Não ponha na pele algo que não seja capaz de ingerir
Mais informações:
Tel.: 22 4220111
Aumento da longevidade e rejuvenescimento funcional biológico, isto é, dar mais anos à vida e mais vida aos anos.

Envie a sua questão

As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato.

E-mail: anti-envelhecimento@sapo.pt

Posts recentes

OBESIDADE METABÓLICA

SINAIS DA DIABETES

O JEJUM REGENERA A IMUNID...

TESTOSTERONA: PROTEGE O C...

TENHA UM BOM SONO

O STRESS PODE DESENVOLVER...

VAI UM CAFEZINHO?

CAIU O MITO DA GORDURA SA...

DESTRUTORES ENDÓCRINOS E ...

MAÇÃ & ESPINAFRES: AMIGAS...

Arquivo

Outubro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Consultas em Lisboa

Consultas de Saúde da Mulher (hormonas bioidênticas) e Saúde do Homem:


Marcações pelo Tel. 911 506 033


Para aceder aos cosméticos biológicos clique na imagem à esquerda

Domingo, 31 de Outubro de 2010

PORQUE UMA MULHER SEM ÚTERO PRECISA DE PROGESTERONA

Sou frequentemente questionado acerca deste assunto pois as doentes são ensinadas pelos Ginecologistas que após uma histerectomia a progesterona deixa de ser necessária. Isto é sui generis pois este dogma não é suportado pela fisiologia, pela bioquímica e muito menos pela endocrinologia. Limitar a utilização da progesterona às mulheres com útero é uma atitude redutora pois ignora os dados científicos que mostram que a progesterona tem um efeito benéfico nos outros tecidos, nomeadamente na mama. Foram identificados receptores para a progesterona em quase todas as células do nosso corpo; portanto ela tem acção por todo o organismo.

Pior, é confundir a progesterona (hormona produzida pela nossa espécie) com progestinas – produtos sintéticos diferentes da progesterona, e como tal não reconhecidos pelo organismo. Destas, a mais vulgar e mais prescrita é o acetato de  medroxiprogesterona que tem precisamente efeitos opostos aos da progesterona endógena. Desta forma não será surpreendente o aumento de cancro da mama e da doença cardiovascular entre as mulheres que tomam progestinas. Esta é a principal razão porque a terapia hormonal de substituição é temida e prescrita com o horizonte temporal de 5 anos. A progesterona, ao contrário, tem efeitos anti-proliferativos portanto anticancerígenos. Mais uma vez vou explicar sucintamente aquilo que devia estar adquirido por todos os profissionais de saúde: os estrogénios fazem crescer os tecidos e a progesterona controla esse crescimento. Quando a mulher entra no climatério começa a produzir menos progesterona (nos ciclos anovolatórios produz zero) e na menopausa a sua produção ovárica é nula. Mas como ainda produz estrogénios – embora apenas cerca de ⅓ do que produzia nos anos férteis – há uma predominância deste em relação à progesterona, fenómeno conhecido como dominância estrogénica e que pode conduzir ao aparecimento de cancro genital e da mama. Embora ligeiramente diferente, este fenómeno também acontece nos homens: como com o passar dos anos o homem produz mais estrogénios a partir da sua testosterona (chegando nalguns casos a ter mais estrogénios que as suas parceiras em menopausa) há uma dominância estrogénica que pode iniciar a cancerigenação da próstata. Baseados nestas diferenças entre progesterona e progestinas, os autores do maior estudo hormonal, o estudo PEPI de 1995, concluem que “deveria ser dada progesterona a todas as mulheres”, embora segundo a corrente médica vigente esta declaração devesse ser “deveria ser dada progesterona a todas as mulheres excepto às que não têm útero, mamas ou sistema cardiovascular”. Outra preocupação é o facto de muitos profissionais de saúde ignorarem a acção osteoformadora da progesterona, mantendo a ideia absurda e anti-científica de que a osteoporose menopaúsica é da exclusiva responsabilidade do decréscimo dos estrogénios. É não perceber porque é que pouco após a menopausa já é notória uma osteopenia acentuada: é o fruto de vários anos de insuficiência em progesterona. As progestinas só agravam esta situação. Mas também é caricato o facto de frequentemente ser consultado por mulheres a quem foram prescritas progestinas e às quais se requisitaram análises contendo o doseamento de progesterona. Dá-se alhos, e pede-se bugalhos. Sejamos inteligentes: a natureza na sua evolução é bem mais sábia do que nós. Como diria um colega com muito senso de humor: “as pessoas são muito resistentes, até resistem aos médicos”!

 

publicado por Anti-Envelhecimento às 12:24
link do post | comentar

Torne-se fan da nossa página:

Dr. Luís Romariz

Dr. Luís Romariz licenciou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Porto em 1979, e especializou-se em Medicina Familiar em 1988, tendo actualmente o grau de Assistente Graduado. Tem desenvolvido a medicina preventiva nos últimos 27 anos e alcançou o International Certificate of Age Management Medicine no Cenegenics Medical Institute de Las Vegas, em 2005. Tem ainda pós-graduação pela Harvard Medical School, e pela Medical School of Yale University. Tem o curso de Internacional de Mesoterapia e de Medicina Estética. membro diplomado da AMME da França. É membro da Americana A4M, da Life Extension Foundation e da Andropause Society, do Reino Unido. Speaker internacional. É o pioneiro da medicina Anti-Aging em Portugal É o fundador do Instituto Médico NewAge, no Porto.

Medicina Anti-Envelhecimento

Especialidade médica (Age Management Medicine) nascida há cerca de 8 anos nos EUA e que encara o envelhecimento como uma doença da qual conhecemos as principais causas e os sintomas, mas que ainda não é curável.
Não sendo curável é no entanto possível retardar o seu aparecimento e praticamente suprimir os sintomas. Isto consegue-se à custa de:
- Medicina preventiva proactiva, curativa de tecnologia de ponta, e harmonização hormonal.
- Nutrição optimizada e suplementada.
- Exercício físico sustendato e hormonalmente optimizado.

Pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO

Subscrever feeds