Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Qui | 27.08.09

Caro Alice

Dr. Luís Romariz

Olá, sou a Maria Alice, gostaria de saber onde posso encontrar o suplemento alimentar da vitamina b12.  


Não pode, pois só está à venda ou em comprimidos e são muito mal absorvidos ou em injectavel o que é muito doloroso.

Estamos a tentar desenvolver cápsulas sublinguais através do Instituto NewAge, e quando as tivermos eu darei notícias.

Qui | 27.08.09

Caro Vinicius

Dr. Luís Romariz

 Não faço ideia de quem sejam os médicos na sua área no Brasil. Contacte a A4M e talvez lhe possam ser úteis.

Qui | 27.08.09

...

Dr. Luís Romariz

 Boa tarde,

Andei a consultar o vosso site internet e gostaria de saber como devo obter hormonas bioidenticas, que tipo de exames devo fazer, etc.
Tenho neste momento 48 anos e já estou na fase da Menopausa. Tomo diariamente Tyrax 1,0mg para a tiroide.
Grata pela vossa atenção e ajuda.
Melhores cumprimento
s

 

Cara Ana Bela

Terá de se submeter a uma consulta médica por médico com formação neste assunto, e fazer o painel hormonal e bioquímico establecido pela A4M. 

Contacte a Academia Americana de Medicina AntiAging secção Ibéria, em Cascais, e peça informação. Mantenha-me ao corrente.

Qui | 27.08.09

...

Dr. Luís Romariz

Sr. Dr. Luís Romariz,

Sou da ilha da Madeira, tenho ouvido e lido sobre hormonas bioidenticas, e gostaria que me informasse se existe cá na madeira algum médico(a) competente que prescreva hormonas bioidenticas, caso necessite.

Tenho 44 anos, fiz análises clínicas gerais e o resultado estava dentro do normal, pois já algum tempo sinto-me sem energia e sinto-me quase sempre cansada, transpiro bastante em determinados momentos, mesmo sem esforço.

Fui ao médico que receitou-me um anti-depressivo por andar desmotivada e em baixo, tive que deixar de o tomar após uma semana pois senti-me pior e com outros efeitos secundários, receitou-me na mesma altura Duphaston 10mg mas ainda não tomei por receio dos efeitos, pois fiquei desiludida ter-me receitado este medicamento sem mandar tirar análises sobres os meus níveis hormonais.

Agradecia que me ajudasse, pois deslocar-me ao continente é complicado, porque além da 1ª consulta julgo que será necessário acompanhamento contínuo.

Grata pela sua atenção:

 

Cara Lúcia

Infelizmente, eu não tenho conhecimento de outros médicos portugueses a fazer optimização hormonal bioidêntica no nosso país. Repare que bas hormonas, sexuais ou não, estão todas interligadas e daí devermos ser tratados como um todo. Conforme tenho escrito e reitero a progesterona é a 1ª hormona a declinar (a partir dos 35 anos) pelo que há sempre algum grau de dominância estrogénica na sua idade.

Os antidepressivos, na minha opinião só se aplicam ou pontualmente face a uma agressão extreama (morte de um ente querido, etc) ou nas personalidades depressivas em que não há outra maneira (depressão endógena).

A pior coisa que poderá fazer, como já percebeu, é tomar hormonas químicas não iguais às que produzimos.

De qualquer forma poderá informar-se junto da Academia Americana de Medicina AntiAging, secção Ibéria (sediada em Cascais) sob o endereço A4M Iberia.

Mantenha-me informado.

 

Qui | 27.08.09

...

Dr. Luís Romariz

Comentário:
Caro médico, tenho 51 anos e ao ser consultada pelo meu médico fiquei surpreendida com a informação que me forneceu sobre um novo medicamento personalizado, de acordo com os resultados das análises a realizar, e que poderá retroceder a osteopatia que já tenho. Gostaria que me confirmasse esta informação para que eu tenha mais dados que me possam fazer decidir em relação a este tratamento que implica análises bastante dispendiosas.

