Não ponha na pele algo que não seja capaz de ingerir
Mais informações:
Tel.: 22 4220111
Aumento da longevidade e rejuvenescimento funcional biológico, isto é, dar mais anos à vida e mais vida aos anos.

Envie a sua questão

As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato.

E-mail: anti-envelhecimento@sapo.pt

Posts recentes

QUER SABER SE A SUA TIRÓI...

ATAQUE CARDÍACO - Factore...

ELECTRÕES, TOXINAS, E DOE...

EXERCICIO DE CADA DIA … N...

DIETA H.C.G.: EFICAZ? DIS...

A VITAMINA C REJUVENESCE ...

ATAQUE À TIRÓIDE

FAÇA CRESCER TECIDO CEREB...

ESCORBUTO SUBCLÍNICO

NÃO SE FRITE POR DENTRO

Arquivo

Novembro 2017

Dezembro 2016

Junho 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Consultas em Lisboa

Consultas de Saúde da Mulher (hormonas bioidênticas) e Saúde do Homem:


Marcações pelo Tel. 911 506 033


Para aceder aos cosméticos biológicos clique na imagem à esquerda

Quarta-feira, 20 de Outubro de 2010

GLOSSÁRIO DE TERMOS RELACIONADOS COM O CANCRO DA MAMA

Infelizmente, este é um tipo de cancro comum nas mulheres actuais. Assim, pode ser útil ter uma ideia do que estes termos significam:

ADN: ácido desoxiribonucleico, ou as moléculas que dentro da célula carregam a informação genética e a passam de geração em geração.

Aspirado: fluido retirado de um nódulo (frequentemente de um quisto) ou do mamilo. Biópsia aspirativa.

Auto-exame ou auto-palpação mamária: exame efectuado pela própria mulher par a ver se há nódulos ou outras alterações. Qualquer alteração NÃO deve ser motivo de pânico, pois na maioria das situações não representa patologia.

Benigno: não canceroso.

Biópsia: remoção de células ou tecidos para serem examinados ao microscópio. O patologista estuda as características celulares e avaliza as intervenções.

Biópsia de nódulo sentinela: remoção de um nódulo linfático para a o qual um tumor canceroso se vai disseminar.

BRCA 1 e BRCA 2: genes do cromossoma 17 que normalmente ajuda a suprimir o cerscimento cellular. Quem herda uma versão alterada destes BRACstem um risco aumentado de contrair cancro da mama, ovário ou próstata.

Cancro: doença em que se verifica um crescimento celular anormal e incontrolado, no qual as células são diferentes das progenitoras. Quanto mais diferentes, mais agressivo é o cancro. Estas células são capazes de invadir os vasos sanguíneos e os gânglios, espalhando-se pelo resto do corpo.

Cancro invasivo: cancro com grande capacidade de se disseminar pelos tecidos adjacentes saudáveis. Também chamado cancro infiltrativo.

Cancro recorrente: tumor que reaparece após um período de remissão. Pode e aparecer na mesma localização ou noutra parte do corpo.

Carcinoma in situ: cancro que apenas envolve células do tecido onde se iniciou, e portanto ainda não se propagou.

Célula: unidade individual que forma os tecidos do corpo. Todos os seres vivos são constituídos por células.

Cirurgia mamária conservativa: operação para remover apenas o tumor, não a mama. Inclui a remoção de quistos, quadrantectomia (remoção de ¼ da mama) e mastectomia segmentar (remoção do cancro e de um pouco de tecido mamário à volta do tumor.

Dissecção axilar: cirurgia para remover gânglios linfáticos suspeitos de malignidade encontrados na região axilar.

Ensaio clínico: tipo de estudo que usa voluntários para testar novos métodos de rastreio, prevenção, diagnostico ou tratamento. Tambem conhecido por estudo clínico.

Estadio: refere-se à extensão dos danos de um cancro dentro do corpo. Se o cancro se disseminou o estadio descreve quão longe ele se espalhou.

Estradiol: uma das formas de estrogénio.

Estrogénio: hormona que promove o crescimento cellular de forma -- A hormone that promotes the development and maintenance of female sex characteristics.

Exame clínico mamário: exame efectuado por um profissional de saúde com o intuito de verificar a presença de quistos ou outras alterações.

Factor de risco: algo que aumenta a possibilidade de desenvolver uma doença (exemplo: o tabaco).

Gene: unidade funcional e física da hereditariedade passada dos progenitores aos filhos. Os genes são pedaços do AND, e muitos genes contêm a informação necessária para produzir uma proteína específica.

Hiperplasia atípica: condição benigna na qual as células parecem anormais ao microscópio e estão em número aumentado.

Hormona: Substancia produzida pelas glândulas – e geralmente excretadas para o sangue – e que carrega a informação para determinada acção. As células que têm os receptores para a hormona executam essa ordem.

 

Inibidor da aromatase: medicamento que previne a formação de estradiol a partir da testosterona, por interferir com a actividade da enzima responsável pela conversão. Aplica-se para os cancros estrogénio sensíveis.

Linfedema: condição na qual o excesso de fluído fica nos tecidos e causa inchaço.

Mama: órgão glandular localizado no peito, e constituído por tecido de suporte (conectivo), gordura e tecido glandular que segrega o leite.

