Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Ter | 31.03.09

GLAUCOMA E QUALIDADE DE VIDA

Dr. Luís Romariz

O glaucoma é a segunda causa mundial da cegueira, e pretence a um grupo de doenças oculares que lesionam o nervo optico, levando à perda da visão. Nas suas  fases iniciais, o glaucoma poderá não dar qualquer sintoma de alerta, e estima-se que mais de 4 milhões de americanos nem façam ideia que são suas vitimas. Dado a perda de visão associada ao glaucoma ser tão insidiosa e gradual, ele é muitas vezes chamado de “ladrão da visão silencioso.” Frequentemente, não é senão numa fase avançada da doença que a perda de visão se torna aparente, e nessa altura a perda poderá ser permanente. É por causa disto que é tão importante tomar agora medidas para proteger os olhos, mesmo que a visão seja normal. A doença está ligada a uma lesão do nervo óptico devida a um aumento de pressão nos olhos. Este aumento tem a ver com a tensão no humor aquoso, o liquido que está normalmente presente no globo ocular. Num olho sadio, o fluido é drenado de forme regular, contudo nos que têm glaucoma o sistema de drenagem não funciona tão bem e acumula gradualmente no globo, causando um aumento na pressão.Com o tempo, isto destrói as fibras nervosas responsáveis pela visão. Na forma mais comum de glaucoma (ângulo aberto), a visão periférica é afectada em primeiro lugar. Posteriormente, pode levar à visão em túnel, e eventualmente à cegueira.

Cerca de 10% das pessoas com glaucoma têm o ângulo estreito, e nestes casos um súbito aumento da pressão pode causar:

  • Dor ocular grave
  • Visão turva
  • Distúrbios visuais súbitos
  • Halos à volta das luzes
  • Olho vermelho
  • Náuseas e vómitos

Esta forma de glaucoma requer tratamento imediato.

 

  1. Diminuição dos níveis de insulina: À medida que sobe a insulina, causa hipertensão arterial, e possivelmente  aumento da tensão ocular. Com o tempo isto pode lever à insulinoresistencia, a qual está ligada ao aumento da pressão intraocular.

 A solução está em evitar açúcar e amidos, os quais causam o aumento da insulina, nomeadamente:

    • Pão
    • Pasta
    • Arroz
    • Cereais
    • Batatas 
  1. Exercicio regular: Um dos melhores meios de diminuir a insulina é atraves do exercicio.
  2. Tomar suplementos alimentares: nomeadamente omega-3, luteína e zeaxantina.

Claro que isto são medidas preventivas e coadjuvantes, para além das quais só um Oftalmologista deve opinar.

Seg | 30.03.09

QUEIMAR GORDURA

Dr. Luís Romariz

Para queimar gordura, tem se de diminuir os níveis de insulina, uma vez que a esta inibe a libertação da gordura armazenada no tecido adiposo. Isto é válido para quando fazemos exercício e para quando estamos a ver TV. Todo o exercício queima um número de calorias, mas não necessariamente de gordura. Vejamos o caso da corrida. Se aumentar a passada de, digamos, 7 km/hora para 8 km/hora, queimaremos mais gordura e mais calorias se cobrirmos a mesma distância. Contudo, se aumentarmos a passada de 9 km/hora para 11 km/hora, queimaremos menos gordura proporcionalmente às calorias gastas para cobrir a mesma distância. Isto é assim porque os músculos precisam de quantidades adequadas de oxigénio para metabolizar a energia das gorduras em energia química ou ATP necessário ao trabalho muscular. Para alem de determinada intensidade e exercício, esta crescente falta de transferência de O2 para as células musculares torna-as dependentes da glicose armazenada para a produção de ATP. Ainda estamos a queimar calorias, mas a proveniência da maior parte delas é da glicose e não da gordura – que é aquilo que normalmente pretendemos. A combinação de uma dieta equilibrada com a adequada ingestão de omega-3 aumenta a capacidade de transferência do oxigénio, aumentando assim a capacidade de produção de ATP a partir da gordura a ritmos mais elevados. Para alem disto, sempre que causamos um impacto considerável no solo as articulações dos membros inferiores sofrem imenso com isso, nomeadamente os joelhos. Esta é uma das principais razões porque a recomendação vai para a marcha vigorosa e não para a corrida.

