Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Sab | 19.06.10

ÓMEGA-3 E PERDA DE AUDIÇÃO

Dr. Luís Romariz

Um artigo publicado em Junho de 2010 pelo American Journal of Clinical Nutrition revela um efeito protector dos óleos ómega-3 em relação ao desenvolvimento da perda de audição associada ao envelhecimento, conhecida como presbiacusia.

Nesta investigação, O Dr. Paul Mitchelll da Universidade de Sydney e os seus colegas avaliaram os dados dos participantes no estudo Blue Mountains Hearing Study efectuado entre 1997 e 2004. Os participantes fizeram testes audiométricos após 5 a 10 anos de entrarem no estudo. Foram analisadas as respostas ao questionário sobre alimentação em relação à ingestão de peixe e ómega-3, concretamente EPA e DHA. Estes dados foram relacionados com a ingestão de omega-6.

A um aumento da ingestão total de omega-3 associou-se uma redução no risco de perda de audição. Esta redução também foi observada em relação aos consumidores de duas refeições semanais de peixe, os quais tiveram 42% de redução risco na perda de audição a 5 anos, quando comparados com os que comiam apenas uma refeição de peixe semanalmente. A razão para estes dados prende-se com a melhoria da circulação sanguínea na cóclea, prevenindo a perda auditiva. Adicionalmente, os ómega-3 e o peixe podem ter um efeito directo na microcirculação coclear providenciando benefícios através de outros mecanismos, pois a uma maior ingestão de ómega-3 associou-se uma diminuição do risco de perda de audição em cerca de 24%. Assim, os autores concluíram que os ómega-3 podiam prevenir ou atrasar o desenvolvimento de perda auditiva relacionada com a idade.

O tinitus é uma perturbação associada a esta patologia, e caracterizada pela sensação crónica de toque de campainhas, apitos ou outros ruídos na ausência de efectico ruído ambiental. Estes sintomas são frequentemente encontrados em pessoas mais idosas e associam-se normalmente à tal perda de audição – presbiacusia. Embora se desconheça a causa, o tinitus pode ser um sintoma precoce de perturbação auditiva nomeadamente infecção, rolhão de cerúmen, atelectasia do ouvido médio (otoesclerose da trompa de Eustáquio), labirintite ou doença de Meniere. Adicionalmente, efeitos adversos de mediamentos como a aspirina e antibióticos podem ser causa de tinitus.

Os nutrientes sugeridos para esta condição incluem o complexo vitamínico B nomeadamente a tiamina (B1) e a niacina (B3). Um estudo (Shemesh et al. 1993) mostrou que haver uma alta prevalência de tinitus nos indivíduos com menores níveis de vitamina B12.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.