Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Seg | 31.08.09

COMO EVITAR QUE OS DENTES SE DESINTEGREM

Dr. Luís Romariz

Os cientistas têm avisado as pessoas para estar conscientes das lesões que as bebidas acidificadas causam aos dentes. No entanto, para alguns, a lesão dentária associada aos refrigerantes, sumos de frutos, ou certos tipos de chás já está em andamento. Num estudo recente, o Dr. Mohamed A. Bassiouny revela três passos para a reabilitação dos dentes agredidos e com erosão resultante do consumo excessivo destas bebidas. O Dr. Bassiouny aconselha estes pacientes a identificar a fonte da sua doença dentária. Então, implementam-se medidas para controlar e prevenir futuras lesões. Finalmente, deverão reduzir o consumo destas bebidas e melhor ainda parar de as ingerir. Os refrigerantes e outras bebidas açucaradas, incluindo os sumos de frutos, estão identificados há muito tempo como causadores de cárie dentária.

Ao contrário das cáries, a erosão dentária é um processo de descalcificação aumentada, o qual ao longo do tempo literalmente dissolve os dentes. Esta acidificação crónica também conduz a osteoporose.
Este estudo avaliou a capacidade de várias bebidas comuns iniciarem a erosão dentária:  
  • A água da rede pública não causa erosão
  • O chá demonstrou a menor capacidade de erosão
  • Os refrigerantes causam lesão visível no esmalte
  • O sumo de laranja tem a mesma agressividade que os refrigerantes
  • O sumo de toranja, de limão, e o vinagre são os que causam as maiores lesões
Normalmente eu chamo a atenção contra os sumos naturais de frutos pela sua capacidade de aumentar abrupta e altamente a insulina, mas eles também podem lesar os dentes.  
Os pais que condescendem em que as suas crianças tomem sumos em vez de água ou chá sem açúcar podem pensar que estão a providenciar nutrientes saudáveis aos seus filhos, mas a sua natureza lesiva para os dentes pode ultrapassar eventuais benefícios. As bebidas desportivas são outra escolha muito popular, mesmo no caso das crianças. A sua elevada acidez que permite um longo prazo de validade mina os dentes e a saúde, mais a mais porque têm açúcar o que até é normalmente mau para a maioria dos casos.    
A água municipal filtrada é uma belíssima opção para beber líquidos. As águas carbonatadas – com gás – têm um efeito erosivo sobre os dentes pois alteram o pH oral – medida de acidez – enfraquecendo assim o esmalte dos dentes.
Como guia:
  • Ingira alimentos naturais, não processados, e orgânicos sem frutose ou outro açúcar.
  • Privilegie alimentos da sua região.
  • Ingira alimentos fermentados
  • Ingira o mais possível os alimentos crus.
  • Ingira produtos de origem animal, gordura incluída.
Dom | 30.08.09

A VITAMINA D E A IMUNIDADE

Dr. Luís Romariz

Num estudo recente conclui-se que uma parte vital do sistema imune, a capacidade da vitamina D para regular proteínas antibacterianas, é tão importante que foi conservada ao longo de cerca de 60 milhões de anos e só é partilhada por primatas, incluindo humanos – mas não por outras espécies animais.

O facto desta resposta imune mediada pela vitamina D através de milhões de anos de selecção evolutiva, ter sido mantida e ainda encontrada em espécies como macacos, babuínos e humanos, sugere que ela deve ser vital para a sua sobrevivência, dizem os cientistas. Mesmo sabendo que o “peptido antimicrobiano cadelicidina” tem várias actividades biológicas diferentes para alem de matar os micróbios patogénicos, não fica claro qual delas ou combinação delas torna a vitamina D tão essencial à sua regulação.

O estudo também demonstra evidência da importância biológica de níveis adequados de vitamina D nos humanos e nos primatas, sabendo que a maioria dos humanos apresenta insuficiência em vitamina D.

