bisfenol-A, um composto orgânico associado a diabetes e a doença cardíaca.

·        Retire os refrigerantes e os adoçantes da sua alimentação.  A exposição prolongada ao aspartame, um reconhecido neurotóxico contido nestes produtos, pode lesar as células nervosas e dar dor de cabeça e tonturas.

·        Opte por frango biológico. Há vestígios de arsénico nos frangos não biológicos bem como bactérias resistentes aos antibióticos, para além dos próprios antibióticos.

·        Evite os snacks processados industrialmente. Os oleos hidrogenados que aumentam o seu prazo de validade fazem muito mal à saude. É o caso das bolachas e dos bolos.

·        Afaste-se dos corantes artificiais como é o caso das guloseimas, e das gelatinas.

·        Sempre que possível compre produtos orgânicos.  Os pesticidas contidos nos não biológicos atacam o sistema nervoso e reprodutor, para não falar da acção carcinogénica.

·        Evite os antiaderentes. O Teflon utilizado pode libertar gases nocivos quando exposto a altas temperaturas.

·        Nunca leve contentores de plástico ao microondas. Há produção de bisfenol-A que contamina os alimentos.

·        Dê particular atenção ao peixe. Quase todos os recursos piscatórios estão contaminados com metais pesados como o mercúrio, chumbo, alumínio, arsénico e cádmio podendo levar a:

·        Cancro

·        Alterações neurológicas, incluindo a doença de Alzheimer

·        Fadiga e pensamentos confusos

·        Diminuição na produção de glóbulos vermelhos e glóbulos brancos

·        Anomalias no ritmo cardíaco

·        Lesão dos vasos sanguíneos

 

Genericamente pode dizer-se que quanto maiores os peixes e quanto maior for a profundidade a que vivem, estarão mais contaminados. VIVA a SARDINHA E A CAVALA!

 

Cuidado com a soja e seus derivados. Se o leitor tivesse acesso aos estudos sobre os malefícios da soja chegaria à conclusão de que os seus benefícios são um MITO e que pode conduzir a:

·        Problemas da tiróide, incluindo aumento de peso, letargia, fadiga, perda de cabelo e de libido.

·        Puberdade prematura

·        Cancro

·        Lesão cerebral

·        Alterações no sistema reprodutor

·        Cálculos renais

·        Fraqueza do sistema imune

·        Alergias

·        AVC e doença coronária

 

Para alem disto, maioria da soja é geneticamente modificada, o que acrescenta mais preocupações de saúde  

Ter | 01.09.09

A HORMONA DA GORDURA INFLUENCIA A MOTIVAÇÃO PARA COMER

Dr. Luís Romariz

 

Um novo estudo ajuda a explicar como a leptina – a hormona produzida pelos adipócitos (células de gordura) – influencia a motivação para comer.  

Os cientistas identificaram pela primeira vez neurónios que respondem à leptina na área hipotalámica cerebral. Estes neurónios reportam directamente no sistema da dopamina (um neurotransmissor cerebral que nos faz sentir bem), o qual controla o sistema de recompensas pelo que ingerimos. O estudo mostra evidência que a leptina não liga e desliga o apetite por controlar se nos sentimos cheios ou esfomeados. Também pode fazer-nos querer alimentos independentemente da fome. A maneira como as nossas células de gordura comunicam com o cérebro é através da leptina, uma poderosa hormona que envia mensagens tais como:

  • Estar com fome, comer e produzir mais gordura
  • Reprodução
  • Sistema de reparação celular

Quase todos nós pensamos o cérebro como o “topo da cadeia alimentar” em termos de tomada de decisões para manter o corpo em funcionamento, mas na realidade o cérebro depende de uma “palavra” da gordura para lhe dizer quanta energia há armazenada e utilizável, e nesse contexto o que fazer com ela. A leptina também controla áreas cerebrais ligadas à motivação para comer. Ela não só altera a química cerebral como também mantém activas as áreas cerebrais responsáveis pela fome e pelo metabolismo.

A maneira como o nosso cérebro regula o armazenamento de gordura é um processo multifacetado regulado, primariamente, pela leptina. Se tivermos demasiada gordura esta produzirá mais leptina, a qual alerta o cérebro para esse facto e faz–nos comer menos e queimar mais calorias. Se o cérebro não for capaz de “ouvir” a leptina entramos no mundo da obesidade. A este fenómeno chamamos resistência à leptina, e isto acontece por sobreexposição a esta hormona. O açúcar é metabolizado nas células de gordura, e elas produzem surtos de leptina os quais resultam em resistência à sua acção. Esta situação conduz a doenças degenerativas como as doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes, osteoporose, auto-imunes e reprodutivas. Pior, contribui para o ritmo do envelhecimento.

A maneira de reverter esta situação centra-se em evitar o consumo de alimentos com açúcar e de alimentos que se transformam em açúcar de maneira fácil e rápida.

Pág. 5/5