Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Sex | 05.12.08

COMO MELHORAR A MASCULINIDADE

Dr. Luís Romariz

 

 

Á medida que envelhecem, os homens enfrentam os sintomas causados pelo declínio nos níveis de testosterona ─ a partir dos 30 anos. Directamente proporcional à perda de testosterona livre aumenta o estradiol, tendo como consequência uma perda de energia, da massa muscular, da libido e da erecção, e uma deterioração do humor e do pensamento. Ao mesmo tempo ficam propensos à hiperplasia e ao cancro da próstata e ao abdómen globoso.
A testosterona ocorre sob duas formas: uma ligada a proteína e como tal sem acção, e outra livre e pronta a exercer a sua função. Ironicamente, à medida que o homem envelhece baixa a produção de testosterona e aumenta a parte que se liga à proteína conhecida como SHBG (sexual hormone binding globulin). É por isto que ou não adianta, ou não basta fazer uma suplementação com testosterona para resolver o problema.
Há vários tipos de tratamento, quer naturais quer químicos capazes de tratar esta deficiência, devolvendo o orgulho em ser macho.
Entre os vegetais podemos enumerar:
  • Gengibre
  • Muira puama
  • Maca (parece brocolo)
  • Crisina
  • Urtiga, raiz
 
Durante décadas, a corrente médica conjecturou erroneamente que a terapêutica de substituição com testosterona provocava cancro da próstata. Cientistas da Universidade de Harvard demonstraram que essa teoria é errada, sendo que os homens que têm a testosterona diminuída são mais propensos ao cancro da próstata.
Afinal, os jovens não têm cancro da próstata apesar de terem altos níveis de testosterona…
Mais, esta nova pesquisa demonstra inequivocamente que andámos errados ─ nós médicos ─ durante 2/3 de século, e que afinal de contas tudo não passou de um imenso mal entendido que sacrificou a virilidade de muitos homens. Há actualmente um grande consenso acerca da correlação entre cancro da próstata e baixo nível de testosterona, o que é o contrário do que tem sido apregoado. Ou seja, níveis baixos de testosterona não são protectores em relação ao cancro da próstata, e níveis altos não aumentam esse risco. A ciência nunca pára!
 

Pág. 2/2