 “A existência e a importância desta parte da resposta imune torna claro que os humanos e outros primatas necessitam manter níveis suficientes de vitamina D”, disse Adrian Gombart, um professor de bioquímica e o principal investigador conjuntamente com o Instituto Linus Pauling da Universidade de Oregon.

Num novo estudo publicado no jornal BMC Genomics, os cientistas do OSU e o Centro Médico Cedars-Sinai descreve a presença de um elemento genético específico dos primatas e envolvido na resposta imune inata. Eles encontraram-no não só em humanos e nos seus ancestrais, bem como nos chimpanzés e primatas primitivos.  

O elemento genético que se pensa ter um papel major na função imune inata nos primatas – uma antiga 1ª linha de defesa contra bactérias, vírus e ouros patogénicos, pode nunca vir a ser encontrado.

“Muitas pessoas estão familiarizadas com o papel do nosso sistema imune adaptativo, o qual monta uma linha de defesa contra os invasores e retém anticorpos e imunidade para o futuro,” disse Gombart. “É a forma como uma vacina actua. Mas igualmente muito importante é o sistema imune inato, ou seja, a reacção imune imediata ao contacto com um invasor o que acontece por exemplo quando fazemos um corte na pele e temos uma infecção cutânea.”

Nos primatas, esta acção de “ligar” uma resposta óptima ao ataque microbiano só funciona devidamente na presença de vitamina D, a qual é na realidade um tipo de hormona que circula no sangue e dá instruções às células através de um receptor celular. A vitamina D que é produzida na pele, em grandes quantidades, através da radiação solar, mal está presente na nossa alimentação.  A vitamina D refreia a resposta imunológica adaptativa para que ela não apresente uma sobre reacção, reduzindo dessa forma a inflamação ao mínimo necessário. Conforme tenho escrito, a inflamação contínua e exagerada é responsável pelo envelhecimento e doenças degenerativas.

Sab | 29.08.09

PRODUTOS DE BELEZA -Porquê Ingredientes Nocivos?

Dr. Luís Romariz

A pele é o maior órgão do nosso corpo – e também o mais fino. Menos de 0.25 cm separam o nosso corpo de potenciais toxinas. Mais, a nossa pele é altamente permeável. Quase tudo o que pomos em contacto com a pele acaba na corrente sanguínea, e é distribuída pelo corpo. É por isso que eu gosto tanto de dizer “não ponham nada na pele, que não fossem capazes de ingerir…”

Embora tenha sido reiterado varias vezes, a beleza é mais do que a pele. A tentativa de mudança exterior enquanto se neglegencia o que se passa no interior é quando muito um remendo temporário. Este é o grande dilema da medicina antienvelhecimento pois ninguém passa a ter melhor desempenho sexual, físico, cardíaco ou mental porque fez uma intervenção estética ao rosto ou ao abdómen. Mas muito antes de aparecer a medicina antienvelhecimento apareceu a medicina estética que ofereceu o que podia!

No que concerne à indústria da beleza, vale tudo…E o dinheiro fala mais alto. Por isso eu aviso – “consumidoras estejam alerta”. E se pensa que as agências governamentais zelam por si…Elas deixam que a indústria cosmética, incluindo os produtos de cuidados dermatológicos, tenham a sua própria politica de marketing e de ingredientes. E a lista dos que tentam ajudar as consumidoras é surpreendentemente pequena – ou inexistente.

Actualmente, estima-se que haja mais de 10.500 produtos cosméticos e de cuidados dermatológicos à venda no mercado. Destes, o Environmental Working Group calcula que 99% deles contenham um ou mais ingredientes cuja segurança nunca tenha sido avaliada. E porque é que usam estes químicos? Porque são baratos e proporcionam um prazo de validade muito alargado.

Eis alguns dos clichés que esta indústria adora:

·        "Apenas para uso profissional" – Esta frase permite remover químicos prejudiciais dos rótulos.

·        "Hipoalérgico" – Actualmente não são obrigatorios os testes para reclamar o estatuto de “hipoalérgico” ou “próprio para peles sensíveis”.