 

Cara  leitora precisa dar-me infprmação sobre  a natureza e zona corporalda sua osteopatia, bem como mais detalhes  para eu poder saber do que estamos a falar e poder dar-lhe uma resposta séria. Seria conveniente enviar o seu mail.

Sex | 14.08.09

B12

Dr. Luís Romariz

 A vitamina B12 é conhecida como “vitamina da energia”, e é essencial para muitas funções críticas do nosso corpo, incluindo a produção de energia, a manutenção de um sistema imune eficaz, e promover a formação de glóbulos vermelhos. Dados recentes do estudo de Framingham mostram que 25% dos adultos são deficientes nesta vitamina e virtualmente 50% da população tem níveis de vitamina B12 sub-óptimos.

A vitamina B12 só se encontra em fontes de origem animal razão pela qual os vegetarianos enfermam desta deficiência que pode resultar em desempenho menor do sistema nervoso, ansiedade e menor saúde dos olhos.

Quanto mais velhos formos mais probabilidades teremos de ser deficientes em vitamina B12, quer por termos menor aporte quer por dificuldades de absorção desta vitamina.
Quanto mais velhos mais debilidade terá o nosso sistema digestivo, especialmente se a nossa alimentação não for correcta. O estômago perde a capacidade (as células parietais do seu revestimento interior) de produzir ácido clorídrico o qual liberta a vitamina B
12 dos alimentos.
O uso de antiácidos ou de medicações que inibem a produção de ácido (nexium, omeprazol, lansoprazol, etc.) diminui a capacidade de absorção desta vitamina, bem como a infecção por
Helicobactor pylori. Contudo a causa major de deficiência em vitamina B12 é a síndroma de mal absorção da cobalamina – o termo científico para a vitamina B12. Isto acontece quando o estômago perde a capacidade de produzir o factor intrínseco, uma proteína que se liga à vitamina B12 e que permite a sua absorção no intestino delgado.

A vitamina B12 ajuda o ácido fólico a regular a formação de glóbulos vermelhos, e ajuda  na utilização do ferro. Adicionalmente é precisa para uma digestão correcta, absorção dos nutrientes, e para o metabolismo dos hidratos de carbono e das gorduras. Também ajuda a manter a saúde do sistema nervoso. Mas não acaba aqui…longe disso!

Esta vitamina ajuda na formação celular e na sua longevidade. Mais, suporta a função reprodutiva na mulher, e promove o normal crescimento neuronal e das bainhas dos nervos do feto. O trabalho deste nutriente é vital para a circulação e para a produção hormonal das glândulas supra-renais. Aumenta a imunidade e convém não esquecer que promove um bom humor e uma sensação de bem-estar. Está ligado à memória, clareza mental e à concentração.

Para alem disto tudo dá um impulso na produção de energia como os doentes muito bem sabem quando lhes é prescrito injecções de B12. Estas injecções de um liquido vermelho, são dolorosas mas eficazes – são muitas vezes usadas para melhorar a dor ciática.

A vitamina B12 tem um papel vital na produção da melatonina – a hormona que nos faz dormir como bébés. Desconfie de baixos níveis desta vitamina se:

·        Andar mais cansado do que o normal

·        Se achar que o seu sistema nervoso não funciona tão bem como dantes

·        Se tiver mais dificuldades de visão

·        Se tiver perda de apetite e de peso

·        Se tiver obstipação e gases

·        Se tiver alterações do humor

·        Memoria mais frágil

·        Cabelo branco de forma prematura

 

Mesmo que coma muita carne, ovos, peixe e amêijoas (são riquíssimas em B12), a partir dos 50 anos a sua capacidade de absorção diminui bastante. Assim, será necessária uma suplementação. E é aqui que aparece outro problema. É que se a ingestão oral enferma dos defeitos de absorção já referidos, a via intramuscular através de injecção profunda é dolorosa e pode causar “alergia”.

