Não ponha na pele algo que não seja capaz de ingerir
Mais informações:
Tel.: 22 4220111
Aumento da longevidade e rejuvenescimento funcional biológico, isto é, dar mais anos à vida e mais vida aos anos.

Envie a sua questão

As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato.

E-mail: anti-envelhecimento@sapo.pt

Posts recentes

HORMONAS BIOIDÊNTICAS

QUER SABER SE A SUA TIRÓI...

ATAQUE CARDÍACO - Factore...

ELECTRÕES, TOXINAS, E DOE...

EXERCICIO DE CADA DIA … N...

DIETA H.C.G.: EFICAZ? DIS...

A VITAMINA C REJUVENESCE ...

ATAQUE À TIRÓIDE

FAÇA CRESCER TECIDO CEREB...

ESCORBUTO SUBCLÍNICO

Arquivo

Novembro 2017

Dezembro 2016

Junho 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Consultas em Lisboa

Consultas de Saúde da Mulher (hormonas bioidênticas) e Saúde do Homem:


Marcações pelo Tel. 911 506 033


Para aceder aos cosméticos biológicos clique na imagem à esquerda

Domingo, 15 de Julho de 2012

HOJE, JÁ FEZ A SUA VITAMINA D?

Há treze vitaminas necessárias ao desenvolvimento e crescimento humano e à manutenção de uma boa saúde. Como deriva da própria definição elas não podem ser fabricadas no nosso organismo, devendo ser fornecidas pela alimentação ou pelas bactérias intestinais amigáveis, excepto a vitamina D que é fabricada a partir da transformação do colesterol pelos raios solares UVB. Quando nos expomos ao sol – durante 20 minutos nus e sem protector solar – fabricamos cerca de 20.000 UI desta vitamina. Isto é válido para regiões subtropicais e para peles normais, tendo que se aumentar ou diminuir ao tempo de exposição consoante o tom de pele e a latitude. A vitamina D é a única vitamina que se comporta como uma hormona – 1,25-2OH colecalciferol – sendo a sua versão final, activada, produzida ao nível renal. É esta que se liga aos receptores no núcleo das nossas células e que controla a expressão de mais de 200 genes. Para lá dos efeitos conhecidos sobre o metabolismo fosfocálcico, a vitamina D activa os genes que controlam o crescimento e diferenciação celulares bem como a morte celular programada (apoptose); expressa mediadores da imunidade e liberta neurotransmissores (por exemplo a serotonina) que influenciam o estado mental. Os testes sanguíneos de vitamina D medem a versão não activada, ou seja, o 25-OH colecalciferol e é assim que deve ser medida. As deficiências graves de algumas vitaminas causam doenças específicas como o beribéri (falta de B1), pelagra (B3), anemia perniciosa (B12), e escorbuto (vitamina C). A deficiência em iodo conduz ao bócio, atraso mental, e cretinismo quando severa. O raquitismo, um amolecimento ósseo nas crianças, descrito pela primeira vez em 1651, é outra insuficiência nutricional específica, que atingiu proporções epidémicas durante a revolução industrial. Aí demonstrou-se a necessidade da exposição solar, a qual foi aparentemente esquecida. Também se decobriu que o óleo de fígado de bacalhau podia prevenir o raquitismo, tendo-se apelidado o factor nutricional envolvido de vitamina D. Esta classificação não deixa revelar o real carácter dete nutriente que é na realidade uma hormona. A insuficiência em D pode despoletar infecções (gripe e tuberculose), esclerose múltipla, diabetes tipo 1, artrite reumatóide e doença inflamatória intestinal, bem como doença cardiovascular e cancro. A literatura médica começou a publicar desde 2007 cada vez mais artigos científicos sobre a insuficiência D, graças ao pioneirismo de M. Hollick. Actualmente sabemos que níveis elevados de vitamina D minimizam quase a zero o risco de cancro da mama, do cólon e da próstata. De facto, a hormona D tem duas acções celulares bem conhecidas: controlo do crescimento e promoção da diferenciação celulares. Sempre que as nossas células se desviam das suas progenitoras estamos perante células potencialmente cancerosas, e tanto pior e mais agressivas quanto mais se distanciam desse padrão normal. Ora, controlando isto e o crescimento anormal, poder-se-á controlar a cancerigenação. A hormona D também controla a inflamação que promove a aterosclerose e portanto a doença cardiovascular. A vitamina D também regula o potencial destrutivo das células T assassinas, refreando as doenças auto-imunes. A humanidade evoluiu na África equatorial onde a radiação solar é intensa, proporcionando fotões UVB capazes de fazer sintetizar vitamina D. Os nossos ancestrais absorviam muito mais radiação do que nós absorvemos actualmente. Uma mutação ocorrida há cerca de 50.000 anos é a responsável pelo aparecimento da pele branca, a qual contendo menos melanina proporciona a passagem de radiação solar em latitudes mais afastadas do equador, permitindo aos humanos viverem nas regiões nórdicas. Actualmente, a maioria da população vive acima do paralelo 35 (35º Norte) ficando incapaz de produzir hormona D durante quase metade do ano. Para piorar o panorama, as autoridades de saúde, lideradas pela Academia Americana de Dermatologia encetaram uma luta contra o sol por pensarem poder evitar o aparecimento de melanoma (cancro da pele).As quantidades de vitamina D presentes na nossa alimentação são diminutas, pelo que se torna imperiosa a suplementação Invernal. A maioria dos polivitamínicos e fármacos contra a osteoporose contêm de 400 a 800 UI de vitamina D, o que é manifestamente insuficiente. Na ausência de um teste sanguíneo de 25 OH colecalciferol, parece-me ajuizada a suplementação com 2.000 UI diárias de vitamina D. Desde há uns anos que prescrevo o doseamento de vitamina D aos meus pacientes, e conto pelos dedos de uma mão os que têm suficiência D.Trata-se de uma epidemia global, que agrava outra – a obesidade. As preocupações sobre a toxicidade vitamínica D são curiosas; é algo de que se fala mas que nunca ninguém viu! Ainda assim, basta medir o cálcio no sangue e ir controlando pois este será o primeiro sinal de intoxicação D. O crescimento dos cancros da pele nos últimos 25 anos acompanha o crescimento no uso de protectores solares que bloqueiam os raios UVB. Ora nós temos duas certezas: uma é que a radiação UVB protege de cancro e que a UVA é fortemente cancerígena; a outra é que o negócio dos cremes e protectores solares é milionário …