·        Químicos prejudiciais – A menos que se queira, estes compostos podem não estar explicitados nos rótulos.

·        Dermatológicamente ou cientificamente testado – Não tem qualquer significado, a não ser enganar as consumidoras. Em medicina os estudos são duplamente cegos e com um número grande de participantes. Os estudos são publicados nas revistas médicas e científicas. Recordam-se de algum creme que venha acompanhado de referências concretas a estudos sérios?

A indústria cosmética movimenta anualmente biliões. Baseada nos sonhos das pessoas, essa industria gasta milhões em publicidade. Ainda mais assustador do que isto é a quantidade de químicos que as mulheres põem no rosto cada ano que passa. Calcula-se qualquer coisa como 2.5 quilos! Tal como já aconteceu, as autoridades só podem suspender um produto após comprovadamente haver casos de graves problemas.

Muitas pessoas – inclusive as que escolhem alimentos biológicos ou  gourmet usam produtos dermatológicos que podem constituir uma ameaça séria para a sua saúde. Claro que não estou a sugerir que elas apliquem propositadamente toxinas na sua pele, simplesmente não têm consciência da dimensão dos químicos nos produtos de beleza – alguns irreconhecíveis e outros com nomes impronunciáveis. Um elevado numero destas toxinas têm efeito parecido com o dos estrogénios, o que deita por terra qualquer boa intenção de cuidar da nossa pele. Quais são estes químicos? Eis alguns, pois a lista é vasta:

·        Parabenos – muito utilizados como conservantes (cerca de 13.200 produtos) estão implicados nos distúrbios hormonais quer ao nível da pele quer ao nível endócrino.

·        Óleos minerais, parafina e petrolatum – estes derivados do petróleo deixam uma camada tipo plástico, obstruindo os poros e promovendo a acumulação de toxinas. Podem diminuir a renovação celular promovendo assim o envelhecimento da pele. Capazes de promover cancro deviam ser completamente excluídos…

·        Laurilsulfato ou laureato de sódio (SLS) – encontra-se em 90% dos cosméticos. Rompem a barreira líquida da pele conduzindo à desidratação. Combinado com outros químicos pode levar à formação de nitrosaminas que são carcinogénios potentes!

·        Acrilamida – encontrado em muitos cremes faciais, está ligada a tumores da mama…

·        Propilenoglicol – comummente usado como hidratante e transportador de fragrâncias, pode causar dermatite e irritação cutânea. Pode impedir a renovação celular da pele. Ligado a problemas renais e hepáticos.

·        Ácido fenolcarbólico – encontra-se em muitas loções e cremes, podendo causar colapso circulatório, paralisia, convulsões, coma e até falência respiratória.

·        Dioxano – frequentemente escondido em ingredientes como polisorbatos, álcoois, e laureato são muito comuns nos produtos de beleza. É carcinogéico, e as vias aéreas são altamente vulneráveis.

·        Tolueno – pode ser muito venenoso. Feito a partir do petrolatum e do alcatrão encontra-se em muitas fragrâncias sintéticas. A exposição crónica conduz a anemia e alterações renais e hepáticas. Ligado a alterações fetais.

Ora, tendo lido isto não será melhor pesquisar os rótulos dos seus produtos e evitar estes químicos? Para alem de evitar estes tóxicos, há outros passos que podem criar a tal aparência que idealiza! Obviamente estou a falar de não fumar, de fazer uma alimentação hormonalmente correcta e anti-inflamatória rica em produtos biológicos e sem processamento, ingerindo ómega-3 em quantidades generosas. Estou a falar de efectuar exercício físico regular e hormonalmente capaz de induzir o rejuvenescimento. Estou a falar de um sono reparador e a horas! Estou a falar de procurar um ambiente livre de toxinas e em fazer teste e terapias de desintoxicação de forma consistente…