Então qual é a alternativa? A via sublingual na qual cápsulas próprias se dissolvem na mucosa oral permitindo que esta absorva a B12 directamente para a corrente sanguínea. O problema é que não as há à venda no nosso país apenas um pequeno grupo de pessoas tem acesso a elas por prescrição para uma farmacêutica Alemã!

Veremos se futuramente esta e outras medicações (caso da Vitamina D) ficam acessíveis aos portugueses e a preços adequados. Não será por falta de empenho da minha parte que isso não acontecerá…

Qua | 12.08.09

COLESTEROL — A VIDA DEPENDE DELE!

Dr. Luís Romariz

“Ingerir alimentos que contenham colesterol acima de ZERO mg é mau para a saúde.”— T. Colin Campbell, PhD, author of The China Study.

A corrente médica maioritária está apostada numa guerra contra o colesterol. Contudo o colesterol é um nutriente imprescindível à vida! Acham um exagero? Considerem o seguinte.
De acordo com Michael Brown e Joseph Goldstein, vencedores do prémio Nobel em 1985 pela sua descoberta do receptor que liga o colesterol às células, o debate acerca do papel do colesterol na saúde e na doença é uma autentica guerra. Eles escreveram o prefácio do livro "The Cholesterol Wars”. Nele escreveram acerca deles o seguinte “os que condenaram o colesterol” e “forças anti-colesterol”.
De acordo com Brown e Goldstein, a próxima “batalha" da "Cholesterol Wars" será sobre a idade em que devemos iniciar uma terapia para baixar o cholesterol. A terapêutica ideal, segundo eles, sera uma dieta pobre em gordura e colesterol e rica em óleos polinsaturados.
Isto significa o seguinte: nada de manteiga, ovos, fígado ou outros orgaos e carnes. Uma dieta de vegetais, com pequenas quantidades de oleo de milho, de soja, e talvez umas cápsulas de óleo de peixe.
Como têm lido neste espaço, esta dieta não só é monótona e aborrecida, como peca pela falta de nutrientes essenciais e alimentos saborosos que a Terra tem para nos oferecer! Na realidade, actualmente são os óleos polinsaturados que promovem a doença cardíaca, o cancro, a lesão renal e o envelhecimento. Portanto, os culpados não são as gorduras saturadas.
Estes guerreiros das guerras anti-colesterol recomendam o inicio da terapêutica com estatinas – drogas para baixar o colesterol, mas com efeitos secundários graves – entre os 20 e os 40 anos de idade – embora outros peritos já recomendem dar estas drogas a crianças de 8 anos de idade! Nós médicos enfermamos muitas vezes por voluntarismos de acordo com os estudos, e às vezes pomos muito pouco bom senso no tratamento dos nossos pacientes… Uma das funções mais importantes do colesterol consiste em sustentar a aprendizagem e a memória – razão pela qual o cérebro é tão rico em colesterol, e talvez seja a razão para as estatinas causarem um distúrbio conhecido como amnésia global transitória. Em populações de baixo risco é necessário que 600 pessoas tomem estatinas para impedir um ataque cardíaco. Sim, leram bem – UM ataque cardíaco! E em populações de alto risco para evitar um evento é preciso que 60 pessoas tomem estes fármacos. Contudo, a taxa de efeitos secundários nomeadamente as dores musculares e a perda de memoria, irritabilidade e depressão são menosprezadas ou tidas como parte da personalidade do doente ou por causa da sua idade, passando em claro.
Obviamente que estas drogas são caras e dão lucros fabulosos, razão pela qual dificilmente a industria abrira mão delas. A ciência não é uma guerra contra uma molécula natural do nosso organismo – essa já cá está há milhões de anos – mas sim uma procura da verdade.
Mas, o pior cego é aquele que não quer ver…O que mudou no nosso estilo de vida foi a qualidade dos produtos de origem animal – animais alimentados a rações – e a ingestão brutal de hidratos de carbono de absorção rápida, bem como o sedentarismo. Não perceber isto e corrigir é um autêntico crime. 

