Não ponha na pele algo que não seja capaz de ingerir
Mais informações:
Tel.: 22 4220111
Aumento da longevidade e rejuvenescimento funcional biológico, isto é, dar mais anos à vida e mais vida aos anos.

Envie a sua questão

As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato.

E-mail: anti-envelhecimento@sapo.pt

Posts recentes

ELECTRÕES, TOXINAS, E DOE...

EXERCICIO DE CADA DIA … N...

DIETA H.C.G.: EFICAZ? DIS...

A VITAMINA C REJUVENESCE ...

ATAQUE À TIRÓIDE

FAÇA CRESCER TECIDO CEREB...

ESCORBUTO SUBCLÍNICO

NÃO SE FRITE POR DENTRO

PROBLEMAS COM A TIRÓIDE?

Lançamento de "O Regime A...

Arquivo

Dezembro 2016

Junho 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Consultas em Lisboa

Consultas de Saúde da Mulher (hormonas bioidênticas) e Saúde do Homem:


Marcações pelo Tel. 911 506 033


Para aceder aos cosméticos biológicos clique na imagem à esquerda

Segunda-feira, 6 de Janeiro de 2014

DECISÕES PARA O ANO NOVO, EMAGRECIMENTO E AFINS

O senso comum diz que quem tem excesso de peso come demais e exercita-se pouco ou nada. Isto não é bem assim, pois na realidade as “calorias” Não são todas iguais e há vários factores, nomeadamente hormonais, que concorrem para promover a obesidade.
Esta, está primariamente relacionada com a ingestão de açúcares, nomeadamente a frutose, levando a um descontrolo hormonal ao nível da insulina e da leptina, descontrolo esse que se vai repercutindo na tiróide, o qual pode ser agravado pelos desequilíbrios entre os estrogénios e a progesterona, próprios da menopausa e climatério.
Para se ficar com excesso de peso tem de haver uma resistência à leptina, pois é esta hormona produzida nos adipócitos (células de gordura) que sinaliza ao cérebro que estamos “cheios” e que devemos parar de comer e gastar o excesso. O excesso de açúcar também bloqueia a queima de gordura alterando o nosso metabolismo, através do aumento da reverse T3 da tiroide, para um estado de baixa energia. Entramos assim, num ciclo vicioso em que não adianta muito comer menos, pois isso só diminuirá ainda mais o metabolismo. Os açúcares, nomeadamente a frutose, têm a capacidade para iniciar e perpetuar este mau estado metabólico através da resistência à leptina, promovendo a formação de gordura e a impossibilidade da sua queima nas mitocôndrias. Para além disto, a taxa de absorção da frutose vai aumentando progressivamente desde os 50% nas pessoas magras, para os 100% nos obesos. Mais, promovem a glicação – fenómeno que mais nos envelhece – sendo também neste caso a liderança assumida pela frutose. O mal estará então na fruta? Não de todo, embora algumas variedades de maçãs, pêras e ameixas devam ser comidas com parcimónia. O mal está nos refrigerantes, nos sumos – ainda que caseiros – e no açúcar de mesa (doces) pois metade dele é frutose.
Então, como poderemos ultrapassar esta doença e cumprir os votos de ano novo? Primeiro que tudo, reduzindo o consumo de açúcares e também através do jejum intermitente. Este, ao contrário do jejum clássico, promove desde o seu início a perda de gordura e o aumento sa sensibilidade à insulina e à leptina, estabilizando os níveis hormonais da tiróide. Só o facto de não comermos o pequeno-almoço ou de o adiarmos, prolonga a queima de gordura que normalmente ocorre durante a noite. Então, quais as vantagens deste tipo de jejum? 
• Há muito que sabemos que a restrição calórica nutricionalmente optimizada aumenta a longevidade. Recentemente supomos que o jejum intermitente tenha o mesmo poder.
• Aumento da sobrevivência ao cancro em cerrca de 30% – talvez mais se associarmos uma dieta alcalina.
• Emagrecimento saudável e diminuição do risco de doenças metabólicas associadas à diabetes, tal como a insulino resistência.
• Aumento na produção de hormona do crescimento (a hormona do rejuvenescimento) em cerca de 1000 a 2000 por cento.
• Melhoria da actividade cerebral e neuronal.
O facto de nos exercitar-mos impede ou minimiza a perda de massa muscular associada ao jejum, e associando o exercício à suplementação com mais de 500 mg de vitamina C, bem como ao consumo de polifenois – especialmente os do chocolate negro – aumentamos a produção de energia nas mitocôndrias. Claro que o leitor mais ciente destas matérias pode questionar que se ingerir farinha, arroz, ou batata, as quais não têm frutose, ultrapassa estes problemas. Puro engano, pois parte desta glicose é convertida em frutose, no nosso fígado!
Poderemos monitorizar os progressos através do doseamento do ácido úrico, da balança – melhor da composição corporal – e da tensão arterial a qual deverá baixar nos hipertensos. Dito isto, o ácido úrico é um bom preditor de desenvolvimento de obesidade, diabetes, resistência à insulina, e fígado gordo. Se tiver mais do que 7, o risco de desenvolver estas patologias, bem como hipertensão arterial, aumenta significativamente. Conjuntamente com a insulinemia, a glicémia, a HbA1c e a leptina, podemos ter uma melhor perspectiva do futuro da nossa saúde.

publicado por Anti-Envelhecimento às 22:23
link do post | comentar
3 comentários:
De Mónica Santos a 19 de Janeiro de 2014 às 21:08
Boa noite Dr. Romariz,
podemos ingerir suplemento de ácido ascórbico (vit. C) diariamente, sem o perigo de se tornar oxidante?
E os niveis de glutationa, tem alguma coisa a ver?
Obrigada,
Mónica
De Anti-Envelhecimento a 20 de Janeiro de 2014 às 20:59
A vitamina C e o glutatião são sinérgicos.
De Mónica Santos a 20 de Janeiro de 2014 às 21:51
Sim, mas quem faz suplementação de ácido ascórbico, tem que fazer também de glutationa, ou não é necessário?
E podemos fazer suplementação de cápsulas de ácido ascorbico, sem o perigo de se tornar oxidante?
Obrigada, Mónica

Comentar post

Torne-se fan da nossa página:

Dr. Luís Romariz

Dr. Luís Romariz licenciou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Porto em 1979, e especializou-se em Medicina Familiar em 1988, tendo actualmente o grau de Assistente Graduado. Tem desenvolvido a medicina preventiva nos últimos 27 anos e alcançou o International Certificate of Age Management Medicine no Cenegenics Medical Institute de Las Vegas, em 2005. Tem ainda pós-graduação pela Harvard Medical School, e pela Medical School of Yale University. Tem o curso de Internacional de Mesoterapia e de Medicina Estética. membro diplomado da AMME da França. É membro da Americana A4M, da Life Extension Foundation e da Andropause Society, do Reino Unido. Speaker internacional. É o pioneiro da medicina Anti-Aging em Portugal É o fundador do Instituto Médico NewAge, no Porto.

Medicina Anti-Envelhecimento

Especialidade médica (Age Management Medicine) nascida há cerca de 8 anos nos EUA e que encara o envelhecimento como uma doença da qual conhecemos as principais causas e os sintomas, mas que ainda não é curável.
Não sendo curável é no entanto possível retardar o seu aparecimento e praticamente suprimir os sintomas. Isto consegue-se à custa de:
- Medicina preventiva proactiva, curativa de tecnologia de ponta, e harmonização hormonal.
- Nutrição optimizada e suplementada.
- Exercício físico sustendato e hormonalmente optimizado.

Pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO

Subscrever feeds