Mamografia: Exame diagnóstico, à base de raio-X, usado para aferir lesões verificadas noutros exames. Deve ser usado muito criteriosamente pois a radiação que emite pode ser cancerígena.

Mamografia de rastreio: radiografia das mamas efectuada para aferir da presença ou ausência de sinais de cancro da mama. Procedimento potencialmente perigoso pois a radiação que emite pode despoletar um cancro da mama.

Maligno: quando nos referimos às células cancerosas.

Mastectomia profiláctica: cirurgia para remover os seios de forma a reduzir o risco de cancro da mama em mulheres com risco altíssimo.

Metástases: disseminação à distância de células cancerosas de um tumor primitivo. Também chamado tumor metastático. Contem células iguais às do tumor principal.

Microcalcifição: ténue depósito de cálcio no tecido mamário o qual não pode ser sentido, mas que pode ser detectado na monografia. Um aglomerado destas calcificações indica a presença de um cancro.

Mutação: qualquer alteração do AND. As mutações podem ser benéficas, neutras ou maléficas podendo neste caso alterar a divisão celular, iniciando assim um cancro.

Nódulo linfático: Massa arredondada de tecido linfático envolvida por uma cápsula de tecido conectivo (de suporte). Os nódulos filtram o fluido que circula no sistema linfático e transporta as células (glóbulos brancos) de combate às infecções e ao cancro.

Precanceroso: termo usado para descrever a condição que muito provavelmente vai tornar-se cancerosa. Mesmo que pré maligno.

Progesterona: hormona “feminina” que combate os efeitos de crescimento impostos pelos estrogénios e que ajuda a manter a gravidez..

Progestina: hormona sintética (portanto diferente) parecida com a progesterona, mas que pode ter efeitos de provocar cancro ou doença cardiovascular.

Quimioterapia: tratamento com medicamentos que matam as células cancerosas.

Quisto: saco ou cápsula no corpo. Pode estar cheio de líquido ou outro material.

Radiação externa: terapia por radiação oriunda de uma máquina de radiação de alta energia capaz de destruir células cancerosas.

Reconstrução mamária: cirurgia para refazer a forma da mama, após ter sido retirada total ou parcialmente.

Ressonância magnética: procedimento no qual ondas de rádio e um imã poderoso são ligados a um computador e usados para obter imagens detalhadas do interior do corpo. Estas imagens mostram diferenças entre tecidos normais e tecidos doentes. Também chamada de ressonância magnética nuclear.

Terapêutica hormonal: tratamento que adiciona, bloqueia ou remove hormonas. Para parar ou abrandar o crescimento tumoral mamário, hormona sou outros fármacos podem ser administrados para aumentar ou bloquear a acção das hormonas.

Terapia adjuvante: tratamento prescrito após a terapia principal, de forma a aumentar a hipotese de cura. Pode incluir quimioterapia, radioterapia, hormonoterapia ou terapia biológica.

Terapia biológica: tratamento para estimular ou recuperar a capacidade da imunidade combater infecções ou outras doenças.

Tamoxifeno: medicamento usado no combate ao cancro da mama ou na sua prevenção nas mulheres com alto risco. Bloqueia a acção dos estrogénios.

Terapia sistémica: tratamento usando fármacos que viajam na corrente sanguínea, alcançando e afectando as células cancerosas em todo o corpo.

Tumor: massa celular anormal que resulta em células que se dividem mais do que deveriam e que não morrem. Podem ser malignos ou benignos (lipomas por exemplo). Também chamado neoplasia.

Ultra-som: procedimento à base de ondas sonoras de alta energia as quais são reflectidas nos tecidos internos e captados os seus ecos. São interpretados por computador, dando uma imagem. Ultrassonografia. Pode ajudar a efectuar uma biopsia, e nesse caso falamos de biopsia dirigida por ultra-sons.

 

publicado por Anti-Envelhecimento às 16:21
link do post | comentar

Torne-se fan da nossa página:

Dr. Luís Romariz

Dr. Luís Romariz licenciou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Porto em 1979, e especializou-se em Medicina Familiar em 1988, tendo actualmente o grau de Assistente Graduado. Tem desenvolvido a medicina preventiva nos últimos 27 anos e alcançou o International Certificate of Age Management Medicine no Cenegenics Medical Institute de Las Vegas, em 2005. Tem ainda pós-graduação pela Harvard Medical School, e pela Medical School of Yale University. Tem o curso de Internacional de Mesoterapia e de Medicina Estética. membro diplomado da AMME da França. É membro da Americana A4M, da Life Extension Foundation e da Andropause Society, do Reino Unido. Speaker internacional. É o pioneiro da medicina Anti-Aging em Portugal É o fundador do Instituto Médico NewAge, no Porto.

Medicina Anti-Envelhecimento

Especialidade médica (Age Management Medicine) nascida há cerca de 8 anos nos EUA e que encara o envelhecimento como uma doença da qual conhecemos as principais causas e os sintomas, mas que ainda não é curável.
Não sendo curável é no entanto possível retardar o seu aparecimento e praticamente suprimir os sintomas. Isto consegue-se à custa de:
- Medicina preventiva proactiva, curativa de tecnologia de ponta, e harmonização hormonal.
- Nutrição optimizada e suplementada.
- Exercício físico sustendato e hormonalmente optimizado.

Pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO

Subscrever feeds