Ter | 11.08.09

IMPLANTES E OBTURAÇÕES

Dr. Luís Romariz

Um implante dentário é uma opção para substituir dentes perdidos ou que não são viáveis. São formados por uma raiz artificial parecida com um parafuso, a qual é coberta por uma coroa em cerâmica. O tratamento implica a colocação do implante no osso da mandíbula, onde se espera que se funda com o osso adjacente num processo chamado “osteointegração”.

Um implante dentário típico é formado por titânio ou uma liga à base de titânio. De facto, as ligas metálicas são amplamente usadas quer na medicina quer na dentária. São os casos dos implantes dentários, stents coronários, aparelhos dentários de ortodontia, implantes ortopédicos e pacemakers. O titânio não só é robusto como é biocompativel. Então porque é que devemos rejeitar estes implantes?

O titânio não é biologicamente inerte. Estes implantes libertam na boca iões de metal 24 horas por dia, e esta exposição crónica pode despoletar inflamação silenciosa, alergias e doença auto-imune em pessoas susceptíveis. São precursores de doença.

Têm sido reportados casos de intolerância aos implantes ao longo dos anos, e a remoção deste material reduz a sensibilidade na maioria dos doentes. Um estudo em 56 pacientes que desenvolveram graves problemas de saúde após terem recebido implantes dentários em titânio, revelou que estes incluíam dor muscular, articular e nervosa; fadiga crónica e problemas neurológicos; depressão e inflamação na pele. A remoção dos implantes resultava numa melhoria dramática.

Finalmente, a presença de qualquer metal na nossa boca abre caminho para uma “toxicidade galvânica”, pois a nossa boca passa a comportar-se como uma bateria eléctrica carregada na presença da saliva. Tudo o que é necessário para obter uma bateria é dois metais diferentes e um meio líquido que conduza a corrente eléctrica. Os implantes, as obturações, as coroas, etc. servem este propósito conjuntamente com a saliva. É então gerada uma corrente eléctrica galvânica que transporta iões metálicos dentro da boca. Estas correntes eléctricas podem inclusive ser medidas com aparelhos próprios! Este fenómeno cria duas preocupações:

·        As correntes eléctricas criam corrosão das peças metálicas. Mesmo as ligas de metais preciosos não estão imunes a este fenómeno. Estes iões reagem com os componentes do nosso corpo dando a possibilidade das lesões já referidas.

·        Alguns indivíduos são muito susceptíveis a estas correntes internas gerando um quadro de dores aparentemente sem explicação.

Mas há alternativas a estes implantes. Materiais como o zircónio e a cerâmica são aparentemente livres de consequências. 

Seg | 10.08.09

ÓLEO DE PEIXE E O CORAÇÃO

Dr. Luís Romariz

Eu tenho insistido, nestes últimos 3 anos, na necessidade da ingestão de ácidos gordos omega-3 nomeadamente o EPA e o DHA, pois são extremamente benéficos para a saúde – especialmente a saúde cardiovascular. Resumidamente, isto é assim porque estes óleos equilibram as hormonas que produzimos em cada célula do nosso corpo, conhecidas como prostaglandinas, leucotrienos e tromboxanos. Estes compostos hormonais podem ser pró ou anti inflamatórios, alérgicos ou trombóticos. Se houver equilíbrio seremos saudáveis. Agora já é oficial, a corrente médica maioritária proclama estes óleos como “de grande interesse na prevenção primária e particularmente secundária de doença cardiovascular”. Após quarto estudos com mais de 40000 pessoas em prevenção primária (aquelas que nunca tiveram um ataque cardíaco), após enfarte do miocárdio, e mais recentemente na insuficiência cardíaca. O objectivo deverá ser uma ingestão de cerca de 500 mg diários destes ácidos gordos para os que nunca tiveram doença cardíaca.Claro que podemos e devemos ingerir estes óleos em forma de pescado azul – sardinhas, cavalas, etc. – mas na sua falta os suplementos são eficazes.