O treino de resistência, por outro lado, usa quase exclusivamente a glicose como substrato energético para a produção de ATP. Isto permite retirar mais glicose do sistema e proporciona um gasto mais efectivo de gordura durante o dia. Devemos compreender que 80% da nossa capacidade de baixar a insulina vem da dieta, e apenas 20% provem do exercício. Isto explica porque é que tanta gente passa o dia no ginásio sem proveitos.

 

Seg | 30.03.09

POLUENTES ALIMENTARES

Dr. Luís Romariz

Os cientistas desenvolveram um novo método rápido de identificar os aditivos alimentares que actuam como xenoestrogénios – estrogénios não humanos – substâncias com efeitos dos estrogénios que estão na vanguarda das preocupações sobre a saúde. Usaram este método em larga escala e descobriram dois novos compostos com estes efeitos. Os xenoestrogénios estão ligados a problemas para a saúde humana, que incluem diminuição dos espermatozóides no homem e aumento do risco de cancro da mama na mulher. As duas novas substâncias identificadas foram o propilgalato – um conservante de gorduras – e o 4-hexilresorcinol – usado para prevenir a descoloração do marisco.

Tenho alertado para o perigo de alterações endócrinas provocadas pelo bisfenol A, PFOA e pelos fitatos (muito presentes na soja). Mas mantemos permanente contacto com hormonas de ruptura através de:

  • Lacticínios pasteurizados que normalmente contêm HGH bovina
  • Soja e derivados, carregados com substancias hormonais
  • Plásticos – muitos dos quais contêm bisfenol A
  • Produtos de cuidados pessoais que têm fitatos 
  • Utensílios de cozinha com Teflon

Se tiver crianças os xenoestrogénios são algo que não vai querer ver perto delas. Tome algumas medidas para as proteger:

  • Use apenas produtos de limpeza biológicos.
  • Compre e coma, preferencialmente alimentos orgânicos/biológicos.
  • Evite os alimentos processados.
  • Evite os aditivos, incluindo os adoçantes e o monoglutamato de sódio.
  • Evite todas as variedades de soja, especialmente a soja não fermentada.

Tenha presente:

1. Nitrato de sódio
Conservante frequente nos derivados de carne ou peixe fumado. Ligado a vários tipos de cancro.

2. BHA e BHT

Encontrados nos cereais, pastilha elástica, batatas fritas e óleos vegetais. São oxidantes, capazes de formar produtos tóxicos uma vez no nosso corpo.

3. Propil Galato

Mencionado anteriormente.

4. Monoglutamato de sódio (MSG)

É um aminoácido neurotóxico usado para dar sabor a carne. Comum em caldos, molhos e na soja.

5. Margarinas

Está provado que causam doença cardíaca.

6. Aspartame

Aspartame, adoçante super conhecido que pode causar problemas neurológicos.

7. Acesulfame-K

Idem.

 

Seg | 30.03.09

EVITANDO OS “PÉS-DE-GALINHA” ...

Dr. Luís Romariz

Pode minimizar o desenvolvimento de rugas à volta dos olhos aplicando um filtro solar (mas recorde, não muito perto dos olhos), e óculos de protecção contra os UVA e os UVB ou um chapéu. Algumas rugas são produzidas pelos movimentos repetitivos das expressões faciais, outras ocorrem como resultado de lesão solar. A utilização regular de um creme hidratante é o primeiro passo básico para reduzir a aparência das rugas. Quando escolher um desses produtos, lembre-se que o preço não é directamente proporcional à qualidade. A aplicação regular de um creme hidratante melhorará a aparência da pele. Claro que, não espere resultados em 3 semanas – como prometem na TV. Implemente um tratamento nocturno de contorno de olhos que ajude a regenerar a pele desta frágil zona. Um creme eficaz deverá conter extracto de mirtilo e DHEA entre outros. Não olvide que os melhores produtos são os biológicos/orgânicos, e reveja sempre a relação custo/beneficio!

Dom | 29.03.09

COM SOBREPESO E SAUDÁVEL?

