Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Sex | 24.07.09

CEREAIS E SAÚDE

Dr. Luís Romariz

Um estudo que utilizou amostras congeladas de sangue de recrutas da USAF há 50 anos encontrou intolerância ao glúten do trigo, uma condição digestiva debilitante, é actualmente quarto vezes maior do que era em 1950. Os resultados contrariam a sabedoria convencional de que não há maior intolerância, mas sim mais casos diagnosticados. Afinal, parece que as alterações dietéticas Ocidentais têm um papel nesta intolerância. A doença ocorre em pessoas que não conseguem digerir o glúten, uma proteína encontrada no centeio, no trigo e na cevada. A proteína por digerir leva o sistema imune a atacar o revestimento do intestino delgado, causando diarreia, náuseas e dor abdominal.

Os cientistas que conduziram o estudo também descobriram que os recrutas que não tinham este problema diagnosticado, chamado doença celíaca, tinham um risco de morte quatro vezes maior. De acordo com estatísticas da Universidade de Chicago, 1 em 133 pessoas saudáveis sofre desta doença. Infelizmente, os rastreios estão a fazer aumentar a incidência – e o diagnóstico ao ser atrasado  cerca de 4 anos em média aumenta o risco de complicações tais como doenças auto-imunes (artrite reumatóide), neurológicas, osteoporose, e até cancro. Por exemplo, se lhe for diagnosticada a doença após a idade de 20 anos, as suas hipóteses de desenvolver uma doença auto-imune disparam de 3.5% para 34%. Alem disso, está ligada a morte prematura.

O rápido aumento desta patologia e especialmente a sua forma de intolerância – mais frustre, mas nem por isso mais benigna – não surpreende face aos hábitos alimentares ocidentais, centrados em hidratos de carbono originários dos grãos. Adicionalmente, o trigo moderno é muito diferente do trigo dos nossos ancestrais. A proporção do glúten tem vindo a aumentar imenso como resultado da hibridação. A farinha de trigo super refinada e pura é uma “invenção” do último século dando lugar a uma miríade de sintomas:

·       Osteopenia ou osteoporose; alterações dentárias e deficiência em vitamina K

·       Doenças do sistema nervoso como demências e dificuldades cognitivas

·       Anemias, infertilidade e menopausa precoce

·       Alterações do peso; depressão e fadiga

A nossa evolução ao longo de milhões de anos fez-se sem os cereais, pelo que não estamos aptos à sua introdução “em força” na nossa alimentação. O cultivo e utilização de cereais tem cerca de 10 000 anos… pouco tempo para poder haver mutações no sentido adaptativo aos grãos. Quando passamos de uma civilização de caçadores recolectores para agricultores baixamos de estatura, facto do qual só há uns 50 anos estamos a recuperar.

A detecção das intolerâncias é simples de efectuar por uma análise ao sangue, pelo que evitando o glúten durante uma ou duas semanas se obtem melhoras espectaculares! Como efeitos acessórios de não consumirmos  cereais teremos:

·       Peso saudável

·       Estabilização do “colesterol”

·       Normalização da tensão arterial

·       Diminuição do risco de diabetes

·       Diminuição do risco de cancro

Devemos ter presente que estamos preparados para uma alimentação de carne, peixe, ovos, fruta e alguns legumes. Os nossos genes ainda são os dos homens das cavernas, a civilização” é que é diferente.

Qui | 23.07.09

Q10

Dr. Luís Romariz

Eu acredito que os suplementos alimentares devem completar uma dieta saudável e nunca servir como substitutos. Não há substituição para uma alimentação saudável com alimentos não processados. No entanto há dois ou três suplementos que eu considero benéficos para todos os adultos. Um deles é o Coenzima Q10 (CoQ10). Ele está á nossa disposição há décadas, mas actualmente há uma forma de Q10 chamada ubiquinol. Acredito que um dos elementos chave no processo de envelhecimento é a produção de radicais livres de oxigénio. Estes são partículas às quais lhe falta um electrão e que tudo corrompem até o obter. Estas moléculas causam lesão aos tecidos e ao ADN. Se pudermos limitar a produção de radicais livres – limitar e não anular, pois alguns são necessários – então podemos interferir no processo do envelhecimento. Um nutriente capaz de fazer isto é o Q10. O problema é que o nosso corpo requer a forma reduzida do Q10 para poder limitar os radicais livres. À medida que envelhecemos temos menos capacidade de transformar este nutriente na sua forma reduzida. Assim, ao usarmos um suplemento estamos a incrementar o processo e a aumentar a produção de energia. O ubiquinol existe em toda a vida…é omnipresente! Mas cada vez fica mais difícil produzi-lo por:

·        Aumento das necessidades metabólicas

·        Stress oxidativo (fumo, toxinas, etc.)