Mas para alem disto há um assunto que tenho de debater consigo e acerca do qual deve estar consciente…Diariamente, a poluição, a sujidade, e o pó ligam-se à superfície da sua pele e se não perder uns minutos a limpar convenientemente a sua pele e a desobstruir os poros, a pele pode ficar com aspecto mortiço – em vez de brilhante e radiosa. No entanto há um mas…Poderá parecer um cliché, mas há coisas que pode fazer para prevenir o envelhecimento da sua pele:

·        Evite ou minimize a agressão pela água quente e pelo cloro. Embora o duche possa parecer promotor de saúde e do relaxamento, a sua pele pode discordar – especialmente se a água tiver muito cloro, a menos que venha de um poço. O cloro causa stress oxidativo na pele. Quanto mais quente estiver a água, maior é o seu potencial para causar lesão pois a taxa das reacções químicas aumenta com a temperatura. A água quente pode envelhecer a sua pele. Limite os banhos a um diariamente, rápido, sem grandes detergentes e muito tépido.

·        Use produtos de beleza biológicos.

·        Limpe cuidadosamente a pela, antes de se deitar.

·        Durma com a barriga para cima – a gravidade causa alterações na plasticidade da pele.

·        Não fume. O fumo produz imensos radicais livres que envelhecem a pele rapidamente.

·        Proteja-se do sol. O sol promove o foto-envelhecimento. Use um creme com FPS (15) incorporado.

·        Use um esfoliante natural. A esfoliação refresca a pele removendo as células mortas. Mas se o fizer de forma agressiva vai lesar as células vivas…

·        Aplique os produtos de beleza quando tiver a sua pele morna, pois aumenta a absorção. Se a pele estiver fria aplique-lhe uma toalha aquecida.

·        Nunca puxe ou esfregue a pele. Aplique os produtos com suavidade e com leves movimentos de batimento para que a pele tenha a melhor absorção. Esfregar os produtos de beleza promove as rugas e o descaimento da face.

·        NÃO espere melhorias do dia para a noite. Dê o tempo suficiente para os produtos actuarem – entre 3 a 6 meses. Prometer o contrário não é sério. Lembre-se que demorou anos para ficar com a pele envelhecida…

Finalmente tenha em conta que são poucas as substâncias com comprovada capacidade para melhorar a pele e rejuvenescê-la – vitamina C, derivados da vitamina A, ácidos de frutos como o glicólico, ácido alfa-lipoico, vitamina E, talvez o Q10 e pouco mais. E muito importante: têm de estar em concentrações eficazes – o que é raro acontecer. Opte por uma mentalidade de consumidora informada e decida pela melhor relação custo/benefício. Normalmente o mais caro não é o melhor!

Sex | 28.08.09

ALERTA ANTICOAGULANTES – O sangue “grosso” poderá ser protector?

Dr. Luís Romariz

A “sabedoria” da medicina Ocidental assume que o sangue ”grosso” é um problema que tem de ser resolvido a todo o custo de forma a reduzir o risco de trombose. Esta assunção conduziu a uma prescrição em larga escala de anticoagulantes cumadínicos. Estes anticoagulantes são responsáveis por muitos efeitos secundários lesivos nomeadamente a osteoporose.  Um estudo recente que este tipo de terapêutica pode causar uma instabilidade na placa de ateroma e assim aumentar o risco de trombose!