publicado por Anti-Envelhecimento às 10:50
link do post | comentar
5 comentários:
De Sara P. a 1 de Agosto de 2012 às 12:53
Bom dia Dr. Romariz
Fiquei muito feliz com este post pois é sempre bom encontrarmos algo que possa evitar de certa forma essa terrível doença como é o caso do cancro.
No entanto há uma dúvida que me surgiu e que é a seguinte:
A vitamina D tomada regularmente engorda? Estou a colocar-lhe esta questão pois em tempos e após ter lido os benefícios da vitamina D e A em forma de Oleo de Figado de Bacalhau decidi tomar, o meu apetite aumentou ferozmente e aumentei no espaço de uma semana 3 kilos. Acabei por deixar de tomar pois ao fim de 3 semanas estava a ficar com excesso de peso, e um apetite incontrolável, vendo-me obrigada a recorrer à dieta. Se a Vitamina D for tomada isolada pode ainda assim engordar?
De Anti-Envelhecimento a 3 de Agosto de 2012 às 18:10
Deve haver um engano. Se tiver um aumento de apetite, o que até é natural, e não ingerir HC não pode aumentar de peso. Se os ingerir, então sim engorda. Mas por favor não culpe as vitaminas.
De Cristina a 9 de Agosto de 2012 às 11:46
Dr. Romariz
Tendo tomado conhecimento dos benefícios da vitamina D, e por iniciativa própria, começei a tomar a vitamina D3 (Vingatol), 5 gostas por dia conforme a sugestão do meu médico de família. Notei efetivamente que o meu apetite aumentou, mas não tive qualquer variação de peso, e o aumento de apetite pode ter sido apenas coincidência. O que me preocupa é que após ter lido as informações contidas no folheto verifiquei que se excedermos a dose pode causar efeitos indesejáveis, e alguns até graves. Falei com o meu médico sobre isso o qual me desaconselhou a tomar a vitamina d3 no Verão para não causar esses mesmos efeitos. No entanto e como a minha pele é muito clara, e não posso estar nem 5 minutos ao sol sem proteção pois fico mesmo queimada, uso protetor solar 60+, e faço muito pouca praia. A minha dúvida prende-se com qual seria a dose ideal de vitamina D, e se esta dose que tomo é a ideal, ou excessiva. Também gostaria de saber se posso tomar durante o Verão, pelo menos nos dias em que não vou à praia? Agradecia a sua opinião sobre o assunto.
Obrigada
Cristina
De Anti-Envelhecimento a 11 de Agosto de 2012 às 12:50
Antes de tudo convinha dosear os seus níveis séricos de 25 OH colecalciferol . Depois, acho que deve fazer a vitamina D3 não activada (de que o vigantol é um fraco representante) durante os meses em que não se expõe ao sol. Quanto ao protector, faz bem pois evita o foto-envelhecimento , mas procure um que seja biológico.
De Anónimo a 9 de Outubro de 2012 às 18:43
o omega tres faz bem

Comentar post

Torne-se fan da nossa página:

Dr. Luís Romariz

Dr. Luís Romariz licenciou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Porto em 1979, e especializou-se em Medicina Familiar em 1988, tendo actualmente o grau de Assistente Graduado. Tem desenvolvido a medicina preventiva nos últimos 27 anos e alcançou o International Certificate of Age Management Medicine no Cenegenics Medical Institute de Las Vegas, em 2005. Tem ainda pós-graduação pela Harvard Medical School, e pela Medical School of Yale University. Tem o curso de Internacional de Mesoterapia e de Medicina Estética. membro diplomado da AMME da França. É membro da Americana A4M, da Life Extension Foundation e da Andropause Society, do Reino Unido. Speaker internacional. É o pioneiro da medicina Anti-Aging em Portugal É o fundador do Instituto Médico NewAge, no Porto.

Medicina Anti-Envelhecimento

Especialidade médica (Age Management Medicine) nascida há cerca de 8 anos nos EUA e que encara o envelhecimento como uma doença da qual conhecemos as principais causas e os sintomas, mas que ainda não é curável.
Não sendo curável é no entanto possível retardar o seu aparecimento e praticamente suprimir os sintomas. Isto consegue-se à custa de:
- Medicina preventiva proactiva, curativa de tecnologia de ponta, e harmonização hormonal.
- Nutrição optimizada e suplementada.
- Exercício físico sustendato e hormonalmente optimizado.

Pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO

Subscrever feeds