·        Ingestão deficiente

·        Efeitos deletérios de doença

·        Alterações relacionadas com a idade e com os genes

Dado que este nutriente é fundamental nas nossas centrais produtoras de energia (mitocôndrias), deve ser sempre dado como suplemento a todos os que tomam estatinas para diminuir o colesterol.

Qui | 23.07.09

Cara Maria A.

Dr. Luís Romariz
Tenho a pele muito branca e dificilmente bronzeia, nos últimos três anos tenho feito reacções alergicas ao sol, uso sempre factor de protecção 50+ e comecei no fim de semana a tomar unas capsulas antioxidantes (Heliocare).
Gostaria de saber qual a sua opinião/sugestão sobre a sensiblidade ao sol.
Grata pela atenção
 
Provavelmente faz um eritema solar, o que é bom se for causado por uma exposição solar de cerca de 15 minutos - no seu caso com pele muito branca - entre as 12 e as 16 horas. Proteja o rosto com protector solar enquanto apanha o sol. Depois, evite o sol completamente seja com roupa, óculos e protector solar (UBA e UVB). São os raios UVA predominantes de manhã e à tarde que nos podem fazer cancro da pele (melanoma). Utilize apenas produtos BIOLÓGICOS. Na maioria dos casos de pele reactiva são os cremes que pioram a asituação. Talvez lá para o Outono já haja uma linha biológica em Portugal...
Qualquer dúvida é só perguntar!
 

 

Qui | 23.07.09

Cara Sandra Pessoa

Dr. Luís Romariz

Boa Tarde Considero a questão dos sumos interessante e todos os dias tento beber pelo menos um copo grande de sumo natural feito na hora, costumo utlizar várias frutas (maça, laranja e açai) ou então legumes (cenoura, pepino, couve de bruxelas, broculos, ...) acontece que faço mesmo sumo (em equipamento que extrai o sumo do polpa) em não em máquina de batido, será incorrecto?
 

 

É incorrecto porque isso faz aumentar o índice glicémico da fruta e portanto a obesidade e possivel diabetes. Para além disso favorece a glicação - fenómeno que nos envelhece e determina a nossa taxa de envelhecimento - o que queremos evitar a todo o custo.Claro que ao incorporar legumes minimiza um pouco. O ideal será juntar uma colher de sopa de fibra solúvel.

Qui | 23.07.09

Cara Sandra Pessoa

Dr. Luís Romariz

O óleo de germen de trigo tem fundamentalmente ómega-6 , pelo que deve ser acompanhado por ómega-3 . O òleo de fígado de bacalhau não deve ser tomado diariamente pois o seu alto conteúdo em vitamina A -desaconselhável nos fumadores - pode deslocar a vitamina D. Tome óleo de salmão 1 grama às 3 refeições e uma vez por semana tome 1 cápsula de óleo de fígado de bacalhau.
Uma boa alternativa ao salmão será o óleo de sardinha e mais barato...

Qua | 22.07.09

ÓLEOS ÓMEGAS E A SAUDE

Dr. Luís Romariz

As gorduras são formadas por unidades pequenas clamadas de – ácidos gordos. Estes podem ser saturados, monoinsaturados e polinsaturados. Os saturados dão rigidez necessária às nossas membranas e fornecem energia. Os não saturados dão plasticidade ás membranas celular e podem eventualmente ser usados com fonte energética. As gorduras animais são na sua maioria – contrariamente ao que se diz – constituídas por ácidos gordos não saturados.

Nós classificamos os ácidos gordos não saturados em ómega-6 (ácido linoleico), ómega-9 (ácido oleico do azeite) e ómega-3. Destes há dois considerados essenciais porque não somos capazes de os produzir – o ácido linoleico (Ω6) e o linolénico (Ω3). Têm de ser obtidos pela alimentação. O azeite é um ácido gordo monoinsaturado, portanto mais difícil de ficar rançoso – e é neutro sob o ponto de vista hormonal. É um bom suporte energético.

