Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Qua | 26.05.10

DISFUNÇÃO ENDOTELIAL

Dr. Luís Romariz

Embora seja um conceito conhecido pelos médicos, ainda poucos leigos ouviram falar dele. Mas antes de abordarmos esta patologia, o que é o endotélio?

Os vasos sanguíneos são formados por várias camadas, sendo o seu interior – a parte que está em contacto com o sangue – revestido por uma “película” formada por uma camada de apenas uma célula de espessura – esta camada é o endotélio. É assim como o revestimento anti-aderente das frigideiras, mas com vida própria. De facto são estas células que regulam a tonicidade dos vasos e a defesa face a uma agressão vascular – normalmente uma agressão mecânica. O endotélio fabrica um gás chamado oxido nítrico o qual tem a capacidade de fazer dilatar os vasos sanguíneos. As agressões endoteliais, seja o colesterol LDL oxidizado seja a homocisteína (um subproduto do aminoácido metionina) ou outra qualquer, têm como resultado final a alteração da capacidade de produção de oxido nítrico e portanto a disfunção endotelial. Claro que actualmente há um bloqueio da produção deste gás por causa da ingestão excessiva de frutose, mas este não é o mecanismo major da disfunção endotelial.

Esta patologia tem expressão na doença coronária, cérebro-vascular, na hipertensão arterial e na disfunção eréctil (ED). Claro que a ED é multifactorial, mas os dois maiores factores que a suportam são as deficiências hormonais (testosterona) e a disfunção endotelial. Cerca de 52% dos homens maiores que anos sofrem de algum grau de ED. E sempre que estamos em presença de uma ED devemos pensar que as coronárias não estarão em melhor estado do que os vasos penianos, pelo que poderemos prever um enfarte a médio prazo.

Os maus hábitos de vida como deficiente ingestão de vitaminas do complexo B, tabagismo ou outras adições, o stress oxidativo, o sedentarismo e o excessivo consumo de hidratos de carbono de elevado índice glicémico estão na base desta doença. E claro que a produção de NO diminui à medida que avançamos na idade! E quais são as funções do Oxido Nítrico?

  • Relaxa e faz aumentar o diâmetro dos vasos sanguíneos
  • Facilita o desenvolvimento e a manutenção da função eréctil
  • Actua como neurotransmissor envolvido na memória de longa duração
  • Modula a libertação de outros neurotransmissores
  • Mantém a tensão arterial dentro dos parâmetros normais
  • Promove uma imunidade eficaz
  • Tem um papel crucial na coagulação sanguínea

Hoje em dia, há métodos rápidos, não invasivos, baratos e muito eficazes para avaliar com precisão a extensão desta doença. Podemos melhorar a produção do NO através da ingestão de arginina – ou proteína animal e nozes – de SOD (superóxido dismutase) um antioxidante produzido pelo nosso organismo e encontrado no melão em boas quantidades, pela suplementação com pycnogenol (extracto de casca de pinheiro marítimo francês), com a ingestão de romã, bagas Go Ji e icarina (um extracto vegetal). Não podemos esquecer a acção da vitamina K2 e da vitamina D na luta contra a arterioesclerose. Podemos sempre usar o Nebilet, um medicamento fruto de um prémio Nobel, o qual faz aumentar a produção de NO – e praticamente isento de efeitos secundários. Mas boas artérias dependem em primeiro lugar de hábitos de vida saudável.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.