Dr. Luís Romariz

Estar fisicamente em forma não tem que ver necessariamente com perder peso. Também tem a ver com a capacidade para controlar a insulinoresitência e portanto a inflamação silenciosa. Se tiver uma insulina dentro dos limites, ainda assim poderá ter algum sobrepeso e ser saudável. Por outro lado, se o organismo tiver que produzir mais e mais insulina devido à resistência à sua acção nas células, então o seu excesso de peso gerará inflamação silenciosa colocando-o no trilho da diabetes e da doença cardiovascular. Por exemplo, num estudo recente no qual indivíduos com excesso de peso perderam peso através de uma restrição calórica, apenas os que tinham insulinoresistência é que tiveram um decréscimo nos níveis da PCR (marcador principal da inflamação cardíaca). Isto ajuda a explicar porque é que pessoas com sobrepeso têm colesterol normal e ligeiro risco de doença cardíaca. Nestes casos o peso é um problema estético derivado do facto de ingerirem demasiadas calorias. A pesquisa feita pela equipa do Dr. Cooper na sua clínica em Dalas confirma este paradoxo: indivíduos com sobrepeso mas que estão em boa forma física estão menos predispostos a doença cardiovascular do que os que não fazem exercício mas não têm excesso de peso. Isto tem a ver com a diminuição da gordura visceral e com os mediadores da inflamação por ela produzidos. Infelizmente, o exercício tem pouca expressão na gordura subcutânea. Obviamente, que a melhor solução é estar fisicamente em forma e com peso normal. Claro que a medição ideal é a da gordura corporal por ser exacta e nos dar a noção da quantidade de massa muscular.  

Dom | 29.03.09

AS RUGAS NÃO SÃO TODAS IGUAIS

Dr. Luís Romariz

As rugas na pele dividem-se em rugas produzidas pelos movimentos da pele e dos músculos subjacentes, e as que estão presentes quando o rosto está em repouso. O uso regular de hidratantes pode minimizar e disfarçar a aparência das rugas finas da pele em repouso causadas pela acumulação de lesão solar e desidratação. Os efeitos dos cremes/loções hidratantes são de duas ordens de magnitude: ajudam a prevenir a desidratação e lubrificam-na dando-lhe uma consistência macia. Para a pele em envelhecimento, são úteis os antioxidantes, os esfoliantes, as vitaminas e os peptidos. Tenha o cuidado de comprar produtos biológicos.

Dom | 29.03.09

ENVELHECIMENTO, EXERCÍCIO E HORMONAS

Dr. Luís Romariz

Cada vez que efectua uma actividade física, coloca uma certa quantidade de stress no seu corpo. No exercício aeróbico, isto significa treinar até ao ponto em que começa a suar profusamente, o que acontece quando o seu coração está a 70% da capacidade máxima e durante um certo limite de tempo. Cada vez que isto acontece, as coisas começam a ocorrer ao nível molecular; particularmente, tornamos as células mais propensas à captação de glicose, diminuindo a quantidade de insulina necessária. Se tiver sobrepeso ou estiver fora de forma, então demorará muito tempo a aumentar a sua temperatura basal e a suar profusamente. Este é um bom ponto de partida para parar o exercício diário. Com o tempo e a consistência no treino, terá de treinar durante cada vez mais tempo ou mais intensamente para começar a suar de forma abundante.
O treino de musculação é bastante diferente do treino de aerobica no que concerne à insulina. Ao formar mais massa muscular, o corpo terá a vida facilitada para extrair glicose ao sangue e assim os níveis de insulina descerão. Independentemente do tipo de treino, os resultados a longo prazo são os mesmos: redução do excesso de insulina.

 
Contudo, há outras alterações hormonais em cena com a musculação e que não ocorrem com o treino aeróbico. Quando exercita os músculos até à exaustão, ocorre sempre algum grau de traumatismo muscular e consequente lesão. Isto desencadeia uma resposta pró-inflamatória para tratar as micro roturas infligidas aos músculos.
Se a resposta inflamatória não for muito exagerada será então desencadeada uma resposta anti-inflamatória que reparará o músculo e lhe dará uma capacidade extra para futuros desafios da mesma magnitude. Parte desta resposta consiste na produção de hormona do crescimento – que é a nossa hormona rejuvenescedora – a qual uma vez em circulação também vai exercer efeitos nos órgãos e na pele. Ora é na intensidade do exercício – “violenta” mas não exagerada (para que se produza um mínimo de cortisol), espaçada no tempo e hormonalmente equilibrada do ponto de vista nutricional (demasiados hidratos de carbono produzem demasiada insulina a qual inibe a produção de hormona do crescimento) que reside a pedra de toque do exercício com sucesso. O mais importante é aprender a “ouvir” o corpo, interpretando correctamente a causa das dores musculares que persistem demasiado tempo. Obviamente que uma suplementação com ómega-3 ajuda a baixar a inflamação muscular.

