Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dr. Luís Romariz

Aumento da longevidade e rejuvenescimento

Dom | 30.08.09

A VITAMINA D E A IMUNIDADE

Dr. Luís Romariz

Num estudo recente conclui-se que uma parte vital do sistema imune, a capacidade da vitamina D para regular proteínas antibacterianas, é tão importante que foi conservada ao longo de cerca de 60 milhões de anos e só é partilhada por primatas, incluindo humanos – mas não por outras espécies animais.

O facto desta resposta imune mediada pela vitamina D através de milhões de anos de selecção evolutiva, ter sido mantida e ainda encontrada em espécies como macacos, babuínos e humanos, sugere que ela deve ser vital para a sua sobrevivência, dizem os cientistas. Mesmo sabendo que o “peptido antimicrobiano cadelicidina” tem várias actividades biológicas diferentes para alem de matar os micróbios patogénicos, não fica claro qual delas ou combinação delas torna a vitamina D tão essencial à sua regulação.

O estudo também demonstra evidência da importância biológica de níveis adequados de vitamina D nos humanos e nos primatas, sabendo que a maioria dos humanos apresenta insuficiência em vitamina D.

 “A existência e a importância desta parte da resposta imune torna claro que os humanos e outros primatas necessitam manter níveis suficientes de vitamina D”, disse Adrian Gombart, um professor de bioquímica e o principal investigador conjuntamente com o Instituto Linus Pauling da Universidade de Oregon.

Num novo estudo publicado no jornal BMC Genomics, os cientistas do OSU e o Centro Médico Cedars-Sinai descreve a presença de um elemento genético específico dos primatas e envolvido na resposta imune inata. Eles encontraram-no não só em humanos e nos seus ancestrais, bem como nos chimpanzés e primatas primitivos.  

O elemento genético que se pensa ter um papel major na função imune inata nos primatas – uma antiga 1ª linha de defesa contra bactérias, vírus e ouros patogénicos, pode nunca vir a ser encontrado.

“Muitas pessoas estão familiarizadas com o papel do nosso sistema imune adaptativo, o qual monta uma linha de defesa contra os invasores e retém anticorpos e imunidade para o futuro,” disse Gombart. “É a forma como uma vacina actua. Mas igualmente muito importante é o sistema imune inato, ou seja, a reacção imune imediata ao contacto com um invasor o que acontece por exemplo quando fazemos um corte na pele e temos uma infecção cutânea.”

Nos primatas, esta acção de “ligar” uma resposta óptima ao ataque microbiano só funciona devidamente na presença de vitamina D, a qual é na realidade um tipo de hormona que circula no sangue e dá instruções às células através de um receptor celular. A vitamina D que é produzida na pele, em grandes quantidades, através da radiação solar, mal está presente na nossa alimentação.  A vitamina D refreia a resposta imunológica adaptativa para que ela não apresente uma sobre reacção, reduzindo dessa forma a inflamação ao mínimo necessário. Conforme tenho escrito, a inflamação contínua e exagerada é responsável pelo envelhecimento e doenças degenerativas.