Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Ter | 03.02.09

A PELE E O EXERCÍCIO

Dr. Luís Romariz

 

 

O exercício físico beneficia todo o nosso corpo, mas saiba que ele pode melhorar a qualidade da sua pele. Os peritos têm confirmado que muitas das vantagens do exercício ao nível cutâneo incluem a redução dos surtos de acne, dos sinais de envelhecimento, e a manutenção de uma sensação de rejuvenescimento. A generalidade das pessoas não tem consciência de que a pele é o maior órgão do nosso corpo, pelo que o que fizer bem ao corpo fará melhor à pele. A actividade física aumenta a circulação sanguínea na pele melhorando o aporte de nutrientes e a limpeza do “lixo” acumulado. Para alem disso o exercício providencia à pele condições óptimas para a produção de colagénio (as fibras estruturais que mantêm a firmeza da pele), atrasando a formação das rugas. Ingira vitamina “C” e faça um bom treino.

Dom | 01.02.09

CONSELHOS PARA MANTER A PELE HIDRATADA

Dr. Luís Romariz

Embora o banho hidrate temporariamente a nossa pele, o mais frequente é haver uma perda na hidratação da pele por remoção da fina camada de gordura epidérmica. Uma limpeza suave sem sabonetes ou champôs agressivos, e com água tépida será o mais adequado. Isto é mais importante à medida que ficamos mais velhos. Devemos secar com uma toalha macia e imediatamente hidratar a pele com uma loção corporal oleosa. É particularmente útil secar as partes “mais sombrias” como as axilas, os pés e as zonas genitais com o secador a ar frio, pois dificulta a instalação de micoses.

Dom | 01.02.09

CREATINA

Dr. Luís Romariz

Como é que o nosso corpo adquire energia? A energia obtida através da oxidação dos alimentos é utilizada para carregar uma molécula clamada ADP. Esta Transforma-se em ATP que se descarrega sempre que solicitado, voltando a transformando-se em ADP. No fundo é o modo de funcionamento de uma bateria. Há moléculas de alta energia à base de creatina/fosfato que podem rapidamente libertar energia.

A creatina é uma substância natural que podemos fabricar nos nossos corpos a uma taxa de cerca de 1/2 gramas por dia. Ingerimos cerca de outro tanto na nossa alimentação se comermos peixe ou carne. Quer seja fabricada quer seja ingerida, é levada do sangue ao tecido muscular, onde reage com o ATP (a forma de energia celular), e liberta imediatamente quantidades acrescidas de energia para os músculos efectuarem o seu trabalho.


A creatina apareceu na ribalta da nutrição desportiva em 1992, quando os cientistas Roger Harris, Ph.D., and Eric Hultman, Ph.D., descobriram que a suplementação com creatina aumentava os seus níveis celulares nos músculos. Eles postularam que a creatina aumentava o desempenho atlético. A partir deste estudo pioneiro inúmeros outros estudos confirmaram que a creatina é um suplemento notável, o qual aumenta a força máxima muscular, a actividade muscular quer repetitiva quer em pico de esforço, adia o início da fadiga muscular, aumenta a massa magra, e a taxa metabólica basal.


Além de tudo, a creatina continua a revelar-se muito segura após 10 anos de uso intensivo por atletas. Um estudo publicado em Julho de 1999 avaliou os efeitos de 30 dias de suplementação com creatina em homens dos 60 aos 82 anos de idade sob treino de resistência. Estes indivíduos demonstraram uma redução significativa na fadiga muscular enquanto tomaram a creatina. Noutro estudo, o Dr. Mark Tarnopolsky suplementou 81 pacientes com doença neuromuscular associada a fraqueza e debilidade musculares e demonstrou que a creatina aumentou a força deles. Ele acredita que a creatina, quando combinada com um programa de exercício, ajuda pessoas mais idosas a manter a mobilidade e força musculares.

É pois minha convicção que também os indivíduos seniores devem efectuar uma suplementação com creatina e proteína de soro de leite (Whey), concomitantemente com um treino de resistência. Esta é uma maneira de serem mais saudáveis!

Dom | 01.02.09

TESTOSTERONA E HORMONA DO CRESCIMENTO Como aumentar naturalmente?

Dr. Luís Romariz

Testosterona e hormona do crescimento – HGH – são as principais hormonas anabólicas envolvidas no aumento e remodelação da massa muscular.

 

 

A testosterona interage com o tecido muscular promovendo a síntese de proteínas e a hormona do crescimento aumenta a captação de aminoácidos nos músculos de forma a promover o seu crescimento — ambos cruciais para a força e tamanho musculares. Infelizmente, muitas pessoas têm baixos níveis destas hormonas.

 


A melhor estratégia nutricional é comer bastante gordura monoinsaturada (azeite), nozes e sementes. Ingerir 40% de gordura saudável é um bom princípio para aumentar os níveis destas hormonas. Ingerir cerca de

2 gramas de proteína por kg de peso corporal, e muitos vegetais e frutos. Não comer doces, e especialmente nunca comer após o jantar.


Finalmente, é importantíssimo o exercício físico como meio de aumentar significativamente estas hormonas. As pessoas que têm 2 ou mais anos de prática de musculação apresentam os melhores resultados no aumento destas hormonas. Se o treino de alta intensidade é o caminho mais seguro para amplificar a produção destas hormonas, o treino em excesso – seja aeróbico ou de resistência – produz cortisona que mina todo o esforço.

 

Pág. 8/8