Então porque damos tanta importância aos ómega-3? Porque são estes que em última instância vão determinar a produção de hormonas celulares formadas a partir dos ómega-6, no sentido de “boas” ou “más”, ou seja, proinflamatórias vs antinflamatórias; proalérgicas vs anialérgicas; protrobóticas vs antitrombóticas, etc. Se houver equilíbrio estamos com boa saúde. Caso contrário ficamos expostos a doença cardíaca, demências, AVC, asma e cancro. Dos ácidos gordos Ω3 o EPA (ácido eicosapentanoico) é o que mais interfere para que se produzam as tais hormonas –prostaglandinas, leucotrienos e tromboxanos – benéficas. Esta é a razão porque tanto se aconselha a ingestão de ácidos gordos ómega-3. Dantes, quando os animais eram alimentados na natureza, havia um equilíbrio de Ω6/Ω3 em cerca de 3:1. Com a actual criação de gado, aves e peixes esta relação passou para um perigoso 20:1.

Quando comemos peixe azul ou suplementamos com cápsulas de  EPA/DHA ficamos menos expostos ás doenças referidas, com o sangue mais fluído, com melhor desempenho cerebral e sexual, melhor pele cabelos e unhas. Vivemos encharcados em óleos ómega-6 e de má qualidade – girassol, amendoim, etc. Estes são extraídos a quente e submetidos a solventes químicos para dar maior produção. Resultado, um óleo adulterado que chega às prateleiras em garrafas de plástico – perigo do bisfenol A – transparente que põem o óleo em contacto com a luz, o que mais o estraga. O ultraje final é feito por nós quando os aquecemos e assim formamos mais produto tóxicos e ALE’s – produtos aceleradores do envelhecimento, ou então transformamos estes óleos vegetais em hidrogenados (margarinas ou cremes vegetais) e passamos a acelerar para o enfarte, Alzheimer e cancro.

Claro que cabe a nós médicos inovativos alertar para estes perigos, mas é cada um de vós, consumidores – que tem de zelar pela saúde da sua família. 

Ter | 21.07.09

MITOS E VERDADES DO EMAGRECIMENTO

Dr. Luís Romariz

 Esta deve ser a pior altura do ano para as pessoas que têm, no mínimo, sobrepeso, É altura do Verão e da roupa mais leve e reduzida, a altura de exposição do corpo na praia, piscina, etc. Tomamos consciência das nossas gorduras acumuladas durante o ano, ou anos…e ficamos envergonhados.

Temos que tomar uma atitude, e imediatamente! Vem-nos à lembrança os nomes de clínicas ou métodos/produtos de emagrecimento com que fomos bombardeados nos últimos meses. Às vezes até conseguimos a ajuda de uma amiga ou vizinha para nos indicar o tal médico que opera milagres, e aí vamos nós sem nos questionarmos em relação ao que nos levou a ficar desta forma.

Então quais são as opções? Há de tudo, desde cremes de adelgaçamento, chás, cápsulas que operam verdadeiros milagres, banda gástrica, balão, ginásio, lipoaspiração, lipoaspiração não invasiva, e claro as dietas milagrosas. Perca X quilos em 14 dias! É a peso minhas senhoras, é ao desbarato! Como se isso fosse possível… A nossa gordura está dependente do equilíbrio entre a energia que comemos e a que gastamos. Ora nós gastamos diariamente energia simplesmente para:

·        Manter as funções vitais (metabolismo de repouso) e para digerir os alimentos

·        Actividade física

Sendo que a gordura é composta por ácidos gordos e que cada grama destes fornece 9 kcal, fácil é chegar ao cálculo de quantas calorias precisamos de perder para tirar 10 quilo de peso.
Posso apontar como exemplos que para gastar 200 kcal.,a marcha vigorosa deve ser de 25 minutos, a musculação cerca de 45 minutos e a corrida moderada cerca de 15 minutos. Claro que não estou a entrar em linha de conta com o aumento subsequente do metabolismo nas 48 horas pós exercício, o qual é relevante. Outra questão importante prende-se com a comosição corpora. Queremos perder gordura, mas não queremos perder massa muscular e muito menos órgãos. Imagino qual seria o horror e a resposta de alguém a quem lhe fosse perguntado quanto quereria perder de coração! Portanto, o IMC (índice de massa corporal) não serve como padrão, apenas como ligeira orientação. CUIDADO, de dieta em dieta até à DERROTA FINAL!

Quais as verdadeiras opcções? Segundo os vários tipos de causas da obesidade podemos equacionar as seguintes terapias:

·        Banda gástrica, balão, derivação, quando o problema é causado por comer demais às refeições

·        Psicofármacos, apenas quando estamos em presença de alimentação emocional, isto é, as pessoas comem para se setirem bem psicologicamente.