 

Sab | 28.03.09

ÓLEO DE PEIXE E CANCRO DA PRÓSTATA

Dr. Luís Romariz

Cientistas da Universidade da Califórnia em São Francisco demonstraram que o óleo de peixe pode a forma mais grave de cancro prostático em 63%. Também descobriram que nos homens com uma fragilidade no gene inflamatório da COX2, 500 mg de ómega-3 diariamente podiam compensar essa fragilidade genética reduzindo o risco de cancro da próstata agressivo neste grupo em 500%. Uma questão recorrente em muitos genes ligados ao cancro é que eles são activados e reforçados por ficarem descontrolados e pela inflamação crónica. Tais problemas estão relacionados com o stress, infecções subclínicas (digestivas e dos seios nasais), sobrepeso, má alimentação, demasiado álcool, tabagismo, e exposição a poluentes químicos ambientais – caso do bisfenol A. Esta situação agrava-se com ao sedentarismo. As gorduras omega-3 estão a desaparecer da nossa alimentação a uma velocidade vertiginosa. A simples ingestão de peixe gordo ou óleo de peixe é o suficiente para nos dar um incremento na nossa saúde. 

 

Sab | 28.03.09

VITAMINAS ANTI-RUGAS

Dr. Luís Romariz

 As vitaminas antioxidantes que podem melhorar a aparência das rugas finas na pele incluem a vitamina E, a vitamina C, e os retinóides que são derivados da vitamina A. Os antioxidantes são benéficos pela sua capacidade para reduzir, neutralizar, e prevenir os estragos infligidos ao nosso corpo pelos radicais livres. Estes são partículas altamente instáveis, derivadas do oxigénio através de processos metabólicos como a oxidação dos alimentos – processo pelo qual obtemos energia – via ingestão de toxinas, e exposição aos poluentes ambientais. Assim, estas vitaminas tendo a capacidade para inibir a agressão dos radicais livres às células da nossa pele, inibem a concomitante inflamação que conduz a diminuição do colagénio, e oferecem protecção contra a agressão solar e contra o cancro da pele.  

Sab | 28.03.09

O ZINCO E A VIDA

Dr. Luís Romariz

O zinco é necessário – entre dezenas de outras acções – para uma saudável função imune.  Um estudo recente mostra que uma diminuição, ainda que ligeira, de zinco diminui a capacidade de resposta a uma infecção, resultando em significativa inflamação, lesão celular nos órgãos, e aumento da mortalidade. Cerca de 750 000 Americanos sofrem anualmente, sepsis graves e muitas vezes fatais com consequências que poderiam ser drasticamente reduzidas tomando zinco.  Este estudo indica que a insuficiência em zinco poderá vir a ser a notícia do ano, tal como foi anteriormente o caso da vitamina D.  É uma deficiência comum que tem um profundo impacto na saúde. Estas pessoas quando sofrem qualquer doença têm um alto risco de lesão orgânica durante o período da patologia. No estudo, os orgãos com maior atingimento foram os pulmões, e a suplementação com zinco diminui a resposta inflamatória e a lesão celular, reduzindo a mortalidade.

A insuficiência em é comum nos idosos, e nas pessoas fragilizadas, bem como nos homens com diminuição do desempenho sexual e nos doentes da tiróide. Também está muitas vezes diminuído nos atletas que suam muito, e é gasto rapidamente durante períodos de stress.  Os alimentos ricos em zinco incluem o bife, a carne de porco e de cordeiro, marisco – especialmente as ostras – peru, galinha e salmão.

Pode verificar o estado do seu zinco – e de outros elementos – por análise de fio de cabelo.

Encorago-a/o a colocar questões sobre qualquer dos temas abordados, ou outro que ache de seu interesse!

Pág. 1/9