Os cientistas descobriram que os ratos com sangue “grosso” estavam mais propensos a formar placas de ateroma maiores, mas as placas eram mais estáveis e o seu sistema circulatório expandia-se para acomodar a placa. Quando se dava anticoagulantes a estes animais as placas tornavam-se menores e altamente instáveis, aumentando o risco de trombose. Os cientistas declararam que estes estudos confirmam outros efectuados em humanos e reflectem muito bem o que se passa no organismo humano. Se está a fazer este tipo de tratamento leve uma cópia do estudo ao seu médico e discuta com ele os prós e os contras, bem como as alternativas. O consumo do ácido gordo DHA proveniente do óleo de peixe ajuda a estabilizar a placa nas artérias. O objectivo é não ter sangue “grosso” graças ao estilo de vida e à alimentação, e não à custa destes medicamentos.   Muitos nutrientes como o complexo vitamínico E, o resveratrol, o extracto de uva, e a vitamina B5 ajudam na saúde do sistema circulatório. Os desníveis na leptina, fruto do tipo de alimentação que fazemos tornam o sangue mais pegajoso pois há receptores à leptina nas plaquetas. Melhorando a nutrição e diminuindo o peso excessivo, bem como suplementando a nossa alimentação com os produtos supra citados poderemos melhorar a nossa dinâmica circulatória. A dieta é o passo mais básico para ter um sangue fluido e um bom sistema circulatório. 

Sex | 28.08.09

A VITAMINA D PÁRA A FORMAÇÃO DA PLACA DE ATEROMA NAS ARTÉRIAS

Dr. Luís Romariz

 

Os cientistas provaram que uma insuficiência em vitamina D ajuda o colesterol danificado (o colesterol oxidado) a formar a placa de ateroma e que um nível adequado de vitamina D pára a formação da placa. Isto devia alertar as Sociedades de Cancro e de Dermatologia que promovem a heliofobia, a reconsiderar os seus conselhos sobre exposição solar pois a doença cardíaca é a maior causa de morte no mundo Ocidental.

A pesquisa foi levada a cabo em diabéticos tipo II os quais têm o dobro do risco de sofrerem de doença cardíaca. Demonstrou-se que eles não processam o colesterol de forma eficiente, e que a insuficiência em vitamina D foi a maior causa para este problema. Nos doentes com insuficiência em vitamina D, os seus macrófagos (tipo de glóbulos brancos encarregues de actividades de limpeza e ataque primário) absorviam rapidamente o colesterol danificado, tornam-se em células espumosas, e iniciando o processo de formação da placa de ateroma que obstrui as artérias. Os cientistas também demonstraram que quando os macrófagos humanos são colocados num ambiente rico em vitamina D a sua apetência para o colesterol fica bloqueada. Claro que níveis adequados de antioxidantes ajudam a prevenir a oxidação do colesterol, razão pela qual o complexo de vitamina E é tão bom protector do sistema cardíaco.

Aconselho vivamente os leitores a fazer uma análise sanguínea de determinação dos níveis de vitamina D no fim do verão. Assim, poderão prever as necessidades de suplementação durante o Inverno, prevenindo imensas doenças entre as quais se encontra o cancro.

Qui | 27.08.09

AS BACTÉRIAS "BOAS" COMBATEM A GRIPE

Dr. Luís Romariz

As bactérias naturalmente presentes no nosso organismo e nalguns casos em certos alimentos podem afastar o perigo dos resfriados e das gripes. Segundo um estudo, as crianças que consumam uma mistura de tais bactérias, conhecidas como probióticos, têm menos constipações, necessitam de menos antibióticos, e faltam menos dias à escola. Os cientistas já demonstraram que os probióticos podem beneficiar as pessoas doentes, e as bactérias “amigas” têm o poder de aumentar a imunidade natural em relação aos invasores.

Para a maioria dos leitores, resfriados e gripes são o pão-nosso de cada dia, razão porque devem fazer as vacinas e tomar probióticos, bem como os outros suplementos que tenho divulgado. Este ano o risco é maior por causa da gripe A e por não haver ainda vacina disponível. Os leitores têm ao seu dispor ferramentas para aumentar as suas defesas naturais e inespecíficas. E uma dessas ferramentas é os probióticos pois 80% do nosso sistema imune está localizado no tubo digestivo. Lembrem-se que um sistema inune robusto é a defesa número um contra TODAS as doenças, e que para tal deverão ter um equilíbrio entre as bactérias amigas e as nocivas (cerca de 85% “boas” e 15% “más”).Neste estudo as crianças que tomaram probióticos reduziram a febre em mais de 20%, a tosse em 25% e a rinorreia (decorrência nasal) em 30%. A utilização de antibióticos decresceu mais de 25% o que é óptimo pois os antibióticos são usados frequentemente de forma intempestiva disseminando a resistência aos antibióticos.