·        Lipoaspiração, não trata a causa e é potencialmente perigosa. A cavitação carece de fundamento cientifico, por muito que passe a sua promoção nos telejornais.

·        Dos cremes, chás, etc. nem é bom falar…

·        As dietas. Temos de perceber que uma dieta equilibrada, bonitinha, não passa disso…equilibrada. Comeremos bem mas mantemos o mesmo peso! O que fazer? DIETA DE ROTURA, isto é uma dieta que desequilibra em calorias e em nutrientes, com o objectivo de levar a uma grande perda de peso FISIOLÓGICA e SAUDAVEL nos primeiros 20/30 dias, à qual se segue uma dieta de equilíbrio para manter os nutrientes e estabilizar o peso/composição corporal alcançados. Este é o caso das dietas proteinadas, que devem ser prescritas e efectuadas sob supervisão médica. Evita-se a perda muscular e a perda de massa dos órgãos.

·        Exercício, praticamente proibido na 1ª fase da dieta, deve ser encarado como instrumento de bem-estar e de manutenção de peso saudável.

PENSEM bem antes de entrar num plano de emagrecimento NÃO CIENTÍFICO, que faz engordar quem o vende!

Dom | 19.07.09

Cara Ana Martins

Dr. Luís Romariz

Há uma semana que me tem aparecido pisaduras no corpo. Nas pernas, como é uma zona bastante solicitada e mais propícia a traumas, as pisaduras nunca alarmam. 

Mas quando me apareceu uma pisadura no peito sem justificação, fiquei preocupada.
Há motivo de alarme? O que posso fazer?

 

Deve manter a calma e fazer um hemograma (eritrograma+leucograma+plaquetas), uma t. protrombina e uma ecografia ao baço. Se tudo estiver normal, significa que tem uma fragilidade capilar e então poderá tomar Varison 1+1.


Dom | 19.07.09

Cara Isabel Vieira

Dr. Luís Romariz

 Eu até lhe dava o contacto que pretende, mas para tal preciso de saber para onde o enviar, pois esqueceu-se de deixar email, tmn, etc!

Dom | 19.07.09

Cara Beatriz

Dr. Luís Romariz

Olá, sou a Maria Beatriz, tenho 51 anos e estou na menopausa. Queria saber quais são as hormonas bioidênticas que existem à venda em Portugal, aprovadas pela FDA.

Não estou satisfeita porque só me receitaram estrogénio e sei (tenho lido) que a progesterona também se deve tomar. Aliás, li que deixamos de produzir progesterona e continuamos a produzir estrogénio, embora em menor quantidade, na menopausa, não é? Sendo assim, não seria mais correcto receitarem-me também (e principalmente) progesterona?

Apenas usei estraderm, mas os adesivos estavam sempre a cair. Gostava de saber se existe em creme, ou spray, mas sem ser de aplicação vaginal. Sei que existe (evamist) mas não sei se há cá. Agradecia um esclarecimento mais detalhado porque as informações que tenho não são suficientes.
Obrigada.
Antes de mais deverá fazer análises de rotina, incluindo provas hepáticas e se possível teste de desintoxicação hepática e metabolitos dos estrogénios urinários, pois assim saberá como o seu corpo trata e elimina as suas hormonas - e já tem uma previsão de risco de cancro.
A primeira hormona a declinar é a progesterona que entre outros efeitos contrabalança a acção proliferativa dos estrgénios - isto começa lá pelos 35 anos. desta forma passa a existir uma dominância estrogénica que se acentua na menopausa, altura em que ainda produz algum estrogénio mas quase nada de progesterona. Esta dominância pode levar ao cancro entre outras maleitas.
As hormonas bioidênticas, isto é, iguais às que nós humanos produzimos não são passíveis de serem patenteadas pela indústria farmacêutica pelo que o seu preço se torna baixo e desinteressante, pelo que não as vendem - caso da progesterona em gel. As hormonas devem ser substituídas mimetizando o ciclo fértil, incluindo o intervalo de 1 semana de pausa - e têm de ser administradas por via cutânea. Uma outra hormona pouco falada, mas crucial é a testosterona (a qual incluo invariavelmente nas minhas prescrições). Como não há preparados bioidênticos à venda nas farmácias, a única opção é a de mandar fazer como manipulado - tem a vantagem de ser personalizado - e após prescrição de um médico competente em hormonas bioidênticas (por exemplo: eu sou membro diplomado da International Hormone Society).