Dom | 09.08.09

Cara leitora

Dr. Luís Romariz
Dr Romariz,
Vivo no Distrito do Porto.
No dia 29 de Junho o meu período menstrual chegou pontual como sempre: Entre 26/27/28 dias + ou -  e terminou
como sempre: Nos primeiros 2/3 dias fluxo normal e 2/3 dias  a diminuir.
Devido a uma gravidez ectópica em 1982 foi-me extraída uma trompa. A outra que resta, está obstruída.
Nasci em Janeiro de 1960 e tive a menarca em Fevereiro de 1971. Há cerca de 4/5 anos tive aquilo a que  chamam "calores" e ataques de panico. Não dei importancia e consegui superar sem tomar medicamentos.
Em Março deste ano fiz analises: 
Prolactina 24.0 - LH 2.8 - FSH 3.2 - Testosterona total 53 - Delta 4 Androstenediona 4.03 -Estradiol 165-
 
Progesterona 11.00 -DHEA-S 171 - 
Colesterol 141 - Colesterol hdl 67 - triglicerídios 36 - ASAT/TGO 16 -GGT 13- glicose 80 -creatinina 0.71 - Ácido Úrico 2.7- plaquetas 209 -V.Sedimentação 10-  Enfim... Eritograma ... Leucograma ... Urina... Fezes... Tudo OK!
Desde a data que referi (29 de Junho) até hoje nunca mais tive o período! Sinto-me estranha... Estou em menopausa? Se sim, que devo fazer? Gostaria de ser seguida/acompanhada por um médico que não me "encha" (passo a expressão) de medicamentos. Pois o meu "pavor" aos medicamentos é enorme! Sou alérgica á aspirina. Não tomo nenhum tipo de medicamento natural ou sintético só  tomo quando é estritamente necessário e receitado por um médico!  A menopausa não me assusta, pois tal como a menarca é uma condição do "ser mulher". Que me aconselha?
Obrigada.
F. Maria

 

Considera-se uma mulher em menopausa quando passaram 12 meses seguidos sem menstruação, ou hormonalmente quando a FSH é demasiado alta (o que não é o seu caso).

Mas isto é um limite, uma linha arbitrária. O que é facto é que as alterações conducentes à menopausa e o período à sua volta - perimenopausa - preparam o corpo para o que aí vem. E deixe que lhe diga, a menopausa devia assustá-la pois a mulher sofre transformações involutivas que conduzem à desactivação da sua condição de ser humano saudável. No fundo são os nossos genes a despedirem-nos pois já não procriamos.

Assim, conte com um diminuição do desempenho sexual, osteoporose e sarcopenia, aumento do risco de cancro  e de doença cardiovascular, um envelhecimento mais notório especialmente na pele, etc. Os desequilibrios criados já na peri-menopausa podem conduzir a aumento do risco destas doenças através de uma condição conhecida como dominância estrogénica, isto é, embora os estrogénios baixem, a progesterona quase que chega a zero e eles ficam dominantes. Era suposto as mulheres viverem pouco para além da menopausa, mas as coisas já não são assim. Hoje queremos e podemos viver mais e muito melhor. Sabemos que quando optimizamos as hormonas, todas e não apenas as sexuais, o nosso organismo como que rejuvenesce e encaramos o futuro com mais optimismo!

O que eu aconselho é a optimização hormonal bioidêntica - com hormonas iguais às que produzimos - após testes abrangentes e sob supervisão médica frequente e de forma a mimetizar o ciclo da mulher fértil.

Os sintomas que relata são típicos da perimenopausa, e por favor nunca aceite que sejam fruto da sua imaginação e como tal lhe prescrevam antidepressivos ou tranquilizantes!