Diariamente eu e a minha família tomamos Biogaia – 5 gotas em jejum – e ingerimos produtos fermentados como os iogurtes. Um fio de mel também ajuda a aumentar as defesas (enzimas e actua como pré-biótico). Mas atenção que se os produtos tiverem sido pasteurizados já não funcionam como probióticos, daí preferir os iogurtes caseiros. A relação bactérias “boas/más” tem repercussão em:

·        Desenvolvimento harmonioso do sistema imune

·        Protecção contra o crescimento excessivo de microrganismos capazes de causar doença

·        Melhor digestão e absorção dos nutrientes

Os probióticos também interferem:

·        Digestão e absorção de certos hidratos de carbono

·        Produção de vitaminas, absorção de minerais e eliminação de toxinas

·        Prevenção de alergias

O açúcar é um fertilizante incrível para o crescimento desmesurado das “más” bactérias e fungos, pelo que se pecar por excesso está a fazer uma selecção em prol das “más”.

Para se proteger da gripe siga alguns conselhos:

·        Optimize os níveis de vitamina D

·        Coma muitos alimentos fermentados e use probióticos para reforçar

·        Limite ou evite o açúcar

·        Descanse bem

·        Evite o stress

·        Ingira N-acetilcisteína, vitamina C e proteínas (as imunoglobulinas são proteínas)

·        Faça exercício regular

·        Lave e esfregue frequentemente as mãos

·        Ingira boas quantidades de ómega-3 (óleo de peixe)

Se não cuidar da sua saúde não pense que vão ser os outros a faze-lo. E depois de ficar doente nós médicos já só vamos atrás do prejuízo! 

Qui | 27.08.09

Caros leitores Brasileiros

Dr. Luís Romariz

 Eu vivo em Portugal e desconheço a realidade médica no vosso país. No entanto a Prfª Isabel Hoffmann Miles presidente da Academia Americana de Medicina AntiAging ibéria tem ligações à rede record e à vossa realidade pelo que talvez ela vos possa ajudar! Tentem www.a4miberia.com

Qui | 27.08.09

...

Dr. Luís Romariz

Boa noite, gostaria de saber onde posso recorrer em Portugal para aconselhamento nesta área, ou seja, na utilização de hormonas bioidênticas.

Obrigada Sandra 

 

Se morar no Norte poderá informar-se no Instituto NewAge, no Porto (só reabre em Setembro). Se morar no Sul pode indormar-se na A4M Ibéria  www.a4miberia.com / Mobile: +351 91 653 4605

Phone: 214 830 057 or 214 812 580.

Qui | 27.08.09

Caro leitor

Dr. Luís Romariz

Agradeço informações para constantes esquecimentos falhas por vezes de memória, esquecer-se de e não se lembrar de de que fez este ou aquele acto.

Sou uma pessoa com a idade de 79 anos. Será esta a causa destes esquecimentos ou poderá haver outras causas que será necessário vigiar ou ainda de consultar um médico? Qual o tipo de médico mais indicado para estes casos?
Grato pela boa atenção para este meu assunto.
Apresento os meu melhores cumprimentos.
                                                                Marcelo Martins
 
Caro Sr. deveria ser consultado por um especialista em medicina antiaging. Como está o seu açúcar? E os marcadores da inflamação?
Poderá sempre tomar ácido alfalipoico 300 +300 mg, vitamina B12 (sublingual ou injectável) e muito importante o óleo de peixe (sardinha é bom e barato) 2 cápsulas a cada refeição e fazer caminhadas diárias.
Contacte a Academia Americana de Medicina AntiAging Ibéria, em Cascais e peça informação sobre médicos. A4M Iberia
 
 

 

Pág. 1/3